efeitos da administração aguda de vitamina c





























Autor: Marcio Gonçalves de Sousa
[pt] Efeitos da administração aguda de vitamina C na reatividade vascular arterial e venosa em tabagistas
Instituição de Defesa: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciencias Medicas
Data de Defesa: 2003-02-12
Resumo: [en] Background: Chronic smoking is associated with endothelial dysfunction. Vitamin c, an antioxidant, improves the endothelium-mediated vasodilatation in arteries in smokers. There is significant heterogeneity of endothelial function within the circulation. Since veins are generally not susceptible to atherosclerosis, this model allows comparable assessment of changes in endothelial function between both territories. Methods and Results: We studied 06 healthy non-smokers and 07 healthy moderate smokers with the dorsal hand vein compliance technique and the flow mediated dilation. Dose response curves to bradykinin (BK) and sodium nitroprusside (SNP) were constructed to test the endothelium-dependent and non-dependent relaxation before and after acute infusion of vitamin C (25mg/min). Smokers had an impaired vasodilatation to bradykinin compared to non-smokers (Emax = 95,7 ? 21,2% vs 71,2 ? 17,3%; respectively, p<0,05). Vitamin C administration in dorsal hand vein significantly increased the vasodilatation to bradykinin in smokers (Emax = 71,2 ? 17,3% vs 88,3 ? 7,0%; p<0,05) but not in non-smokers (Emax = 95,7 ? 21,2% vs 82,7 ? 4,1%; non significant). Similarly, the arterial response in smokers had an impaired endothelium-dependent dilatation compared to non-smokers (16,2 ± 2,7% vs 8,5 ± 3,7%; respectively, p<0,05) and vitamin C restored this response in smokers (8,5 ± 3,7% vs 17,7 ± 7,7%; p<0,05) but not in non-smokers (16,2 ± 2,7% vs 14,4 ± 4,1%; non significant). The endothelium non-dependent dilatation did not differ in the studied groups. Conclusions: Smokers had similar impaired endothelium-dependent vasodilatation responsiveness in both vascular beds. Vitamin c restores the impaired endothelium-dependent responsiveness in smokers
[pt] Fumar é o mais importante fator de risco modificável para aterosclerose. O tabagismo está fortemente ligado a disfunção endotelial. Tem sido sugerido que a disfunção endotelial possa ser conseqüência do aumento da degradação do óxido nítrico secundária a formação de radicais livres derivados do oxigênio. O cigarro contém uma grande quantidade destes radicais livres e hipóteses têm sido levantadas sobre seus efeitos adversos resultantes do dano oxidativo a substâncias biológicas, dentre estas, o óxido nítrico. A vitamina C é o mais potente antioxidante solúvel em água no plasma humano, sendo capaz de retirar uma grande variedade de espécies reativas de nitrogênio e oxigênio, incluindo radicais superóxido. Alguns estudos têm demonstrado melhora da resposta dependente do endotélio no leito arterial de tabagistas com infusão aguda de vitamina C. Há uma significante heterogeneidade da função endotelial dentro da circulação. Desde que veias não são susceptíveis à aterosclerose, no presente estudo, investigamos o efeito da infusão aguda de vitamina C no leito venoso através da técnica da veia dorsal da mão (TVDM) e no leito arterial através da dilatação mediada pelo fluxo (FMD), permitindo, assim, a comparação de ambos os territórios endoteliais. Estudamos 6 não fumantes sadios e 7 fumantes moderados sadios através da técnica da complacência da veia dorsal da mão e vasodilatação mediada pelo fluxo. Curvas doses-resposta à bradicinina (BK) e nitroprussiato de sódio (NPS) foram construídas para testar o relaxamento dependente e não-dependente do endotélio venoso antes e após a infusão aguda de vitamina C. Pressão arterial, freqüência cardíaca, resistência vascular sistêmica e débito cardíaco foram medidos batimento a batimento durante todo o estudo através do portapres, um método contínuo de aferição de pressão arterial digital não-invasivo. Os tabagistas moderados apresentaram uma resposta vascular dependente do endotélio reduzida em ambos os leitos vasculares quando comparados a indivíduos não tabagistas (venoso Emax = 71,2 ? 17,3% vs 95,7 ? 21,2% e arterial 8,5 ± 3,7% vs 16,2 ± 2,7%; p<0,05). A administração aguda de vitamina C restaurou similarmente a responsividade vascular dependente do endotélio no leito venoso (Emax = 71,2 ? 17,3% e 88,3 ? 7,0%; respectivamente antes e após sua administração; p<0,05) e arterial (8,5 ? 3,7% e 17,7 ? 7,7%; respectivamente antes e após sua administração; p<0,05) em tabagistas moderados. A responsividade não-dependente do endotélio foi inalterada entre os grupos estudados
Titulação: Mestre em Clinica Medica
Contribuidor(es): Heitor Moreno Junior
Kleber Gomes Franchini
Heitor Moreno Junior [Orientador]
Celso Amodeo
Assuntos: [pt] Vitamina C
[pt] Vasodilatação
[pt] Fumo – Vicio
[pt] Endotelio
Documentos Digitais: Download Arquivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *