Definição para emoções

EMOÇÕES
Busca:

Psicanálise, Psicologia,Parapsicologia, Psicoembriologia, Regressão de Memória, Terapia psicanalítica, Terapia psicológica, Terapias alternativas, Terapia corporal, emoções, ansiedade, estresse, stress, medo de dirigir, problemas conjugais, problemas financeiros, problemas no trabalho, dificuldade de relacionamentos, dificuldades para dormir, insônia, obesidade, culpa, terapia de casal, mente humana, separação, traição, timidez, violência, medos, fobias, gravidez adolescente, drogas, alcoolismo, desequilíbrio emocional, pressão emocional, ciúme, depressão, perda de entes queridos, sequestro, violência domestica, acompanhamento gestacional, falta de concentração, falta de paciência, irritabilidade, cansaço excessivo, falta de disposição, exercícios mentais, somatização, doenças psicossomáticas, frustração, ódio, síndrome do pânico, angústia, inveja, sexualidade, inconsciente, neurose, bipolaridade, regressão de memória, laboratório da mente, relaxamento emocional, doações.

EMOÇÕES

O nome Emoção significa “movimento para fora” e descreve o efeito visível das emoções na nossa musculatura.

Cada emoção tem um comportamento muscular:

Na alegria, é de expansão.

No prazer, é de compartilhamento.

Na tristeza, é de encolhimento.

Na raiva, é de agressão.

No medo, é de contração.

Há trinta anos, um novo ramo da Ciência começou a ser desenvolvido, pelo qual passou-se a entender como os processos mentais se transformavam em emoções e comportamentos.

Como tudo o que acontece no sistema nervoso é levado para todas as células do organismo, ficou claro que cada célula sabe o que se passa em todas as outras células do nosso corpo.

A produção de emoções vai influenciar, portanto, o estado de todo o nosso organismo pelas vias de comunicação mente/corpo e as células vão sentir e se comportar de acordo com o tipo de emoção que esteja predominando no momento.

Emoções prazerosas, que causam descontração, calma, alegria e felicidade, fazem muito bem para o nosso organismo.

Emoções desprazerosas, que levam a um estado de tensão, infelicidade e medo, fazem com que as células funcionem deficientemente, despendendo e desperdiçando energia para seu reequilíbrio, o que afeta seu rendimento normal e conseqüentemente conduz à doença.

As moléculas das doenças que produzimos pelos nossos pensamentos (e que são criados a todo instante) vão influenciar e determinar o estado de saúde ou de doença do nosso organismo.

Por isso, o ideal é termos pensamentos bons na maior parte do tempo para que nosso corpo seja sempre saudável.

Não se acostume com a dor, nem se acomode com a miséria: não entre para o círculo dos acomodados. Lembre-se: a Terra é redonda e, nas muitas voltas que ela dá, você pode mudar de lugar, ganhar ou perder, começar e terminar muita coisa.

Então, é importante (eu diria fundamental) manter o espírito de luta, com a certeza de que sempre se pode fazer melhor, não importando o que você resolveu fazer.

Sempre é possível melhorar algo, seja ela física ou espiritual: relacionamento familiar, amizades, trabalho, notas na escola, salário, auto-estima…

Não se limite, não fique de braços cruzados olhando o navio de cruzeiro levando pessoas como você para a viagem dos seus sonhos.

Lute, lute mais um pouco, esforce-se mais!

Concentre-se em seu ideal e esqueça os problemas, as barreiras, senão você não vence!

Se disserem impossível, responda simplesmente que é impossível porque ninguém fez ainda.

Se disserem que não é para você, responda que agora será!

Se disserem que você não é capaz, não acredite, mire-se no exemplo de quem fez e faz a diferença.

Se disserem chega, avance!

Se perguntarem como é que você conseguiu, diga que venceu seu pior inimigo: o desânimo.

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam se transformando em doenças como gastrite, úlceras, dores lombares, dores na coluna e obesidade. Com o tempo, a repressão dos sentimentos degenera até o câncer.

Quanto mais estudarmos o mundo sem compreendermos nossos anseios, exigências e conflitos emocionais, tanto mais complexo e insolúvel se tornará o problema da existência.

Quanto mais planejarmos e organizarmos nossa existência econômica, sem compreendermos nossas paixões, temores, despeitos, tanto mais conflito e confusão haverão de surgir.

O contentar-se com pouco resulta da compreensão de nossos problemas emocionais. Devemos eliminar inteligentemente aquelas exigências emocionais que encontram satisfação nas coisas, nas posições, na eficiência. Quando não procurarmos o poder e o domínio, quando deixarmos de ser egoístas, haverá a paz e só esta emoção prazerosa pode trazer a tranqüilidade.

A existência é dolorosa e complexa. Para compreendermos os pesares que nos invadem a existência, devemos pensar-sentir de uma maneira nova, devemos enfrentar a vida de maneira simples e direta; se possível, devemos começar cada dia renovados. Devemos ser capazes, em cada dia, de fazer nova avaliação dos ideais e dos padrões que criamos. A vida somente pode ser compreendida profundamente, tal como existe dentro de cada um de nós, de maneira que a compreensão possa trazer tranqüilidade e alegria permanentes.

5135 acessos desde 29 de agosto de 2006.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *