Efeito da rutina em eritrocitos de ratos





























Autor: Daniela Garcia de Oliveira
[pt] Efeito da rutina em eritrocitos de ratos : estudo in vitro e in vivo
Instituição de Defesa: Universidade Estadual de Campinas . Instituto de Biologia
Data de Defesa: 2001-02-19
Resumo: [en] Many studies have investigated the ability of different compounds to protect biological systems from oxidative damage. In particular, flavonoids obtained from plants have been shown to inhibit reactions, whieh involve the produetion of radicais sueh as hidroxyl radical, and superoxide anion, as well as peroxyl and alkoxyl radicais. The antioxidant action of flavonoids may also be related to their ability to ehelate metal ions, which in tum eould eontribute to the inhibition of lipid peroxidation of membrane erythroeyte. In the present investigation, the effeet of rutin “in vitro” and ” in vivo” on hemoglobin (Hb) oxidation and erythroeyte membrane peroxidation was examined in blood of rats treated with phenylhydrazine (PHZ) that is able to generate phenyl radicais and superoxide anion thereby an oxidant drug. Experiments “in vitro” demonstrated pro-oxidant behavior of rutin in the presence of PHZ as shown by measurements of reactive thiol groups in Hb, GSH, Hb oxidation, binding of Hb to erythroeyte membanes, lipid peroxidation and isotonie hemolysis. Reverse-phase HPLC (RP-HPLC) showed that incubating rutin with PHZ resulted in two products (pr-1 and pr-2) , both of which were more active as oxidants than PHZ when tested with Hb, increasing metHb production. In contrast to the results “in vitro”, experiments “in vivo” showed that rutin protected the system against oxidative damage by PHZ, using as indicators Hb oxidation, reactive thiol groups in Hb, GSH, binding of Hb to membrane, Heinz body formation, lipid peroxidation and osmotie resistance. These results were obtained with rat blood treated with intraperitoneal administration of rutin for 10 days. RP-HPLC of plasma from these animais showed the presence of a peak with retention time different from that obtained for rutin suggesting to be a metabolite of the fIavonoid. Histological examination of blood samples and oxidation experiments of animals treated with 1,5 mom rutin for 10 days showed that the extent of erythrocyte damage caused by 60 mg PHZI Kg of animal was lower than those observed for non-rutin treated animais
[pt] Muitos compostos tem sido estudados com o intuito de investigar as atuações na proteção dos sistemas biológicos contra danos oxidativos. Entre estes destacam-se os flavonóides, compostos de origem vegetal com capacidade de inibir reações radicalares em sistemas biológicos. As propriedades antirraricais destes compostos relacionam-se diretamente ao OH e O2 -, bem como o radical peroxil e alcoxil. Alternativamente os flavonóides podem atuar como antioxidantes, devido a capacidade de quelarem íons metálicos, o que pode contribuir para a inibição da peroxidação lipídica na membrana do eritrócito. Na presente investigação foi estudado o efeito da rutina ” in vitro” e ” in vivo” sobre a oxidação da hemoglobina (Hb) e peroxidação da membrana eritrocitária de ratos tratados com fenilhidrazina (PHZ), uma droga com características oxidantes, as quais estão relacionadas ao radical fenil e ânion superóxido, gerados pela PHZ. Os resultados “in vitro” mostraram o comportamento pró-oxidante da rutina em presença de PHZ sobre os grupos tióis reativos da Hb, GSH, oxidação da Hb, ligação da Hb à membrana do eritrócito, peroxidação lipídica da membrana eritrocitária e hemólise isotônica. Os dados cromatográficos em HPLC de fase reversa mostrara que a pré-incubação da rutina com a PHZ deu origem a dois produtos (pr-1 e pr-2). Estes quando testados na oxidação da Hb, mostraram efeito oxidante maior que a própria PHZ, exacerbando a formação de metaHb. Ao contrário dos resultados “in vitro”, a rutina conferiu proteção contra os danos oxidativos da PHZ “in vivo” tanto na oxidação da Hb, quanto sobre os grupos tióis reativos da Hb, GSH, ligação da Hb à membrana do eritrócito, formação de corpos de Heinz, peroxidação lipídica da membrana eritrocitária e resistência globular osmótica. Estes resultados foram obtidos com o sangue de ratos tratados durante 10 dias com administração intraperitoneal de rutina. A análise do plasma destes animais em HPLC de fase reversa revelou a presença de um pico que possuía tempo de retenção diferente do pico de rutina, sugerindo ser um metabólito do flavonóide. O grupo de animais que recebeu a administração intraperitoneal de 1,5 mM de rutina durante 10 dias foi o que apresentou menores danos em presença de 60 mg PHZlKg de animal. Isto foi evidenciado através da análise da morfologia dos eritrócitos nos esfregaços sanguíneos, bem como por todos os experimentos de oxidação realizados com o sangue destes animais
Titulação: Mestre em Biologia Funcional e Molecular
Contribuidor(es): Satie Hatsushika Ogo
Satie Hatsushika Ogo [Orientador]
Mercia Breda Stella
Hiroshi Aoyama
Nilce Correa Meirelles
Assuntos: [pt] Agentes oxidantes
[pt] Stress (Fisiologia)
[pt] Flavonoides
Documentos Digitais: Download Arquivo

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *