Cantores brasileiros beth carvalho

É filha de João Francisco Leal de Carvalho e Maria Nair Santos Leal de Carvalho, e irmã de Vânia Santos Leal de Carvalho. Seu contato com a música foi incentivado pela família, ainda na infância. Aos oito anos, ouvia emocionada as canções de Sílvio Caldas, Elizeth Cardoso e Aracy de Almeida, grandes amigos de seu pai, que era advogado. Sua avó Ressú tocava bandolim e violão. E sua mãe tocava piano clássico. Ainda fez balé e já na adolescência estudou violão, numa escola de música, acabando como professora de música. Morou em vários bairros do Rio e seu pai a levava com regularidade aos ensaios das escolas de samba e rodas de samba.



[editar] Carreira


A carreira de Beth Carvalho se originou na Bossa nova. No início de 1968 partipou do movimento Música nossa, que foi fundado pelo jornalista Armando Henrique, e pelo hoje, maestro Hugo Bellard. Os espetáculos eram realizados no Teatro Santa Rosa, em Ipanema, onde teve a oportunidade de gravar uma de suas canções “O Som e o Tempo”, no longplay do Música nossa. Nesta época ela gravou com o cantor Taiguara, pela gravadora Emi-Odeon.



[editar] Festivais


Aos dezenove anos fica em terceiro lugar no III Festival Internacional da Canção de 1968, com a canção Andança, sendo seus compositores Paulinho Tapajós, Danilo Caymmi e Edmundo Souto, vocal: Golden Boys, da TV Globo – Canal 4, do Rio de Janeiro, atual Rede Globo. Participou dos festivais de música das TV Excelsior, TV Record e TV Tupi. É estudiosa dos sambas brasileiros. Chegando a trabalhar com o legendário escritor e compositor Nelson Sargento. Em 1971, Beth era a supercantora da escola de samba Unidos de São Carlos, atual GRES Estácio de Sá, indo para a Estação Primeira de Mangueira, e se dedicando totalmente a verde e rosa, que são as cores da escola. Conheceu Jorge Aragão no bloco carnavalesco Cacique de Ramos . Onde cantava e desfilava animada, junto com o bloco. Jorge Aragão deu para ela gravar em 1977, a música Vou Festejar, que também é compositor Nelson Cavaquinho. Ela é um dos grandes nomes da Música Popular Brasileira, com dezenas de sucessos e participações importantes em diversos movimentos de apoio à música brasileira.



[editar] Turnês e descobertas


Fez turnês em Lisboa, Montreux, Paris, Madri, Atenas, Berlim, Miami e São Francisco. Nesses anos todos de carreira descobriu talentos, tais como Jorge Aragão, Almir Guineto, Luiz Carlos da Vila, Gracia do Salgueiro, Sombrinha, Arlindo Cruz, Quinteto em Branco e Preto, Zeca Pagodinho, Yamandú Costa e Alessandro Penezzi.



[editar] Composições e parcerias



  • “A velha porta” – com Edmundo Souto e Paulinho Tapajós
  • “Afina o meu violão” – com Paulinho Tapajós e Edmundo Souto
  • “Canção de esperar neném” – com Paulinho Tapajós
  • “Joatinga” – com Edmundo Souto e Paulinho Tapajós
  • “Sereia” – adaptação do folclore baiano.


[editar] Espetáculos



  • 1968 – III Festival Internacional da Canção – junto com o conjunto vocal Os Golden Boys – Maracanazinho, no Rio.
  • 1969 – Olimpíada da Canção – realizado na Grécia
  • 1969 – IV Festival Internacional da Canção – Maracanazinho, Rio de Janeiro.
  • 1979 – Show Beth Carvalho – no Cine Show Madureira, no Riode Janeiro
  • 1987 – Beth Carvalho ao vivo em Montreux
  • 1991 – Show de Beth Carvalho – na cidade de Olimpía, SP.
  • 1999 – Pagode de mesa – no Rio de Janeiro
  • 1999 – Esquina carioca com Walter Alfaiate, Moacyr Luz, Luiz Carlos da Vila, Nelson Sargento, Dona Ivone Lara – no Bar Pirajá, em São Paulo
  • 2000 – convidada para participar do Show de Jorge Aragão – no Olimpo, Rio de Janeiro
  • 2000 – Beth Carvalho e a bateria da Mangueira – no Olimpo, Rio de Janeiro.
  • 2000 – Pagode de mesa 2 – Tom Brasil, São Paulo
  • 2001 – Nome sagrado – Teatro Rival, Rio de Janeiro
  • 2003 – participação especial junto com Ademilde Fonseca no espetáculo “Alma feminina”, de Eliane Faria – Teatro Rival
  • 2003 – Beth Carvalho e grupo “A fina flor do samba” – Centro Cultural Carioca – Rio de Janeiro
  • 2004 – Riação convida Beth Carvalho – Projeto da idade do Mundo – Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília, DF
  • 2005 – Beth Carvalho e convidados – Almir Guinteto, Luiz Carlos da Vila, Zeca Pagodinho, Dudu Nobre, Dona Ivone Lara, Vó Maria e Jongo da Serrinha – Teatro Municipal do Rio de Janeiro, RJ
  • 2006 – Beth Carvalho – Teatro Municipal do Rio de Janeiro, RJ
  • 2006 – Beth Carvalho – Teatro do Sesi – Porto Alegre, RS – Projeto Samba no Teatro
  • 2006 – Beth Carvalho 60 anos – Canecão – Rio de Janeiro
  • 2006 – Beth Carvalho canta o samba da Bahia – Teatro Castro Alves – Salvador,BA
  • 2007 – Beth Carvalho canta o samba da Bahia – Canecão – Rio de Janeiro.


[editar] Curiosidades


É admiradora de Leonel Brizola, Fidel Castro,ex-presidente de Cuba, e de Hugo Chávez. É torcedora do Botafogo filiada ao PDT. Moradora do Condomínio Edifício Praia Guinle, no bairro de São Conrado, Rio de Janeiro.



[editar] Polêmicas


No carnaval de 2007 foi injustiçada pela diretoria da Mangueira,sua escola de coração. Com problemas na coluna, ela pediu um carro alegório e foi atendida. Mas no dia do desfile, Beth foi impedida de subir no carro, por um membro baluarte da Escola, que invocou o fato de ela não ser baluarte. Isso deixou Beth muito desapontada com os diretores da escola, pois no ano anterior, ela saiu no mesmo carro, autorizada por Alvinho, Presidente da Escola na época.



[editar] Bibliografia



  • ALBIN, Ricardo Cravo – Dicionário Houaiss Ilustrado da Música Popular Brasileira – Criação e supervisão geral Ricardo Gravo Albin – Edição Instituto Antonio Houassiss, Instituto Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006, RJ
  • MARCONDES, Marcos Antônio – Enciclopédia da música brasileira – erudita, folclórica e popular. 3ª edição – São Paulo – Arte Editora/Itaú Cultural/Publifolha – 1998.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *