Condições necessárias à realização da fotossíntese




















Compreende porque é que uma planta precisa de água e luz do sol para viver e conhece todos os factores que ela necessita para conseguir fabricar os seus alimentos.


Coordenação de Maria Carlos Reis


Quais as condições necessárias à realização da fotossíntese?


A água e os sais minerais são indispensáveis à vida da planta. A clorofila é essencial, pois é responsável por captar energia luminosa, sem a qual a fotossíntese não ocorreria. Mas existe ainda um outro factor necessário à realização da fotossíntese – o dióxido de carbono.

Como já sabes, o dióxido de carbono é um dos gases que entram na composição do ar que respiras, assim como o oxigénio, o azoto e o vapor de água, pois o ar é uma mistura de vários gases.


Pode, então, ser concluído que uma planta, para realizar fotossíntese, necessita de:

– energia luminosa (luz solar);

– dióxido de carbono;

– clorofila;

– água com sais minerais dissolvidos.


Para verificares a importância destes quatro factores podes realizar uma experiência, com a ajuda dos teus pais ou professor:


EXPERIMENTECA/ESPAÇO DE EXPERIÊNCIAS


Condições necessárias à realização da fotossíntese
Material:

– três plantas verdes aquáticas, como o agrião
Cogumelos (seres vivos do reino dos fungos, sem clorofila)

– quatro tubos de ensaio e um suporte

– água fervida (água sem dióxido carbono)

– água gaseificada (água com dióxido de carbono e sais minerais)

– azeite

– caixa de cartão

– solução de bromotimol (indicador da presença de dióxido de carbono, pois se a água tiver este gás dissolvido, fica amarela quando se adicionam algumas gotas desta solução)


Procedimento:

– Coloca no tubo A uma planta e água fervida; no tubo B e D uma planta e água gaseificada e no tubo C os cogumelos e água gaseificada, sempre de modo a que a água cubra totalmente as plantas e os cogumelos;

– Adiciona aos quatros tubos umas gotas de bromotimol e cobre cada um deles com um pouco de azeite, para isolar o conteúdo dos tubos do ar;
Coloca os tubos A, C e D à luz e o tubo B às escuras, dentro da caixa de cartão;

– Aguarda 48 horas e compara os resultados entre as diferentes montagens.


Que conclusões é possível tirar? Porque é que apenas a montagem D mudou de cor?


Quando adicionaste umas gotas de bromotimol a todas as montagens pudeste verificar que:

– no tubo A não ocorreu qualquer alteração, pois tinha água fervida, que não contém dióxido de carbono dissolvido;

– a água de todos os outros tubos ficou amarela, o que indica a presença de dióxido de carbono. Esta mudança de cor já era de esperar, uma vez que a água gaseificada possui dióxido de carbono dissolvido.


Passadas 48 horas, apenas no tubo D a água perdeu a cor amarela junto à planta. Os resultados finais da experiência podem ser explicados do seguinte modo:

– no tubo A não havia dióxido de carbono (porque a água era destilada) e por isso não ocorreu fotossíntese, pelo que não se regista nenhuma diferença;

– o tubo B ficou às escuras. Sem luz também não ocorre fotossíntese e por isso não são encontradas diferenças após as 48 horas de duração da experiência;

– no tubo C, não havia uma planta verde, mas um organismo sem clorofila, o que impossibilitou a realização de fotossíntese e por isso não foram verificadas diferenças entre o momento inicial e o final da experiência;

– finalmente, no tubo D estavam reunidas todas as condições para a realização da fotossíntese – luz, água com sais minerais; clorofila e dióxido de carbono. Por isso a planta fez fotossíntese, utilizando o dióxido de carbono que estava dissolvido na água. É por este motivo que a água perdeu a cor que o indicador lhe tinha dado, pois perdeu parte do dióxido de carbono inicial.

ACTIVIDADE PROPOSTA


Sugere aos teus pais ou professor uma visita a uma estufa e observa como é que os trabalhadores criam as plantas. Descobre como é que eles utilizam a luz, a água e outros elementos, para que as plantas cresçam mais rapidamente.


CAIXA DE INFORMAÇÃO


Determinadas plantas, as de folha caduca, em certas regiões do planeta, quando o Verão termina e começa o Outono, com dias cada vez mais curtos, percebem que têm de se preparar para o Inverno. Nesta estação não há luz suficiente para fazer fotossíntese. As plantas vão descansar e vão viver das reservas que acumularam durante o Verão. A clorofila verde desaparece das folhas e por isso começamos a ver as folhas adquirirem tonalidades amareladas e depois vermelhas e castanhas. Quando isto acontece é porque elas perderam totalmente a capacidade de realizar fotossíntese. Depois de algum tempo as folhas acabam por cair.


As plantas de folha persistente, apesar de possuirem folhas especiais, resistentes ao frio, também param de fotossintetizar e passam o Inverno a descansar, como as outras plantas.


Para comprovares a importância da luz do sol realiza a seguinte experiência com a ajuda dos teus pais ou professor:


EXPERIMENTECA/ESPAÇO DE EXPERIÊNCIAS

A fotossíntese nas folhas

Material:

– Planta de casa num vaso

– Folhas de papel de alumínio

– Copo com alcóol

– Copo com água iodada (mistura de água com iodo, que se utiliza para detectar a presença de amido, pois quando entra em contacto com este açúcar a solução adquire uma cor rouxa)


Procedimento:

– Deixa a planta 2 dias no escuro;

– Após este período, coloca-a novamente à luz, mas com algumas folhas totalmente cobertas com folhas de alumínio, outras parcialmente cobertas e as restantes totalmente descobertas;

– Ao fim de seis dias retira o papel de alumínio e regista as tuas observações.


O que é que se pode observar?

Será de esperar que apenas as zonas expostas à luz solar façam fotossíntese, produzindo substâncias orgânicas, sendo a mais importante o amido. Para que isto possa ser comprovado segue o novo procedimento:

– Retira da planta três folhas nas seguintes condições:

. uma que tenha estado totalmente exposta à luz – folha A;

. uma que tenha estado parcialmente envolvida no papel de alumínio – folha B;

. uma que tenha estado completamente envolvida no papel de alumínio – folha C;

– Mergulha as três folhas em álcool muito quente durante alguns minutos, para extrair a clorofila;

– Retira as folhas do álcool e lava-as com água fria;

– Mergulha-as em água iodada;

– Regista as tuas observações.


O que é que aconteceu ou não aconteceu nas diferentes zonas das folhas (cobertas e descobertas)?


Verifica-se que a folha A ficou totalmente rouxa, a planta B ficou apenas parcialmente e a planta C não mudou de cor. Se a água iodada detecta a presença de amido, passando para uma cor arroxeada, isto significa que a folha A e metade da folha B contém amido, enquanto a folha C não. Se todas elas ficaram no escuro durante uns dias, este amido detectado é amido que foi produzido durante os seis dias seguintes.


Para que estas conclusões possam ser tiradas é essencial que a planta tenha permanecido alguns dias no escuro, pois só assim ela gasta todas as suas substâncias de reserva. Por falta de luz a planta não fabrica alimento e, por isso, as substâncias que são detectadas no final foram obrigatoriamente produzidas após o período de escuridão.


Conclui-se, assim, que apenas as zonas que receberam luz produziram amido, ou seja, toda a folha A e parte da folha B.


VOCABULÁRIO

. Planta de folha caduca – planta em que as folhas caem todos os anos, todas ao mesmo tempo, deixando a planta nua.
. Planta de folha persistente – planta em que as folhas caem, mas são sempre substituídas, de modo a que a planta nunca fica sem folhas.
. Amido – hidrato de carbono fabricado pela planta através da fotossíntese.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *