Comunicação visual para feiras de negócios

COMUNICAÇÃO VISUAL PARA FEIRAS DE NEGÓCIOS

Aprtesentação

Mercado de feiras e eventos de negócios cresce e gera oportunidades em diferentes áreas de suporte.

Nos últimos anos, o Brasil tornou-se uma espécie de meca das feiras de negócios. Elas proliferam pelo país afora. Segundo dados da União Brasileira dos Promotores de Feiras (Ubrafe), são realizadas cerca de 160 feiras por ano. Há uma década eram apenas 56. A Ubrafe estima que só os negócios relacionados a organizações de feiras movimentem aproximadamente 3,2 bilhões de reais por ano. Se somados aos demais negócios que giram ao redor do setor, o faturamento sobe a 37 bilhões de reais.

Como a tendência é de que o mercado continue a crescer, há muitas oportunidades para empresas que prestem serviços para o mundo dos eventos. A especialização é um bom caminho para quem pretende investir no ramo. É possível montar negócios que ofereçam serviços de recepção, limpeza, segurança, tradução simultânea e comunicação visual, entre outros.

Há áreas, no entanto, que exigem investimento muito alto em equipamentos, pessoal e estrutura da empresa, como é o caso da montagem de estandes para feiras. Mas há espaço também para negócios de comunicação visual que, embora não exijam capital inicial muito alto, requerem conhecimento técnico e investimento em qualidade.

CERTIFICADO – Em geral, os clientes são os expositores das feiras e organizadores de eventos. A empresária Sirlene Marcelino, dona da Aresta Comunicação Visual, de São Paulo, com 11 anos de mercado, conta que o principal diferencial do negócio é oferecer muito mais do que a confecção de faixas, banners e placas. Ela se encarrega também da instalação das peças. E diz que é essencial acompanhar todas as etapas do trabalho.
É o tipo de atividade que normalmente enfrenta imprevistos e exige providências de última hora, informa Sirlene. Ela acredita que é essencial ter estoque extra para suprir pedidos emergenciais, além de contar com uma equipe bem treinada de funcionários, que estejam acostumados a trabalhar sob pressão. “Quando o cliente vê o estande montado, muitas vezes acha que outra faixa ou letreiro poderia ficar melhor”, afirma. Ou seja, jogo de cintura também é um requisito para o empreendedor do ramo.

Outro ponto importante é trabalhar dentro do orçamento de que o cliente dispõe. “Na maioria das vezes, o expositor não consegue bancar o estande dos seus sonhos e isso pode trazer problemas para quem executa o serviço”, explica Sirlene.

O empreendedor novato no ramo deve ter experiência na área de eventos, de acordo com a empresária. Uma dica: o Sindicato das Empresas de Promoção, Organização e Montagem de Feiras, Congressos e Eventos do Estado de São Paulo (Sindiprom) criou o Certificado de Capacitação de Montadoras e Prestadoras de Serviços para Eventos (Cecam). A iniciativa permite que as empresas expositoras, público-alvo dos prestadores de serviços para feiras, possam identificar fornecedores que lhes inspirem seriedade. Portanto, prestadores de serviços que possuem o certificado largam na frente na disputa por bons clientes.

Um alerta: a sazonalidade do mercado é alta. Nos primeiros e últimos meses do ano, o movimento cai significativamente, segundo Sirlene. Para contornar o problema, é fundamental administrar bem o fluxo de caixa para poder pagar os custos fixos sem problemas.

Investimento Inicial

Conforme a estrutura do empreendimento, o valor estimado, para o empreendedor iniciar esse tipo de negócio, pode ficar em torno de: R$ 26.000 (computador para trabalhar com imagens, plotter e scanner).

Exige ainda: telefone, fax, computador e utilitário

– Área: 50 m2
– Capital de giro: R$ 3.000
– Funcionários: 2 (o dono e 1 assistente)
– Prazo de retorno: 12 meses

Legislação

– Os passos para registrar uma empresa prestadora de serviços

Veja também

– Os riscos da informalidade
– Qualidades do Empresário de Sucesso

Plano de Negócio

Sugerimos sua participação no Programa Negócio Certo.

O Negócio Certo é um programa de Auto-Atendimento oferecido pelo SEBRAE/SC gratuitamente, por meio digital ou material impresso, especialmente destinado as pessoas que buscam orientações práticas sobre planejamento, abertura e gestão de novos negócios.

Neste programa você acessa um Banco de Idéias de Negócios com informações sobre 500 diferentes negócios voltados para o ambiente de micro e pequenas empresas e às tendências atuais do mercado, considerando investimentos compatíveis ao perfil de negócio do cliente.

Além da internet o Programa Negócio Certo Sebrae, disponibilizará as informações em:

– estações de auto-atendimento nas agências do Sebrae em Santa Catarina;
– em CD Rom,
– em material impresso que podem ser solicitados através do 0800-6430401

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *