A nossa senhora das dores

Nossa Senhora das Dores (também chamada Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora da Soledade, Nossa Senhora das Angústias, Nossa Senhora das Lágrimas, Nossa Senhora das Sete Dores, Nossa Senhora do Calvário ou ainda Nossa Senhora do Pranto, e invocada em latim como Beata Maria Virgo Perdolens, ou Mater Dolorosa) é um dos plúrices títulos pelos quais a Igreja Católica venera a Virgem Maria, sendo sob essa designação particularmente cultuada em Portugal.


História


O culto à Mater Dolorosa iniciou-se em 1221, no Mosteiro de Schönau, na Germânia. Em 1239, a sua veneração no dia 15 de Setembro teve início em Florença, na Itália, pela Ordem dos Servos de Maria (Ordem Servita). Deve o seu nome às Sete Dores da Virgem Maria:



  • As profecias de Simeão sobre Jesus (Lucas, 2, 34-35)


  • A fuga da Sagrada Família para o Egipto (Mateus, 2, 13-21)
  • O desaparecimento do Menino Jesus durante três dias (Lucas, 2, 41-51)
  • O encontro de Maria e Jesus a caminho do Calvário (Lucas, 23, 27-31)
  • Maria observando o sofrimento e morte de Jesus na Cruz (João, 19, 25-27)
  • Maria recebe o corpo do filho tirado da Cruz (Mateus, 27, 55-61)
  • Maria observa o corpo do filho a ser depositado no Santo Sepulcro (Lucas, 23, 55-56)


 Culto



Nossa Senhora das Dores - Pirenópolis - Goiás - Brasil

Nossa Senhora das Dores – PirenópolisGoiás – Brasil

Em Pirenópolis é venerada na Semana Santa, com o Setenário, e procissão.


Em Mantenópolis é venerada no dia 15 de setembro, a festa começa no mês de agosto com a peregrinação com a imagem de Nossa Senhora das Dores pelas comunidades da Paróquia, iniciado pela comunidade São Geraldo e indo até o municipio de Alto Rio Novo, que tambem faz parte da paróquia. Cada comunidade leva até a comunidade vizinha até o dia 15 de setembro, quando a imagem desce em Carreata desde o municipio de Alto Rio Novo até Mantenopolis, onde há uma Missa que é presidida pelo bispo de São Mateus finalizando a novena, logo após a Missa ha uma apresentação artistica de cantores contratados pela paróquia.


É venerada no dia 15 de Setembro, sendo o santo patrono da Eslováquia, do estado norte-americano do Mississípi, dos municípios brasileiros Juazeiro do Norte, Juquitiba em São Paulo, Januária ,Caruaru, Mantenópolis e Limeira e das comunas italianas de Accumoli, Mola di Bari, Paroldo e Villanova Mondovì.


É também alvo de particular culto na Malta e em Espanha (sendo orago dos seguintes municípios: Alanís, Albuñuelas, Alhama de Granada, Arévalo, Ayamonte, Blanca, Cobisa, Cuenca, Granada, Guadix, Güevéjar, Lodosa, Luzaga, Medina del Campo, Uclés, Vera, Villarramiel e Villatuelda).



[editar] Orago


Em Portugal, é o orago de diversas freguesias, sob as seguintes invocações:











Nossa Senhora
das Dores



Nossa Senhora
das Angústias



Nossa Senhora
da Piedade



Nossa Senhora
da Soledade



Nossa Senhora
do Pranto




[editar] Iconografia



Virgem das Angustias, em Ayamonte, Espanha

Virgem das Angustias, em Ayamonte, Espanha

Nossa Senhora das Dores surge representada sendo ferida por sete espadas no seu coração imaculado, dado ter sido trespassada por uma «espada de dor», aquando da Paixão e Morte de seu Filho, unindo-se ao seu sacríficio enquanto redentor e sendo por isso chamada pelos teológos de Corredentora do Género Humano. É também seu símbolo o Rosário das Lágrimas (ou Terço das Lágrimas), com 49 contas brancas divididas em sete partes de sete contas cada. Aparece também frequentemente representada com uma expressão dolorida diante da Cruz, contemplando o filho morto (donde nasceu o hino medieval Stabat Mater), ou então segurando Jesus morto nos braços, após o seu descimento da Cruz (dando assim origem à temática das Pietà

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *