Atividade antimicrobiana de desinfetantes comerciais para uso em odontologia





























Autor: Aline de Barros Nobrega Dias Pacheco
[pt] Atividade antimicrobiana de desinfetantes comerciais para uso em odontologia
Instituição de Defesa: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Odontologia de Piracicaba
Data de Defesa: 2003-12-05
Resumo: [en] The present study evaluated the disinfecting efficacy of eleven commercial disinfectants (Ajax®, Kalipto®, Cif Gel®, Lysol®, Pinho Sol®, Clorox X-14®, Lysoform®, Pratice Gel Clorado®, Pinho Bril®, Brilhante Clorogel fresh® and Álcool 70%) during fractioning or immersion. Pieces of sterilized stone (granite) 5 x 5 cm, were immersed in Petri dishes containing 15 mL of bacterial suspension (108 cfu/mL of Staphy/ococcus aureus, Streptococcus mitis, Streptococcus sanguis, Bacillus subtilis, Candida a/bicans and one spore (Bacillus subtilis). The stones were immersed in each inocula during 1 min. The stones were divided in two groups. The first group were divided into two groups: transferred to Petri dishes containing 15 mL of nom-diluted disinfectant (experimental group 1) or 15 mL of sterile saline (control group 1) where they were submerged in each substance during O (immediately removed), 0.5, 1, 2 or 10 minutes. The second group was divided into two groups: a sterile gauze was immersed in 1 mL of the nom-diluted disinfectant (experimental group 2) or in 1 mL of sterile saline (control group 2). These gauzes were rubbed on the surface of the stones previously exposed to the bacterial suspension (108 cfu/mL of each inocula). After O (immediately after the friction), 0.5, 1, 2 and 10 minutes, a sterile swab soaked in 0.1 mL of sterile saline was rubbed on the surface of stones and inoculated on BHI agar. The plates were incubated in aerobiosis at 37°C or with partial pressure of 10% of CO2, during 24 hours and classified. Also, the minimum inhibitory and bactericide concentration (MIC and MBC, respectively) considering each disinfectant and each inocula were determined. Ali disinfectants could be considered effective. Ali disinfectants showed better disinfection when used in immersion than in friction. The efficacy was dependent on time for some disinfectants and it was not proportional to the disinfectant s price
[pt] Este trabalho analisou a atividade antimicrobiana de onze desinfetantes disponíveis no mercado brasileiro (Ajax®, Kalipto®, Cif Gel®, Lysol®, Pinho Sol®, Clorox X-14®, Lysoform®, Pratice Gel Clorado®, Pinho Bril®, Brilhante Clorogel fresh® e Álcool 70%) para uso em superfície. Amostras de pedra granito, medindo 5 x 5 cm, esterilizadas, foram imersas por 1 minuto em placas de Petri autoclavadas contendo 15 mL de suspensão bacteriana a 108 ufc/mL de Staphy/ococcus aureus, Streptococcus mitis, Streptococcus sanguis, Bacillus subtilis, Candida a/bicans e esporo de Bacillus subtilis. Na desinfecção por imersão, cada pedra foi transferida para uma placa de Petri autoclavada contendo 15 mL do desinfetante não diluído (grupo experimental) ou 15 mL de soro fisiológico estéril (grupo controle) permanecendo imersa no líquido por O (imediatamente retirada), 0.5, 1, 2 e 10 minutos. Na desinfecção por fricção, uma gaze estéril embebida em 1 mL de desinfetante não diluído (grupo experimental) ou 1 mL de soro fisiológico estéril (grupo controle) foi friccionada sobre a superfície da pedra exposta à suspensão bacteriana e foi aguardado O (imediatamente após a fricção) 0.5, 1, 2 e 10 minutos. Então, um “swab” estéril embebido em 0,1 mL de solução salina de cloreto de sódio a 0,9% foi friccionado na superfície exposta das pedras e, a seguir, inoculado em placa de Petri (9 cm de diâmetro) autoclavada contendo ágar infuso cérebro e coração (BHA – Merck). As placas foram levadas para estufa de aerobiose (37°C) ou com pressão parcial de CO2 a 10%, por 24 horas, e foram classificadas com base na estimativa do número de ufc. Todos os procedimentos foram feitos em duplicata. Também foi determinada a concentração inibitória e bactericida mínima para cada desinfetante. Os desinfetantes. Todos os desinfetantes foram considerados efetivos, sendo os desinfetantes à base de hipodorito de sódio os mais efetivos. Para vários desinfetantes testados a desinfecção por imersão foi mais efetiva que por fricção. A eficácia foi dependente do tempo de contato com o desinfetante para alguns agentes e não mostrou relação direta com o preço
Titulação: Doutor em Odontologia
Contribuidor(es): Thales Rocha de Mattos Filho
Fernando de Sá Del Fiol
Francisco Carlos Groppo
Pedro Paulo Barros
Pablo Agustin Vargas
Thales Rocha de Mattos Filho [Orientador]
Eduardo Dias de Andrade
Assuntos: [pt] Desinfecção e desinfetantes
[pt] Odontologia
Documentos Digitais: Download Arquivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *