Estudantes brasileiros acessam pouco a internet

Apenas um terço dos estudantes brasileiros acessa a internet
Cerca de metade da população estudantil não tem acesso a um computador.
71% dos internautas e 90% dos estudantes utilizam a internet para aprendizado.

Educação e aprendizado são o principal motivo que leva as pessoas a utilizar a internet no Brasil. Mas ainda são poucos os estudantes que têm acesso à rede, segundo uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (23) pelo IBGE, que mostra o perfil do internauta brasileiro.

Das pessoas entrevistadas, 71,7% disseram utilizar a internet para educação e aprendizado (o percentual é de 90% entre os estudantes). O número alto se deve ao fato de a rede mundial ser dominada por uma maioria de pessoas jovens, muitos deles estudantes.

Para se ter uma idéia, pouco mais de um terço dos estudantes brasileiros (36% ou 14 milhões de pessoas) acessa a internet. O número é baixo. No resto da população brasileira, no entanto, esse percentual é ainda menor: 16% das pessoas que não estudam usam a rede. O resultado desses dois números é que apenas 21% dos brasileiros podem ser chamados de internautas (32 milhões de pessoas).

A pesquisa aponta também as maiores barreiras para melhorar esses números. Cerca de metade da população estudantil (50,6%) não usa a internet por não ter acesso a um computador. Entre os não-estudantes, é menor o número de pessoal sem computador, cerca de um terço. A explicação, segundo o IBGE, é o baixo número de computadores nas escolas. Apenas 18% dos estudantes acessaram a internet em estabelecimento de ensino. Cerca de 5% disseram utilizar somente esse local.

Além de haver poucos computadores com acesso à internet nas escolas, há poucas opções de internet gratuita. Apenas 10% dos entrevistados disseram ter utilizado centros públicos de acesso à rede.

Outro problema: de cada cinco estudantes, um não sabe usar a internet. O percentual é praticamente o mesmo da população de não-estudantes. A pior situação foi encontrada no Amazonas, onde 41,3% das pessoas não sabe usar a rede. Em Roraima e Amapá, o percentual equivale a cerca de um terço da população. Nos estados do Sul e Sudeste, gira em torno de 15%.

“Os estabelecimentos de ensino que disponibilizam o acesso à internet para os seus alunos possibilitam a utilização desta rede por aqueles que não teriam como utilizar este recurso em outros locais, o que contribui para ampliar a parcela da população que utiliza esta ferramenta virtual”, diz o IBGE.

Na população dos estudantes usuários da Internet, a proporção dos que a utilizaram para educação e aprendizado foi destacadamente a mais elevada (90,2%), vindo depois, mais distanciadas, as dos que a acessaram para comunicação com outras pessoas (69,7%) e atividades de lazer (65,5%). A proporção dos estudantes que a acessaram para a leitura de jornais e revistas alcançou 40,7% e as referentes às demais finalidades ficaram abaixo de 20%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *