Biólogo christian gottfried ehrenberg

Christian Gottfried Ehrenberg (19 de abril de 1795, Delitzsch27 de junho de 1876, Berlim) foi um biólogo e zoólogo alemão, sendo considerado um dos mais famosos e produtivos cientistas da sua época.



[editar] Vida


Ehrenberg estuda inicialmente Teologia, e depois Medicina e Ciências Naturais em Berlim, onde se torna amigo do famoso explorador Alexander von Humboldt. Em 1818, completa sua dissertação de doutorado sobre um fungo, Sylvae mycologicae Berolinenses. De 1802 a 1825, durante uma expedição científica ao Oriente Médio, coleta centenas de amostras de plantas e de animais. Visita certas regiões do Egito, o deserto da Líbia, o vale do Nilo e a costa norte do mar Vermelho, onde estuda mais detalhadamente os corais. Continua suas viagens pela Síria, Arábia e Abissínia. Certos resultados dessas viagens e importantes amostras são repertoriados por Humboldt em 1826. A seu retorno, Ehrenberg publica diversos artigos sobre as particularidades dos insetos e dos corais, bem como dois volumes Symbelae physicae (18281834), onde certas particularidades de mamíferos e de aves são repertoriadas. Outros comunicados são endereçados a sociedades científicas. Em 1829 ele acompanha Humboldt do leste da Rússia à fronteira chinesa. De volta à Alemanha, concentra-se no estudo de microorganismos microscópicos que, até então, jamais haviam sido estudados de maneira sistemática.


Durante aproximadamente 30 anos Ehrenberg examina amostras de água, de solo, de sedimentos e de rochas.


Ehrenberg é nomeado professor de Medicina na Universidade Humboldt de Berlim em 1827 e eleito membro da Royal Society de Londres em 1837. Em 1839, a Geological Society of London lhe condecora com sua mais alta recompensa, a medalha Wollaston. Ele também foi o primeiro titular da medalha Leeuwenhoek em 1877.


Após sua morte, suas coleções foram depositadas no Museum für Naturkunde da Universidade Humboldt de Berlim. A coleção Ehrenberg é composta de 40 000 preparados microscópicos, 5 000 amostras brutas, 3 000 desenhos a lápis e a tinta e uma correspondência de cerca de 1 000 cartas.



[editar] Publicações



  • Die Infusionsthierchen als vollkommene Organismen (2 volumes., Leipzig, 1838)

  • Mikrogeologie (2 volumes, Leipzig, 1854)

  • Fortsetzung der mikrogeologischen Studien, dans Abhandlungen der königlichen Akadademie der Wissenschaft (Berlin, 1875).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *