Animais bicamento das penas

Antes de abordarmos o bicamento das penas propriamente dito, é necessário que saibamos que as penas têm funções importantes como a termorregulação e vôo, sendo que animais com deficiência ou ausência de empenamento têm estas capacidades diminuídas ou até mesmo podem estar ausentes.


Os problemas referentes ao empenamento, podem estar relacionados com a deficiência ou desequilíbrio dietético, iatrogênicos (causados pelo médico veterinário), ou pode ser causada por condição patológica e psicogênica ligada ao cativeiro. É problema comum, tendo uma infinidade de possibilidades ou patologias envolvidas em seu curso.











Bicamento das Penas Bicamento das Penas








Bicamento das Penas

Alguns sinais mais importantes ou comumente encontrados são penas quebradiças e hemorrágicas, friáveis, várias penas afetadas em locais distintos, com conformação anormal, falta de crescimento, e penas destruídas. Todos estes sintomas diferenciados devem ser utilizados para o fechamento do diagnóstico clínico para bicamento das penas.


A manutenção de aves em recintos pequenos, bicamento das penas por um companheiro de recinto seja ele da mesma ou espécie diferente. O autobicamento só pode ser realizado em penas nas quais a ave alcance; penas inacessíveis são arrancadas por companheiros ou outras aves. Como citado no início deste texto, a frustração, tédio, territorialidade, malnutrição, doenças subjacentes, foliculite, desequilíbrio endócrino, inflamação de saco aéreo, parasitas das penas ou da pele, superlotação, estresse e dominância do companheiro de gaiola bicador são as principais causas desta alteração.









Comportamento Masturbatório

Tenho observado um aumento dos casos nas épocas reprodutivas. Frustração reprodutiva das aves criadas como animais de estimação ou pet é uma das causas, muito comum em cacatuas. A ave pode apresentar um comportamento de corte com o próprio dono. A ave geralmente voa até o proprietário literalmente “gruda” em seus cabelos e inicia comportamento masturbatório. A regurgitação também é comum. Esta relação afetiva se torna tão forte, que a presença de uma nova ave, outro animal doméstico, ou até mesmo o estado emocional do proprietário, podem afetar diretamente o psicológico ou emocional da ave.


A determinação da causa e seu controle geralmente são frustrantes e difíceis, consumindo tempo e dinheiro do proprietário. Os clientes devem estar cientes da dificuldade diagnóstica, sempre trabalhando em conjunto com o médico veterinário e nunca contra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *