A história de marisa monte

Marisa de Azevedo Monte (Rio de Janeiro, 1 de julho de 1967) é uma consagrada cantora, compositora e produtora musical brasileira.

Marisa é considerada pela revista Rolling Stones Brasil – uma das mais notáveis revistas do mundo no segmento de música – como a maior cantora do Brasil, posto este antes ocupado por Elis Regina.[carece de fontes?]
Índice
[esconder]

* 1 Biografia
* 2 Curiosidades
* 3 Turnês mundiais
* 4 Discografia
* 5 Prêmios
* 6 Referências
* 7 Ligações externas

Biografia

Estudou canto, piano e bateria na infância. Na adolescência participou do musical Rock Horror Show, dirigido por Miguel Falabella, com alunos do Colégio Andrews, mas nunca abandonou o estudo de canto lírico, iniciado aos catorze anos.

Aos dezenove, mudou-se para a Itália, mais especificamente para Roma, onde durante dez meses estudou belcanto, do qual desistiu em seguida, passando a fazer apresentações em bares e casas noturnas cantando música brasileira acompanhada de amigos. Um desses espetáculos foi assistido pelo produtor musical Nelson Motta, que se tornou diretor do primeiro show no Rio de Janeiro, em 1987. O show Veludo Azul teve temporadas no Rio e em São Paulo e despertou o interesse das gravadoras.

Marisa Monte já fazia muito sucesso de público e crítica antes de ter o primeiro disco gravado, o que só veio a acontecer com Marisa Monte ao Vivo (1988). A este disco com repertório eclético, pertence o primeiro grande sucesso, Bem que Se Quis (versão de Nelson Motta para a E Po Che Fa do compositor italiano Pino Daniele), que foi executado exaustivamente nas emissoras radiofônicas brasileiras e fez parte da trilha sonora da novela da Rede Globo O Salvador da Pátria, de Lauro César Muniz (1989). O disco seguinte, Mais (1991), introduziu-a no mercado internacional e a apresentou como compositora; a partir daí, prosseguiu com dois discos: o elogiado Verde, Anil, Amarelo, Cor-de-rosa e Carvão (1994), considerado por muitos o melhor álbum da carreira, e o duplo Barulhinho Bom (1996), que trazia regravações dos antigos sucessos entre outras canções inéditas e consagradas, resultado do show originado do álbum de estúdio anterior. Barulhinho Bom também provocou grande polêmica pela capa, um desenho do artista pornô-naif Carlos Zéfiro, censurada nos EUA. Este CD marcou uma aproximação maior com o mundo do samba carioca, com as diversas escolas e gerações.

Adotando uma postura cool, Marisa Monte procura evitar a superexposição na mídia, e mantém-se afastada dos meios de comunicação quando não está em turnê de lançamento de um disco novo. Lançou o próprio selo, a Phonomotor, e apresenta-se também ao lado da Velha Guarda da Portela, tendo produzido e participado do CD Tudo Azul (2000) e o documentário selecionado para mostra no Festival de Cannes, O Mistério do Samba (2008). Como produtora, atuou também em Omelete Man (1998), disco de Carlinhos Brown. No fim de 2002, Marisa lança o CD e DVD Tribalistas, projeto idealizado por ela e os parceiros Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown, que ultrapassou a marca de mais de um milhão de cópias vendidas no Brasil.

Em 2000 Marisa lança o CD Memórias, Crônicas e Declarações de Amor, centrado no tema do amor e muito aclamado pela crítica. A turnê do álbum durou aproximadamente um ano e gerou o DVD homônimo com os melhores momentos do show.

Após quase cinco anos sem aparições relevantes Marisa voltou no primeiro semestre de 2006, quando lançou simultaneamente dois discos Infinito Particular e Universo Ao Meu Redor, dedicados a canções inéditas do samba e da MPB no que resulta na criação da turnê Universo Particular.

Entre as gravações mais representativas da carreira de Marisa Monte, e para toda a MPB, estão, entre outras: Segue o seco, Pétalas esquecidas, Give me love, Bem que se quis, Infinito Particular, De mais ninguém, Vai saber?, De noite na cama, Maria de verdade, Rosa, Speak low, A lenda da sereias, Dança da solidão, Pelo tempo que durar, Vilarejo, Preciso me encontrar, Balança Pema, Para ver as meninas, Volte para o seu lar, A primeira pedra, Negro gato, Lágrimas e tormentos, Aconteceu, Panis et circensis e Cinco minutos.[carece de fontes?]

Ligado ao site oficial da cantora, há um blog que é atualizado diariamente por fãs: www.marisadeverdade.com.br

Em dezenove anos de carreira, Marisa vendeu mais de nove milhões de discos no Brasil e no exterior.[carece de fontes?]

Curiosidades

* Em sua versão em CD, Verde, Anil, Amarelo, Cor-de-rosa e Carvão trouxe uma música a mais: “Pale Blue Eyes”. Isso também aconteceu com seu primeiro disco, Marisa Monte ao Vivo, que trouxe “I Heard It Through the Grapevine” que não entrou no LP original por problemas de espaço.

Turnês mundiais

* Marisa Monte Ao Vivo [1989/ 1990]
* Mais [1991/ 1992]
* Verde Anil Amarelo Cor de Rosa e Carvão [1994/ 1996]
* Barulhinho Bom [1996/ 1998]
* Memórias, Crônicas e Declarações de Amor [2000/ 2001]
* Universo Particular [2006/ 2007]

Discografia

* Marisa Monte (1989)
* Mais (1991)
* Verde, Anil, Amarelo, Cor-de-Rosa e Carvão (1994)
* Barulhinho Bom (1996)
* Memórias, Crônicas, e Declarações de Amor (2000)
* Compacto simples – com as canções “A Sua” e “Ontem ao Luar” (2001)
* Tribalistas (2002)
* Infinito Particular (2006)
* Universo ao Meu Redor (2006)

Prêmios
Ano Prêmio Categoria
1995 Video Music Brasil Melhor videoclipe do ano – “Segue o Seco”
Video Music Brasil Melhor videoclipe de MPB – “Segue o Seco”
Video Music Brasil Melhor direção de videoclipe – “Segue o Seco”
Video Music Brasil Melhor fotografia de videoclipe – “Segue o Seco”
Video Music Brasil Melhor edição de videoclipe – “Segue o Seco”
1998 Prêmio Multishow de Música Brasileira Melhor cantora
2000 Video Music Brasil Melhor videoclipe de MPB – “Amor, I Love You”
2001 Prêmio Multishow de Música Brasileira Melhor cantora
Prêmio Multishow de Música Brasileira Melhor CD – Memórias, Crônicas e Declarações de Amor
2001 Video Music Brasil Melhor videoclipe de MPB – “O Que Importa”
2002 Prêmio Multishow de Música Brasileira Melhor DVD de música
2003 Prêmio Multishow de Música Brasileira Melhor música – “Já Sei Namorar” (com Tribalistas)
Prêmio Multishow de Música Brasileira Melhor CD – Os Tribalistas (com Tribalistas)
Prêmio Multishow de Música Brasileira Melhor DVD de música – Tribalistas (com Tribalistas)

Referências

* McGowan, Chris and Pessanha, Ricardo. “The Brazilian Sound: Samba, Bossa Nova and the Popular Music of Brazil.” 1998. 2nd edition. Temple University Press. ISBN 1-56639-545-3

Ligações externas
Wikiquote
O Wikiquote tem uma coleção de citações de ou sobre: Marisa Monte.

* Página oficial de Marisa Monte
* Revista Veja — A nação das cantoras

BIOGRAFIAS

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

v • d • e • h
Nomes da MPB
Gilberto Gil • Chico Buarque • Caetano Veloso • Maria Bethânia • Tom Jobim • Toquinho • Vinicius de Moraes • João Gilberto • Luiz Bonfá • Jorge Ben Jor • Milton Nascimento • Djavan• Roberto Carlos • Zé Ramalho • Seu Jorge • Fagner • Lenine • Alcione • Tim Maia • Gal Costa
Elis Regina • Simone • Geraldo Vandré • Edu Lobo • Nelson Motta • Wilson Simonal • Dori Caymmi • Francis Hime • Carlos Lyra • Sérgio Mendes • Roberto Menescal • Newton Mendonça • Zeca Baleiro • Ana Carolina • Adriana Calcanhoto • Alceu Valença • Belchior • Moska • Marisa Monte

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *