Capa Jornal Livre
Pesquise no Portal
339940 publicações 26083 colunistas cadastrados
MAIS SEÇÕES
Classificados
Notícias
Música
Sexo
Vídeos
Educação
Política
Negócios
Cinema
Agronegócio
Humor
Utilidade Pública
Autos | Trânsito
CANAIS

Turismo do futuro terá check in feito por robôs, d


 



 
Passageira espera em saguão de aeroporto
Mesmo em tempos normais, alta demanda pressiona aviação
Um estudo sobre as tendências do turismo mundial sugere que no futuro os passageiros poderão contar com robôs prestando serviços de check-in, informações personalizadas sobre destinos de viagens, e 'caminhadas virtuais' por aeroportos em que embarcarão.

A análise foi feita pela consultoria Henley Centre HeadlightVision (HCHVL) e pela companhia prestadora de serviços de tecnologia para viagens Amadeus, e divulgada nesta quarta-feira.

Em um momento em que a mobilidade de cidadãos ao redor do mundo é recorde, dizem os analistas, as empresas devem investir na personalização dos serviços para fidelizar os clientes.

O estudo identificou quatro grupos principais de turistas que já existem, mas que ganharão ainda mais força nos próximos anos.

Personalização

Movidos pelas operações corporativas em escala global, os viajantes a negócio poderão ser beneficiados pela convergência de serviços entre as grandes companhias aéreas e companhias de táxi aéreo.

Pessoas que vivem em uma cidade e trabalham em outra poderiam ter acesso a conexões de internet e telefone a bordo.

Parcerias entre empresas poderiam permitir, por exemplo, que elas fizessem compras online e pegassem as mercadorias no desembarque, poupando o tempo de ir ao supermercado.

Imigrantes poderiam dispor de um cartão magnético contendo suas informações pessoais e o status dos seus vistos.

Segundo o estudo, o check-in, em um futuro um pouco mais distante, poderá ser feito por robôs e tanto passageiros como bagagem serão monitorados - e localizados - através de sistemas de localização por freqüencia de rádio.

Com quase 190 milhões de pessoas vivendo fora de seus países de origem, os analistas estimam que esta categoria de 'cidadãos globais' gerará um fluxo permanente de trânsito de pessoas em visita a famílias e parentes em outras partes do planeta.

Por fim, a elevação nas taxas de longevidade deve aumentar a participação de pessoas entre 50 e 75 ativas no mundo do turismo.

Consumidores nesta categoria poderiam contar com serviços de saúde nos aeroportos, e receber informações personalizadas sobre destinos, feitas com base em localizações por satélite.

O vice-presidente da Amadeus, Frederic Spagnou, disse que "a idéia da humanização da tecnologia resultará em uma viagem mais simplificada, intuitiva e pessoal para todos".

Já o CEO da consultoria HCHVL, Sian Davies, afirmou que "é essencial que os prestadores de serviços comecem a pensar seriamente nas necessidades dos viajantes, a como eles podem assegurar a fidelidade".

 


COMENTAR ARTIGO



   Mundo



Não achou o que estava procurando?

Digite uma palavra-chave


CANAIS
Advocacia | Direito
Artes | Cultura
Cinema
Humor
Religião
Turismo
COMPRAS
Pesquisar produto
O Jornal Livre é uma rede de conteúdo aberto onde você compartilha seus conhecimentos: vídeos, artigos, notícias, entre outros. O uso deste site implica na aceitação dos Termos e Condições Gerais do Jornal Livre. Os direitos autorais de todas as contribuições para o Jornal Livre pertencem aos seus respectivos autores.
Resolução Mínima de 1024x768 © 2007 - 2016.
Parceiros: Classificados | Free Classifieds | Compra Já | Mega Classificados | Central Brasileirão | Br 360 Graus | Todos os Concursos | Artigos | Anúncio Certo | Classificados Scambo | Anúncio Certo | Só Artigos | Marketing Digital
Permuta Livre