Brasil, inglesa esquartejada.

O Corpo de Bombeiros de Goiânia encontrou, às 10h40 desta quarta-feira (6), a última parte do corpo da jovem inglesa Cara Marie Burke, 17 anos, morta e esquartejada no fim de julho.


 


Segundo o capitão Emerson Divino, coordenador de operações do Corpo de Bombeiros, as buscas foram feitas no Ribeirão Sozinha, em Bonfinópolis (GO), a cerca de 30 quilômetros da capital de Goiás. “O ponto exato do trabalho foi feito a cerca de 250 metros das margens da rodovia GO-010.”


  


Na mesma região, na segunda-feira (4), foram encontradas dois braços e a cabeça que podem ser da jovem inglesa. No domingo (3), um desempregado achou uma perna esquerda. Até então, apenas o tronco da vítima havia sido encontrado dentro de uma mala, em 28 de julho. A bagagem estava jogada à beira de um rio, em Goiânia.


 


O delegado Jorge Moreira foi ao local do encontro e ratifica que Santos apresenta uma personalidade violenta e debochada. “Ele não respeita a vítima morta por ele mesmo. Ele enviou mensagens do celular para amigos e parentes depois de esquartejar a vítima. Além das mensagens, ele prometia enviar fotos que ele fez dos pedaços da vítima. Isso só fortalece o desprezo que ele tem pela vida dos outros.”


  


 



Moreira afirmou ainda que Santos não está arrependido, como disse em coletiva à imprensa nesta quarta-feira. “Em nenhum momento ele se mostrou com arrependimento pelo crime que cometeu. Ele nunca exteriorizou remorso pela forma como a vítima foi morta por ele”, disse o delegado.


 Última foto

A comerciante Cristiane Ferreira, 22 anos, uma das amigas da jovem Cara Marie Burke, 17 anos, em Goiânia, mostrou ao G1 a última foto que fez antes de a amiga ser morta no sábado (26). O retrato foi feito no aparelho celular de Cristiane quando passeavam em um shopping da capital de Goiás, na sexta-feira (25), um dia antes do crime.


 


“Ela adorava ir ao shopping para passear e olhar vitrines. Cara sempre comia sanduíches, batata frita e bebia muita Coca-Cola. Implorava para ser levada ao McDonald’s”, disse Cristiane, que é dona da lan house freqüentada pela vítima.


 


A comerciante disse que sente saudades do convívio com a jovem. Ela morava na região de Novo Mundo, bairro periférico de Goiânia, e passava boa parte do tempo com um grupo de meninas que conheceu no estabelecimento.


 


Cristiane revelou ainda que Cara gostava de tirar fotografias para colocar na página particular de um site de relacionamentos. “Ela também mandava fotos dela para conhecidos e para a família na Inglaterra.”




 Entenda o caso

Cara foi morta e esquartejada no fim de julho, em Goiânia. Mohammed DAli Santos, 20 anos, foi preso na quinta-feira, 31 de julho. Os policiais que o prenderam gravaram uma confissão do rapaz e ainda uma tentativa de suborno. Ainda de acordo com a polícia, ele voltou a confessar que matou a jovem em depoimento formal, na sexta-feira, dia 1º.

Os investigadores afirmam que Cara teria ameaçado contar à polícia e também à família de Santos que ele estaria envolvido com drogas. O rapaz teria dito, em depoimento preliminar, que matou a garota, foi a uma festa e, depois, esquartejou o corpo.

O tronco da jovem inglesa foi encontrado, dentro de uma mala, perto da BR-153, às margens de um rio. A arma usada no crime, uma faca, e luvas cirúrgicas foram encontradas pela polícia em um bueiro na rua onde mora o suspeito. O material foi levado para perícia.


       


         

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *