RESUMO:

O presente trabalho aborda sobre Os Impactos Econômicos na Orla da Praia de Boa Viagem, Recife – PE, no qual, teve como objetivo estudar cientificamente e na pratica os efeitos dos impactos encontrados na localidade. No entanto, pode ser analisado o desenvolvimento e as perspectivas econômicas na atividade turística, onde foi observado em que dimensão os Impactos Econômicos exercem entre vários setores.

PALAVRAS – CHAVE:

Turismo; Impactos Econômicos; Orla da Praia de Boa Viagem, Recife - PE

1 INTRODUÇÃO

A atividade turística foi considerada a alternativa mais viável nos últimos tempos. O turismo contribuiu sensivelmente para o desenvolvimento sócio-econômico e cultural de grandes regiões, garantindo uma melhor qualidade de vida, atendeu também a causas sociais. O desenvolvimento para uma melhor qualidade de vida tendo o turismo como benefício local, significa adotar política para que possam oferecer trabalho e ocupação para todos, promovendo a realização do homem, ajudou direta e indiretamente na economia do país, pois a partir do momento que o turista chegou ao local visitado ele atingiu desde o meio de hospedagem até um vendedor de picolé da praia, no entanto, se atividade turística foi executada de forma adequada, trouxe impactos econômicos benéficos, pois turismo é uma troca de serviços com fins lucrativos que trouxe à sociedade geração de emprego, aumentou a circulação da moeda estrangeira, aumentou a distribuição e circulação de renda, diversificação de economia e o mais importante para o local que é a atração de investimentos locais, como foi visto, tudo isso está relacionado com a atividade turística que proporcionou uma melhoria na qualidade de vida. 

Como o tema pesquisado no projeto é o estudo dos Impactos Econômicos na Orla de Boa Viagem, Recife-PE, entendeu - se que o lugar escolhido para estudo está notavelmente com efeitos de grandes impactos que contribuiu em termos econômicos por ser um potencial turístico de grande porte, pois a Praia de Boa Viagem - charmosa, internacional, repleta de piscinas naturais e áreas de lazer, perfeita na sua infra-estrutura tem grande potencial turístico.

O direcionamento desta pesquisa foi discutido de modo que os impactos econômicos do local geraram benefícios para a Orla da Praia de Boa Viagem, entre o produto e o consumidor, buscando desenvolvimento de forma relevante num equilíbrio orçamentário nos níveis governamentais do estado.

A orla da praia de Boa Viagem foi considerada um grande núcleo receptor de turista que é situada na área litorânea do grande Recife, é um local bastante visitado seja pelos turistas internos e externos, com esse fluxo de turista no local, a economia foi um fator de grande importância. No entanto, foi necessário estudar e analisar se o turismo trouxe impactos econômicos e o que pode ser feito por meio de planejamento de ações da gestão pública, para

solucionar os impactos econômicos que desfavorecem os turistas na Orla da Praia de Boa

Viagem, Recife-PE?

O turismo ofereceu possibilidades para economia local. A praia de Boa Viagem é um atrativo natural, que ofereceu bens e serviços que estão fortemente ligados a economia, atraindo dessa forma benefícios que gerou uma circulação de renda para o local atraindo investimentos, propiciando o desenvolvimento e uma melhoria na qualidade de vida da comunidade local e para aqueles que compõem a atividade turística.

Analisou se o desenvolvimento e as perspectivas econômicas para a geração de negócios entre a atividade turística e o consumidor, bem como foram levantados e analisados a existência dos impactos econômicos decorrentes da pratica do turismo, a dimensão dos impactos econômicos dentre vários setores que a atividade turística trouxe para a Orla da Praia de Boa Viagem.

O procedimento metodológico definiu como foi realizado o trabalho desde o inicio até a sua conclusão. Depois da escolha do tema, foi feita uma pesquisa bibliográfica objetivando uma contextualização da fundamentação teórica do tema estudado, que de acordo com Prestes (2002), é aquela que se efetiva para adquirir conhecimento a partir do emprego predominantemente de informações provenientes de materiais gráficos, sonoros e informatizados.

Neste estudo foram usadas bibliografias especializadas na atividade turística e nos impactos econômicos do turismo. Logo após, para um melhor entendimento da problemática foi observado o local de estudo, elaborou – se um questionário objetivo contendo dez questões sobre o assunto abordado buscando um levantamento de informações mais precisas para embasar o tema proposto. Os estudos de campo foram realizados com o intuito de facilitar o andamento da pesquisa. Após o encerramento do trabalho de campo, os dados obtidos através dos questionários foram analisados e comentados.

A partir da definição do tema, ora trabalhado, iniciou-se pesquisas bibliográficas, com perspectivas de fundamentação teórica, para elaboração textual deste. Por conseguinte, foram

consultados os seguintes autores, Gregório, 2004; Souza, 2004; Leal, 2006; Sancho, 2001; além de outros que foram citados. 

2 DESENVOLVIMENTO

2.1 CARACTERIZANDO A ORLA DA PRAIA DE BOA VIAGEM, RECIFE – PE

Um dos estados que compõem a região Nordeste, é o estado de Pernambuco que possui uma grande diversidade turística, sendo ele, um dos principais centros de atrações turísticas do

Brasil e que possui um vasto litoral com extensão de 187 km de diversos paraísos, sejam para turistas ou para os pernambucanos desfrutarem.

Com base no site Wikipédia, Recife é a capital do estado de Pernambuco e é a Região Metropolitana mais populosa do Nordeste e é considerada uma das maiores metrópoles do Brasil, tendo sua economia voltada para o comércio e prestação de serviços. Recife possui um grande potencial turístico, com suas belas praias e monumentos históricos, que atrai muitos turistas e é também considerada como a “Veneza Brasileira” devido as suas pontes e canais sobre os rios Beberibe e Capibaribe.

No Recife existem ótimas infra-estruturas turísticas que possibilita aos turistas escolherem o local para ficarem hospedados e consequentemente desfrutarem das belezas naturais que são oferecidas, como suas belas praias do litoral pernambucano, onde se destaca a Praia de Boa Viagem com uma extensão de aproximadamente 7 km que em sua maior parte, é protegida e envolvida por uma barreira de arrecifes naturais. É uma praia de bastante fluxo turístico e de uma beleza desfrutável que fica localizada no Bairro de Boa Viagem.

Segundo informações do site Recife Guide, para se chegar à Recife existem vários tipos de acesso, desde o Aeroporto Internacional dos Guararapes que está situado no bairro da Imbiribeira, havendo dentro do Aeroporto táxis que levam os turistas para o hotel e depois para a praia. Outro meio de acesso é a Estação Rodoviária Terminal Integrado de Passageiros – TIP Recife, onde há linhas de ônibus que circulam no grande Recife e em Boa Viagem, havendo também linhas de táxis dentro da rodoviária.

Com base nas informações do site Hotlink, os turistas que se deslocam para visitar a Praia de Boa Viagem, usufruem dos serviços prestados pelos barraqueiros que construíram seus “negócios” na beira mar, e que oferecem assim, vários tipos de produtos que nem sempre estão em padrão de higiene confiável para o consumo.

Por toda sua extensão, a orla marítima oferece diversos quiosques, restaurantes, bares e ambulantes, que proporcionam aos turistas uma livre escolha para que eles possam consumir o que for de desejo. E em seu entorno há uma feirinha de artesanatos que é muito freqüentada por turistas e moradores locais, fazendo com que haja um aumento na renda desses vendedores. Há também o Shopping Center Recife, que dispõe de uma infra – estrutura adequada para receber os turistas que freqüentam o lugar e que fazem compras e se divertem, dando sim, lucro aos lojistas, pelo qual Boa Viagem é considerada o centro financeiro do Recife, pelo movimento de dinheiro que é trazido principalmente pelo turismo, atividade que gera lucros na Praia de Boa Viagem.

Face o exposto acima pode se afirmar que a Praia de Boa Viagem é um forte atrativo turístico, pois são encontrados torneios esportivos, o famoso reveillon e também abertura de verão deixando claro por que Boa Viagem é considerada a praia mais famosa do grande Recife ampliando o desenvolvimento da atividade turista na região. 

2.2 CONCEITUANDO TURISMO

No turismo existem vários conceitos que podem ser estudados por diversas perspectivas, onde o objetivo maior é chegar a um conceito universal, os vários conceitos devem ser interpretados para o melhor entendimento do que seja turismo.

A primeira definição de turismo remota - se de 1911 e dizia que “Turismo é o conceito que compreende todos os processos, especialmente os econômicos, que se manifestam na chegada, na permanência e na saída do turista de um determinado município, pais ou estado.” (SCHATTENHOFEN, 2002, p.9)

O autor diz que o turismo é uma vertente que consegue atingir várias modalidades, a social, passando pela cultura, ganhando sua maior importância na economia. A partir do momento

que o turista sai do seu entorno habitual para viajar, seja ele qual for o motivo, ele irá precisar dos serviços prestados pela atividade turística, que está amplamente ligada com o fator econômico, ocasionando a manifestação do desenvolvimento econômico para o lugar visitado.

Já no ano de 1942, definia – se turismo como: “A soma de fenômenos e de relações que surgem das viagens e das estâncias dos não residentes, desde que não estejam ligados a uma residência permanente nem a uma atividade remunerada.” (K. KRAPF e W. HUNZINER, 1942 apud SANCHO, 2001, P.37).

Observa–se nessa definição que para ser considerado turista, o individuo não pode ter residência fixa no local visitado, nem exercer qualquer atividade visando lucro ou remuneração, porém, no período em que se encontra no local visitado, movimenta a sua economia deixando por lá parte do seu capital.

Ainda acerca, antecipa o que venha a ser turista de massa, nesse contexto o conceito de turismo é pouco esclarecedor, pois o mesmo aborda várias definições que deveriam ser antecipadamente analisadas, no qual não se sabe o significado de “fenômenos” ao que esta se referindo, podendo ser considerado um fenômeno econômico, fenômeno turístico. De outra forma pode-se dizer que esta definição permite objetivar que o turista sai do seu entorno habitual para praticar algum tipo de atividade ligada com as suas motivações.

Mais tarde definiu-se turismo como: “Deslocamento curtos e temporários das pessoas para destinos fora do lugar de residência e de trabalho, e as atividades empreendidas durante a estada nesses destinos.” (BURKART e MEDLIK apud SANCHO, 2001, p.37).

Essa definição de turismo está ligada com a conotação de viagem, relacionando viagem a lazer na busca pelo bem estar, ficando de fora as viagens associadas a negócios, sem usufruir do lazer.

Segundo WALL (1982 apud SANCHO, 2001, p.38):

O turismo é o movimento provisório das pessoas, por períodos inferiores a um ano, para destinos fora do lugar de residência e de trabalho, as atividades empreendidas durante a estada e as facilidades são criadas para satisfazer as necessidades dos turistas.

Face ao exposto acima pode se dizer que os turistas deixam suas residências, por um prazo inferior que a um ano, por qualquer que sejam as motivações, lá o visitante terá a prestação dos serviços turísticos para atender suas expectativas.

Todos os conceitos de turismo são de extrema importância para o desenvolvimento da atividade turística, deixando claro o que cada um deles embasa, para que se possa entender que o turismo contribui para o crescimento de um determinado local, pais ou região. Com esse contexto será analisado a definição e técnica dada pela OMT destacando o ponto de vista formal.

A OMT (2001, p.38) conceitua o turismo como:

O turismo compreende as atividades que realizam as pessoas durante suas viagens e estadas em lugares diferentes ao seu entorno habitual, por um período consecutivo inferior a um ano, com finalidade de lazer, negócios ou outros.

Essa definição fala de tudo que o turismo é hoje, pois aborda todas as atividades oferecidas, seja ela qual for o motivo, desde o turismo de negócios até turismo de lazer, sendo fundamental a livre escolha do turista, no qual o turismo é um fenômeno complexo e diversificado, havendo vários tipos que podem ser classificados por diferentes critérios e também de acordo com objetivos de cada individuo.

2.3 CONCEITUANDO OS IMPACTOS ECONÔMICOS NO TURISMO

De acordo com o Mini Dicionário Aurélio: Impacto - Encontro de projétil, míssil, bomba ou torpedo, com o alvo; choque, Impressão muito forte.

Entende-se que impacto nestas condições, pode ser causado por circunstâncias em que interferem seja no meio ecológico, econômico ou sócio-cultural, onde as pessoas, direta ou diretamente interagem com o meio.

O turismo é considerado uma atividade de grande relevância para o desenvolvimento de diversos setores econômicos, pois contribui sensivelmente para o crescimento da economia, trazendo ao lugar receptor benefícios geradores de atividades propulsoras que ajudam a fomentar o desenvolvimento da econômica para localidade. As diversas influências que o turismo exerce na qualidade de vida da sociedade são caracterizadas como positivas ou negativas, em grande parte elas dependem do grau de desenvolvimento da região, pois a atividade acarreta nesses dois tipos de efeitos sobre a economia.

A seguir serão expostos os diversos impactos positivos trazidos pela atividade turística, em diversos âmbitos econômicos onde aponta como funciona cada um desses impactos, qual sua relação com a localidade, deixando claro que os efeitos benéficos da atividade turística representam o crescimento rápido e contínuo de seus bens e serviços, representando assim, oportunidades de obtenção de lucros para determinada região.

Dentre os diversos aspectos positivos dos impactos econômicos trazidos pelo turismo, se destaca como um dos mais importantes, o efeito multiplicador, como é mencionado na obra de Goeldner, subentende-se que o efeito multiplicador pode ser direto e indireto, existindo rodadas de despesa, fazendo com que a renda seja gasta para a sustentabilidade do local visitado, sejam eles por empreendimentos turísticos, havendo transações de capitais, com construções de infra-estrutura no destino turístico, fazendo com que o dinheiro trazido pelos turistas circule por toda sociedade. (GOELDNER, 2002).

Observa-se que o efeito multiplicador de renda traz uma interdependência entre os vários fatores econômicos, gera empregos em diversas áreas, nos setores formais e informais e que traz uma melhoria na qualidade de vida dos moradores do local a que se desenvolvera, conseqüentemente acelerando o crescimento de mudanças trazidas pelas novas oportunidades. (LICKORISH,2000).

Segundo afirma Ignarra, os estímulos de investimentos podem ser um serviço ou um bem que satisfaça a necessidade do turista e do receptor, fazendo com que haja planejamento para um atendimento de qualidade. Contribui para que a atividade seja realizada de forma correta, atendendo as diversas motivações de seus praticantes. Fazendo com que os órgãos públicos e privados tragam uma melhoria na infra-estrutura local para fomentar o aumento da entrada de divisas.

Conclui-se que turismo é uma atividade econômica que abrange diversos setores, dentre eles o econômico, onde o produto turístico é elaborado e ao mesmo tempo consumido, uma relação direta de compra e venda, contudo as divisas favorecem a entrada de moeda estrangeira na localidade. Como afirma Sancho (2001): “O turismo reapresenta a oportunidade de obter, de maneira rápida, as divisas necessárias que equilibram a balança nacional de pagamentos”.

Beneficiando os setores envolvidos direta e indiretamente, proporcionando um crescimento quantitativo na arrecadação de impostos, ocasionando assim como um aumento no capital, destinados aos estabelecimentos turísticos, dessa forma o turismo interage nos três setores econômicos,quando desencadeiam um processo de irradiação de benefícios ultrapassando seus limites de atuação,dando incremento aos negócios.

É visto que o turismo está atrelado com diversos setores empresariais, realizando um engajamento com os demais setores que de compõem a atividade turística, considerando que o turismo está envolvido com diversos grupos de empresa que se apóiam entre si acontecendo um erro por parte de alguma, podendo então, ser prejudicadas, pois dependem uma das outras para que a atividade possa trazer ao local, um aumento significativo da demanda turística. (SANCHO, 2001).

Com o aumento da demanda turística surge um interesse por parte do empresariado local em investir nos setores que atendem a demanda, desenvolvendo habilidades para a mão de obra qualificada, mobilizando os investimentos em estabelecimentos que estejam envolvidos no setor turístico. (SANCHO, 2001).

Conseqüentemente, outro efeito econômico positivo irá surgir, a melhoria na qualidade de vida da região, pois a partir do momento que a atividade turística surge na localidade, ela contribui para o equilíbrio do crescimento regional, ajudando assim, a trazer melhorias na economia da população em geral. (COOPER, 2001).

 

Com o desenvolvimento do turismo no local fez-se necessário adotar novas estratégias de gestão, que são formas de adotar estruturações para o turismo na questão econômica, o papel principal da superestrutura tem como prioridade planejar e executar, organizando programas específicos tendo compatibilidade com os elementos econômicos, otimizando o envolvimento

mútuo entre os órgãos públicos e privados para que possa trazer benefícios para a relação entre receptivo e consumidor. (PETROCCHI,1998).

Para que possa chegar a uma determinada avaliação do local em termos de investimentos, para saber se o que se produz aqui é um produto com qualidade, para que os órgãos competentes saibam a importância do produto interno bruto que, considerado um fator primordial para o consumismo das demais localidades, o mercado turístico requer investimento para uma melhoria no que seja produzido dentro do seu mercado turístico que ao mesmo tempo em que produz ele conseqüentemente irá ser consumido, havendo uma entrada de divisas fomentando o turismo nacional, equilibrando a balança de pagamentos.

(BENI, 2006).

Como já foi visto, a atividade turística traz desenvolvimento para localidade, mas também, leva consigo fatores negativos que devem ser considerados, pois podem afetar o andamento do crescimento do turismo. Serão expostos os impactos contrários aos benefícios que o turismo traz, entre os negativos, o efeito inflacionário provocado pelo turismo, se deu pelo fato da demanda turística ser muitas vezes concentrada em curtos períodos e os turistas terem que gastar mais do que os próprios residentes, elevou os preços dos bens e serviços da região visitada, assim os bens e serviços que não são utilizados por ambos, irá ter os seus preços elevados para qualquer categoria de consumidores.

Com o fluxo continuo desses turistas ocorre à dependência do turista na localidade, sendo esse um fator muito agravante, pelo qual está consideravelmente sujeito a sazonalidade, sendo o turismo o setor de sustentação de uma região, os períodos de baixa estação resultam em sérios problemas como o desemprego. Contribuindo negativamente, favorecendo a sazonalidade que interfere nos empregos, que por sua vez, não são certos esses de baixa remuneração, pouca qualificação e pouca perspectiva de progresso profissional que por muitas vezes, ocorre à concentração de renda, agravando a má distribuição do dinheiro arrecadado, ou seja, ficar localizado em um único local.

Os resorts, que em sua grande maioria, os turistas não sentem a necessidade de saírem do local, fazendo com que todo tipo de vontade esteja sendo realizada no mesmo e fazendo com

que a moeda deixe de circular, ocorre assim à má distribuição de renda conseqüentemente, uma queda no percentual de empregos diretos e indiretos.

Com a freqüência de grandes fluxos turístico numa determinada região, ocorre à supervalorização imobiliária, que por sua vez os moradores dos locais aumentaram o valor estipulado, visando manter lucros, causando assim frustrações a comunidade local porque o que irá ocorrer é uma diminuição no fluxo de turista, baixando consideravelmente a entrada de capital por parte dos preços abusivos. O fluxo de turista em uma região faz com que o turismo internacional gere muitas importações, devido aos visitantes que trazem consigo, expectativas em relação à acomodação, alimentação e lazer. (LICKORISH, 2000).

Para atender a essas expectativas, paises que estão em desenvolvimento necessitaram fazer importações de bens e serviços, para dar apoio ao setor turístico que são entendidos como perdas, porque parte dos gastos do turismo sai da economia para pagar as importações necessárias, por isso, é de extrema importância uma avaliação nos padrões de importação do setor turístico, para identificar se as mesmas podem ser limitadas e substituídas pela produção domestica.

Outro fator negativo seria a dependência econômica de um local, que causa dependência da moeda estrangeira na localidade. Esse tipo de impacto ocorre mais nos pontos turísticos em que o fluxo de turistas está em alta, dependendo dessa moeda para dar continuidade à atividade turística. Com a alta visitação em uma localidade ocorre um aumento na renda local numa só região, por outro lado outras regiões deixam de ser visitadas, como o caso da Praia de Porto de Galinhas, que é muito popularizada, causando assim, a competição da atividade turística com outros setores econômicos.

Depois de discutidos, os impactos econômicos que tem reflexo no turismo, sejam eles de benefícios ou de custos, pode-se ressaltar que, a atividade turística se obtiver uma relação equilibrada com seus recursos turísticos irá contribuir para o desenvolvimento fazendo com que os efeitos derivados da economia tragam uma motivação para a prática do turismo

3 CONCLUSÃO

Foram aplicados cinqüenta questionários junto à população e comerciantes locais da Orla da Praia de Boa Viagem-Recife - PE, na tentativa de identificar a existência ou não dos Impactos Positivos e Negativos, onde se fez necessário traçar o perfil dos entrevistados.

Verificou – se que 58% dos entrevistados são do sexo Masculino, e os 42% restantes são do sexo Feminino.

Quanto à faixa etária, identificou – se que 20% dos entrevistados possuem idade de 18 a 25 anos, 18% possuem de 26 a 35 anos, 28% de 36 a 45 anos, 16% de 46 a 55 anos, e não se obteve resultado com as pessoas que possuem mais de 55 anos.

No que se refere ao estado civil dos entrevistados verificou – se que 34% são de pessoas solteiras, 56% são de casados, 10% são de divorciados, e nenhum valor obtido para outros.

Quanto à escolaridade pode – se observar que 24% dos entrevistados possuem o Ensino Fundamental completo/incompleto, 52% possuem o Ensino Médio completo/incompleto, 22% possuem o Ensino Superior completo/incompleto, enquanto que, só 2% possuem a Pós Graduação completo/incompleto.

No que se refere à ocupação das pessoas entrevistadas 12% das pessoas são de Dona de Casa, 28% são de Comerciantes, 22% são de Estudantes, 4% para cada são de Policiais, Engenheiros Civis e Depiladoras, as demais ocupações como, Padeiro, Empresário, Doméstica, Dentista, Médico, Serviços Gerais, Publicitário, Mecânico, Assistente de Produção Fotográfica, Advogado, Economista, Porteiro e Vendedor Informal só obtiveram 2% cada.

Quanto à existência ou não dos Impactos Econômicos mencionados, pode – se concluir que os Impactos Econômicos Positivos e Negativos, obtiveram os seguintes resultados.

No que se refere aos Positivos, o impacto de Efeito Multiplicador, 80% dos entrevistados responderam sim, 14% não e 6% não souberam responder.

Com relação ao Aumento significativo da Demanda Turística, 56% das pessoas responderam sim, 38% não e 6% não sabiam responder.

Referente ao Estimulo de Investimento, 46% dos entrevistados responderam sim, 38% não e 16% não souberam responder.

Com relação a Uma melhoria na Qualidade de Vida trazida pelo desenvolvimento econômico, 88% das pessoas responderam sim, 8% não e 4% não sabiam responder.

Referente à Geração de Emprego, 80% dos entrevistados responderam sim, 18% não e apenas 2% não souberam responder.

No que se refere a Novas oportunidades, 52% responderam sim, 34% não e 14% não souberam responder.

Com relação a Descentralização de Riquezas, 32% dos entrevistados responderam sim, 34% responderam não e 34% não sabiam responder.

De acordo com a Geração de Emprego, 66% das pessoas responderam sim, 30% não e 4% não souberam responder.

Referente à Criação e Desenvolvimento de Empresas, 52% das pessoas responderam sim,

30% responderam não e 18% não souberam responder.

Com relação ao Aumento do Produto Interno Bruto, 44% dos entrevistados responderam sim, 24% responderam não e 32% não sabiam responder.

No que se refere aos Impactos Negativos, o Efeito Inflacionário, 84% das pessoas responderam sim, 8% responderam não e 8% não souberam responder.

Referente à Dependência da Moeda Estrangeira, 34% responderam sim, 44% não e 22% não souberam responder.

Com relação ao Desemprego, 76% dos entrevistados responderam sim, 20% não e 4% não souberam responder.

No que se refere ao Aumento do Custo de Vida, 76% responderam sim, 14% não e 10% não sabiam responder.

 

Referente à Concentração de Demanda, 66% dos entrevistados responderam sim, 28% não e 6% não souberam responder.

No que se refere à Supervalorização Imobiliária, 78% responderam sim, 12% não e 10% não souberam responder.

Com relação à Evasão de Divisas, 32% das pessoas responderam sim, 26% não e 42% não souberam responder.

Referente à Sazonalidade, 64% dos entrevistados responderam sim, 30% responderam não e 6% não souberam responder.

Em relação à Mão de Obra Mal Qualificada, 58% das pessoas responderam sim, 36% não e 6% não souberam responder.

No que se refere à Má distribuição de Renda, 64% responderam sim, 36% responderam não e nenhum resultado foi obtido para os que não souberam responder.

Face ao exposto acima, pode se concluir que entre os Aspectos estudados, baseados nos questionários que foram aplicados na Orla da Praia de Boa Viagem, Recife – PE, que os Impactos Econômicos Positivos obtiveram um maior resultado, e os Impactos Negativos foram encontrados em menor resultado. Pelo qual foi evidente demonstrar que, para a maioria dos entrevistados, o Turismo na localidade traz desenvolvimento e benefícios decorrentes da Atividade Turística que contribui para o bem estar econômico do local.

 REFERÊNCIAS

BASTOS, Cleverson Leite; KELLER, Vicente. Aprendendo a Aprender. Introdução a Metodologia Cientifica. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

BENI, Mario C. Análise Estrutural do Turismo. 11. ed. São Paulo: Senac, 2006.

CHARLES R. Goldner, JR.; BRENET, Ritchie;  MCINTOSH, Robert. Turismo: princípios, práticas e filosofia. 8 ed. Porto alegre: Bookman, 2002.

COOPER, Chris. et. al. Turismo, princípios e prática. Trad. Roberto Cataldo Costa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001