Diego armando maradona

Diego Armando Maradona (Lanús, 30 de outubro de 1960) é um ex-futebolista argentino. Foi também conhecido como El Pibe de Oro, D10S, ou El Diez. Considerado um dos melhores jogadores de todos o tempos, Maradona comandou a seleção Argentina na Copa do Mundo de 1986, contribuindo decisivamente para a conquista do bicampeonato mundial argentino. Sua carreira esportiva foi interrompida precocemente em função do consumo de substâncias entorpecentes. Maradona é conhecido pelos seu dribles incríveis,suas arrancadas geniais e seus passes de extrema categoria.


Biografia


Diego Maradona, que é canhoto,[1] cresceu num bairro de Lomas de Zamora na periferia da cidade de Buenos Aires chamado “Villa Fiorito”. Filho de operário, começou a jogar futebol com nove anos num time infantil, Los cebollitas. Em 1976, com quinze anos, foi contratado pelo clube da primeira divisão, Argentinos Juniors e um ano depois foi convocado para jogar na seleção argentina. Era chamado “El Pibe de Oro” (O Garoto de Ouro). Em 1980 foi vendido ao Boca Juniors e dois anos mais tarde ao FC Barcelona da Espanha. Em 1984, foi contratado pelo SSC Napoli da Itália e lá ganhou dois campeonatos italianos em 1986/87 e 1989/90, uma Copa Italia (1987), uma Copa Uefa (1989) e uma Supercopa Italiana (1990).


Em 1979, foi o capitão da equipe que ganhou o campeonato mundial sub-21. O desempenho de Maradona na Copa do Mundo na Espanha, em 1982, ficou abaixo das expectativas. Já na Copa do Mundo de 1986, atingiu seu ponto máximo como jogador, conduzindo à vitória a seleção argentina contra a Alemanha (3 a 2) na final. Nessa copa, Maradona marcou um gol, considerado por muitos como um dos mais bonitos da história do futebol: partindo do campo de defesa de sua equipe, driblou uma série de jogadores Ingleses, incluindo o goleiro, finalizando então para as redes. No mesmo jogo, anteriormente, ele tinha realizado um gol com a mão, declarando posteriormente que Fue la mano de Dios (“Foi a mão de Deus”). Na Copa do Mundo de 1990, ajudou a Argentina a ir à final, terminando em segundo lugar, perdendo por 1 a 0 para a Alemanha.


A relação de Maradona com as substâncias entorpecentes tornou-se pública pela primeira vez em 1991, quando foi expulso do Nápoli após ser reprovado em um teste antidoping. Voltou então à Espanha, jogando pelo Sevilha e logo à Argentina para jogar pelo Newells Old Boys da Cidade de Rosario. O problema com as drogas voltaria a acontecer na Copa de 1994, quando o teste antidoping detectou que ele havia utilizado a substância proibida efedrina e foi suspenso pela FIFA por um ano. A seleção da Argentina, que o tinha como capitão, acabou sendo derrotada nas oitavas-de-final pela Romênia. Depois desse ano e passada a suspensão, Diego voltou ao Boca Juniors, onde jogou até 1997. No dia do seu 37° aniversário se retirou definitivamente dos campos de futebol.

Durante o ano 2000 esteve em uma clínica de recuperação em Cuba, onde decidiu escrever seu livro autobiográfico intitulado “Yo soy el Diego” (“Eu sou o Diego”).


No dia 10 de novembro de 2001 Maradona jogou uma partida homenagem junto com os craques atuais. Mas esta vez quem deu o show foi a fiel torcida argentina que merecidamente aclamou seu ídolo mais querido.


Na Argentina, durante 2005, Maradona foi apresentador de um programa de TV, “La noche del Diez” (“A noite do Dez”), onde recebeu figuras de todo o mundo, como Pelé, Xuxa e Mike Tyson.


Em 28 de março de 2007 sofreu uma recaída e foi internado com uma crise hepática causada por abuso de álcool.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *