Depressão infantil: informações aos pais

Depressão Infantil: Informações aos pais


 


Sabemos que a incidência de depressão infantil tem aumentado consideravelmente. Estudos revelam que tem sido cada vez mais cedo a ocorrência de um episódio depressivo,ou seja, cada vez crianças mais pequenas apresentam sintomas de depressão. Os estudos mostram ainda que a criança que sofreu de depressão na infância, tem mais chances de apresentar futuras crises de depressão.


As crianças ficam deprimidas, tão freqüentemente e tão profundamente quanto o adulto. Muitas vezes, os comportamentos da criança deprimida são confundidos e interpretados de maneira errada pelos pais. Às vezes, é vista como agressiva, hiperativa ou agitada, tímida, preguiçosa ou distraída. Outras vezes, os pais não dão a importância necessária para o problema da criança, alegando: “Vai passar logo” ou “Está querendo chamar a atenção”. É preciso levar a sério os sentimentos da criança, pois suas emoções são tão intensas quanto às emoções do adulto.


E QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA DEPRESSÃO INFANTIL????


Normalmente, uma criança deprimida apresenta alterações de pensamento, de humor, de comportamento e alterações orgânicas. Os sintomas são:


– Tristeza
– Baixo auto-conceito e baixa auto-estima
– Isolamento social
– Sentimento de rejeição (a criança acredita que as pessoas não gostam dela)
– Pouca energia para fazer atividades físicas e de lazer
– Cansaço
– Dificuldade para iniciar tarefas
– Distúrbios de atenção e concentração
– Irritabilidade e agressividade
– Medo inexplicado
– Transtornos alimentares (aumento ou redução do apetite)
– Transtornos de sono
– Distúrbios orgânicos (dor de cabeça, de barriga)
– Enurese noturna
– Ideação e comportamento suicida


PORQUE A CRIANÇA FICA DEPRIMIDA????


Os pais tem grande parcela de contribuição no aparecimento da depressão na criança. Muitas vezes, os pais também estão deprimidos e através do modelo e da aprendizagem essa criança passa a conhecer as formas disfuncionais e pessimistas do “pensar”de seus pais. Os pais precisam “ensinar” o otimismo a criança e não o pessimismo. As crianças estão sempre atentas às atitudes e maneira como seus pais explicam os acontecimentos. Se os pais explicam de forma negativa é essa a maneira como a criança vai aprender e ver o mundo. Algumas vezes, os pais passam algumas mensagens para seus filhos, mensagens essas que quase sempre não são notadas ou percebidas, mas que ficaraõ enraizadas naquela criança. Por exemplo, quando a criança não faz bem a tarefa de casa e o pai diz: “Você é burro mesmo” ou “Seu irmão aprendeu tão rápido…”. Tais palavras vão passar a seguinte mensagem: “Você é incapaz” ou “Você é inferior às outras pessoas”. A criança acredita no que seus pais dizem, acreditam nas críticas e passam a usá-las em sua vida. A criança que recebe esse tipo de mensagem vai realmente acreditar nela, sem contestar.Portanto, os pais precisam estar atentos a essas mensagens, pois seu efeito na personalidade da criança é muito grande e duradouro. Precisam estar atentos também a sua maneira de pensar sobre si mesmo e os outros, avaliando se possui um estilo pessimista ou otimista. Vimos que a criança pessimista tem grande chance de apresentar um episódio de depressão. Outro fator que leva a criança a depressão são os desajustes familiares, desacordos conjugais, muitas vezes presenciados pela criança. Percebemos que além de ter um modelo inadequado de relacionamento, essa criança pode vir a apresentar sintomas da depressão, principalmente pelo fato de perceber a infelicidade dos pais .


São vários os fatores que contribuem para este acentuado índice de depressão. De maneira geral, fatores como superproteção dos pais, superpermissividade, atitudes de excesso de cobrança e exigência, atitudes de autoritarismo ou negligência, conflitos familiares são alguns dos fatores que contribuem para o aparecimento e manutenção da depressão infantil.


MAS, O QUE FAZER????


Devido a esses fatores, na maioria das vezes, o tratamento da depressão infantil é realizado também com os pais. O psicólogo atende a criança, porém contatos freqüentes com os pais são necessários para o progresso terapêutico. Durante o tratamento, o foco são os pensamentos que a criança possui a respeito de si mesma, do mundo e do futuro. Tais pensamentos, normalmente disfuncionais são avaliados na tentativa de se tornarem mais funcionais, melhorando assim a qualidade de vida dessa criança. Cabe aos pais observarem o comportamento da criança, perceber sua emoção através de alguns sinais que a própria criança oferece , como a perda de peso, o isolamento, a irritação entre outros. É importante também ouvir a criança, se colocar no lugar dela, vendo a situação sob a ótica da criança e em seguida ajudá-la a encontrar novas estratégias de resolução de problema, novas alternativas de se ver aquela mesma situação, tornando-a mais flexível cognitivamente.


A intenção de ser especial, diferente, em qualquer plano, em qualquer meio, está sempre sujeita à comparação.


A diferença tem que existir para que tu te tornes especial e, aos olhos de Deus, somos iguais, somos um.


Se queres ser diferente do outro e daquilo que realmente és, tens que estar remando em direção contrária a tua verdadeira natureza. Como podes conhecer a verdade se estás longe de ti mesmo?


Reconhecer o outro como o teu igual, é o grande propósito do espírito, é a tua missão.


O Criador te reconhece pelo que és, e não pelo que crias.


Sê fiel ao que te fala o coração.


Neste lugar, a verdade está esperando para receber-te em bênção silenciosa. Deixa todos os teus conflitos, tuas ilusões, tuas crenças, fora do lugar para o qual vieste conhecer a luz que ilumina o que realmente és.


Estar em harmonia com a tua essência, que foi criada, amorosa e iluminada apenas para fluir em ti, é despertar para a vida onde tu emerges da ilusão do que pensas que és, para a aceitação de ti mesmo como Deus te criou.


E, tua beleza neste plano é rara, é única, pois a paz e a alegria de Deus estão fluindo mansa e silenciosamente, através de ti.


MIRIAM CRUVINEL
Psicóloga e Terapeuta Cognitiva
[email protected]


Fonte: www.plenitude.com.br


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *