Como lidar com a adolescência?

Quem está de fora não costuma imaginar o quanto é difícil essa fase. Basta um olhar para o passado de quem é adulto hoje para sentir na pele essa realidade comum a todos os humanos.
Frases do tipo: “Não tenho tempo para aborrecente”, ou “Adolescente é insuportável”, essas frases são comuns, que rodeiam o mundo dos adultos. Nessa fase repleta de alterações físicas, psíquicas e sociais que seguem com as mudanças corporais e autonomia de identidade fazem parte da vida do adolescente, que para uns, pode ser um verdadeiro terror, que muitas vezes reflete nas suas atitudes verdadeiras, que costumam ser criticadas pelos padrões modernos da sociedade. Nessa fase o adolescente não se reconhece mais como criança, nem como adulto – perdendo-se nessa linha intermediária na qual procura compreender quem ele é, qual o seu papel na sociedade em que vive, essa busca por identidade, o leva na maioria das vezes a transgredir a usar padrões não muito comuns, a desafiar autoridades e regras, como um caminho para se estabelecer como indivíduo.
Nessa fase, ficam rebeldes, respondem os pais com facilidade, enfim.
É uma fase em que ele(o adolescente) se encontra vulnerável, por isso é importante atenção, carinho e o cuidado dos pais ao observar o que está fazendo, com quem está andando, os grupos que gosta, para uma posterior orientação, seguido de muito diálogo, como já disse anteriormente.
Consumidores em larga escala de internet, celulares, roupas de marca/da moda, apreciadores de música em excesso, vale lembrar que não é apenas o seu filho que age assim, essas atitudes são comuns a todos os adolescentes, pois fazem parte da fase típica da qual estão passando.Vale a pena ressaltar a questão do limite e da liberdade assistida, mas sem exagero, é claro, pois o diálogo aberto, franco e amigo é a melhor coisa para esse momento. Tabus e preconceitos devem ser totalmente eliminados, acredite, passa! e essa fase também passará.
Após os 18 anos essa fase tende a mudar. Antes disso, para que ela passe tranquila, o mais importante é reunir laços de amor entre pais e filhos, pois essa será a ponte o importante entre você e o seu filho, um caminho livre…
Somente dessa forma seu filho se sentirá mais seguro e aliviado. E o mais importante: não deixará traumas, e tornará a convivência da família mais prazerosa e mais feliz!

Waléria Gomes (pedagoga)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *