Aspectos imunologicos e parasitologicos





























Autor: Doralice de Souza Luro Balan
[pt] Verificação de alguns aspectos imunologicos e parasitologicos em Biomphalaria Tenagophila (D Orbigny, 1835) infectada por trematodeos digeneticos
Instituição de Defesa: Universidade Estadual de Campinas . Instituto de Biologia
Data de Defesa: 1990-06-18
Resumo: [pt] Considerando-se os resultados que obtivemos na Investigação de alguns aspectos Imunológicos e parasitológicos em BIomphalaria tenagophila infectadas por trematódeos digenéticos.,admitimos que: B. tenagophila capturados no campo, em tanques de piscicultura, foram encontradas parasitadas, sempre em infecção única, por furcocercárias Iongifurcadas sem ocelo, furcocercárias Iongifurcadas com ocelo, equinostomocercárias ou xifidiocercárias. Nos moluscos superinfectados com S. mansoni, não foram encontradas reações amebocitárias em torno dos esporocistos degenerados de Schistosoma mansoni. Sugerimos que isso pode indicar que não houve participação direta dos amebócitos na destruição da .larva do S. mansoni e que possivelmente fatôres da hemolinfa (excluindo-se as células), estariam envolvidos na destruição ao parasita. Os valores de proteína total da hemolinfa, mostraram-se maiores nos moluscos B. tenagophila sem infecção mantidos em laboratório, quando comparados com os capturados no campo livres de infecção por trematódeos. Esses valores não estão aumentados nos caramujos de campo naturalmente parasitados, ou mesmo aos caranguejos experimentalmente infectados com S. mansoni. O número de amebócitos da hemolinfa estava elevado em todos os grupos de moluscos infectados em comparação com 0s moluscos do grupo controle sem Infecção. Obtivemos maior atividade fagocitária dos amebócitos dos caramuJos parasitados principalmente naqueles parasitados por xifidiocercárias. Admitimos que o parasitismos poderiam funcionar ativando as células fagocíticas. – Na emolinfa dos vários grupos estudados demonstramos que houve Identidade antigênica total. As imunodifusões mostraram sempre ao menos 3 linhas de precipitação no gel formando 3 sistemas precipitantes diferentes. Os resultados obtidos na imunoeletroforese permitiram-nos afirmar que,existem diferenças qualitativas e quantitativas na hemolinfa dos moluscos parasitados e não parasitados. As diferenças parecem ter características específicas dependente do tipo de Infecção apresentada
Titulação: Mestre em Ciencias Biologicas
Contribuidor(es): Luiz Augusto Magalhães [Orientador]
Luiz Augusto Magalhães
Assuntos: [pt] Biologia
[pt] Parasitologia
Documentos Digitais: Download Arquivo

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *