Bush celebra o cessar fogo e afirma que as regiões separatistas são da geórgia

O presidente dos EUA, George W. Bush, saudou neste sábado (16) o acordo de cessar-fogo assinado entre Rússia e Geórgia, depois do conflito iniciado na região separatista da Ossétia do Sul.


 


Falando a repórteres em seu rancho no Texas, Bush disse que foi feito “algum progresso” na situação da região e reiterou que a Rússia precisa retirar suas tropas imediatamente.


 


Segundo o presidente americano, as regiões separatistas da Abkházia e da Ossétia pertencem à Geórgia e “não há espaço para debate” sobre o assunto.


 


A secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice, disse que as forças russas devem “começar a se retirar rapidamente da Geórgia, agora que Moscou assinou um acordo de cessar-fogo”.


Acordo assinado


 


A Rússia confirmou neste sábado que o presidente Dimitri Medvedev assinou o tratado. O acordo, patrocinado pelo governo francês, já havia sido assinado pelos georgianos na sexta-feira e inclui o fim dos ataques e a retirada imediata das tropas russas do território georgiano. Mas ele não inclui a discussão do status das regiões separatistas.


 


Foto: Reuters Foto: Reuters




Funcionário georgiano ao lado dos destroços da ponte em Kaspi que teria sido destruída por tropas russas. (Foto: Reuters)


No entanto, a movimentação de tropas russas na Geórgia prosseguia neste sábado. O governo georgiano denunciou e testemunhas confirmaram que as tropas russas teriam destruído neste sábado em Kaspi, próximo à cidade de Gori, uma importante ponte que une as regiões leste e oeste da Geórgia. Os militares russos negam a autoria do atentado.



Segundo testemunhas, as tropas russas não permitem a passagem de nenhum automóvel entre Tbilisi e a cidade de Gori, próxima à fronteira com a Ossétia do Sul.


  


 





Mapa da Geórgia, destacando as regiões envolvidas na guerra. (Foto: Arte G1)


O famoso parque natural do desfiladeiro de Borjomi estava em chamas neste sábado após um bombardeio da aviação russa, denunciou o ministério georgiano das Relações Exteriores em um comunicado. 


 


Leia também: Geórgia manda prender presidente da Ossétia do Sul  


 


O presidente da Geórgia havia anunciado o acordo de paz na sexta, após reunião com Condoleezza Rice, que foi ao país negociar o cessar-fogo.


O presidente georgiano culpou o Ocidente por não ter reagido com força suficiente contra os movimentos militares anteriores da Rússia e por ter falhado em garantir sua entrada na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).


 


Ele disse que a Rússia é um “mal” para o mundo e que jamais aceitará a ocupação de “nem um quilômetro quadrado” do território de seu país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *