A origem dos cordados

Os cordados (Chordata, do latim chorda, corda) constituem um filo dentro do reino Animalia, que inclue os vertebrados, os anfioxos e os tunicados. Estes animais são caracterizados pela presença de uma notocorda, um tubo nervoso dorsal, fendas branquiais e uma cauda pós-anal, em pelo menos uma fase de sua vida. Os cordados compartilham características com muitos animais invertebrados sem notocorda, quanto ao plano estrutural, tais como simetria bilateral, eixo ântero-posterior, celoma, metamerismo e cefalização.


Os cordados, juntamente com dois outros filos, o Hemichordata e o Echinodermata, formam o grupo dos deuterostômios (Deuterostomia), ligados por diversos aspectos embrionários peculiares, na forma de suas larvas, pelo desenvolvimentos das aberturas embrionárias e do celoma. Internamente os cordados são divididos em três subfilos: Urochordata, Cephalochordata e Vertebrata, principalmente com base nas características da notocorda. Nos urocordados, o estágio larval têm notocorda e tubo neural, ambas desaparecendo no estágio adulto. Os cefalocordados têm notocorda e tubo neural, mas sem vértebras. Já nos vertebrados, exceto nas feiticeiras (Myxini), a notocorda foi reduzida e o tubo neural foi circundado por uma coluna vertebral cartilaginosa ou óssea.


As relações filogenéticas dos cordados ainda não são bem compreendidas, existindo vários esquemas classificatórios conflitantes. Muitas de suas classes são parafiléticas, não atendendo as exigências da cladística, onde somente táxons monofiléticos são reconhecidos como entidades taxonômicas válidas. Ecologicamente, os cordados estão entre os animais mais facilmente adaptáveis e são capazes de ocupar a maioria dos habitats existentes.







Índice

[esconder]



[editar] Características


Dentre as principais características dos animais cordados se encontram:



  • Simetria bilateral;
  • Corpo segmentado;
  • Três camadas germinativas;
  • Celoma bem desenvolvido;
  • Notocorda presente em algum estágio do ciclo da vida;
  • Tubo nervoso dorsal único (porção anterior do tubo nervoso, em geral alargada para formar um encéfalo);
  • Bolsas faríngeas presentes em algum estágio do ciclo da vida; em cordados aquáticos ela se desenvolve em fendas faríngeas;
  • Cauda pós-anal normalmente projetando-se além do ânus em algum estágio, mas pode ou não persistir;
  • Músculos segmentares dispostos em um tronco não-segmentado;
  • Coração ventral, com vasos sanguíneos, dorsais e ventrais; sistema circulatório fechado;
  • Sistema digestivo completo;
  • Endoesqueleto cartilaginoso ou ósseo presente na maioria dos membros (vertebrados).


[editar] Origens e Evolução


A origem dos cordados ainda é desconhecida. Os primeiros cordados identificáveis são espécimens semelhantes à peixes ou lanceolados do período Cambriano. A maioria das especulações sobre sua origem assenta-se em uma ou mais destas categorias:



  • um animal semelhante á um verme que desenvolveu um corpo achatado e/ou nadadeiras para nadar;
  • um filtrador tubular séssil que evoluiu em um animal de vida livre com nadadeiras;
  • uma larva natante que manteve as nadadeiras no estágio adulto.




[editar] Classificação


O filo Chordata subdivide-se em três subfilos: Urochordata, Cephalochordata e Vertebrata. A classificação destes dois subfilos está baseada na posição da notocorda no corpo do animal: Urochordata, apresenta o notocórdio na cauda e somente na fase larval; nos Cephalochordata, ela se estende por todo o corpo, persistindo até a fase adulta. Ambos são considerados animais invertebrados. Os Vertebrata caracterizam-se pela presença de vértebras e pelo desenvolvimento do crânio.


As interrelações entre os três filos ainda é incerta. Os organismos classificados como Urochordata e Cephalochordata podem ser agrupados no clado Protochordata *, assim como os cefalocordados e os vertebrados podem ser agrupados no grupo Euchordata.


Tradicionalmente, os cefalocordados são considerados como os parentes vivos mais próximos dos vertebrados, com os tunicados representando a linhagem primitiva dos cordados (Quadro 1). Esta visão, é principalmente suportada por similaridades morfológicas e pelo aumento aparente de complexidade nos cefalocordados e vertebrados em relação aos tunicados.

Quadro 1 – Visão tradicional dos cordados:
<==o Chordata
|– Urochordata
`–+– Cephalochordata
`– Vertebrata

Entretanto, análises cladísticas combinando RNAr e dados morfológicos demonstraram um novo clado, o Olfactores, formado por tunicados e vertebrados (Quadro 2).

Quadro 2 – Esquema baseado nos achados de Delsuc et al.,2006:
<==o Chordata
|– Cephalochordata
`–o Olfactores
|– Urochordata
`– Vertebrata


[editar] Notas



[editar] Referências



  • HICKMAN, C. P.; ROBERTS, L. S.; LARSON, A. Princípios Integrados de Zoologia. Rio de Janeiro: GuanabaraKoogan, 2004.
  • POUGH, F. H.; JANIS, C. M.; HEISTER, J. B. A Vida dos Vertebrados. São Paulo: Atheneu, 2003.
  • DELSUC, F.; BRINKMANN, H.; CHOURROUT, D.; PHILIPPE, H. (2006). Tunicates and not cephalochordates are the closest living relatives of vertebrates. Nature Letters 439: 965-968.
  • HOLLAND, P. (2006). My sister is a sea squirt?. Heredity 96: 424-425.
  • ZHENG, L; SWALLA, B. J. (2005). Molecular phylogeny of the protochordates: chordate evolution. Can. J. Zool. 83: 24-33.


[editar] Ligações externas


Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *