Ferramentas de produtividade

O que significa o microcomputador para um usuário profissional dessas máquinas ? Qual é o papel principal que ele assumiu em sua vida, depois que passou a usá-lo freqüentemente em seu trabalho, e quais seriam as conseqüências se fosse obrigado a deixar de utilizá-lo no seu dia a dia ?

Muitas vezes tenho feito essas perguntas para mim mesmo. E as respostas me assustaram um pouco, tal é o grau de dependência que passei a ter do computador para realizar meu trabalho. Desde 1986, mais ou menos, quando comprei meu primeiro PC, deixei de usar inteiramente a máquina de escrever, e acho que já não conseguiria tolerar suas limitações, ou voltar a escrever à mão. Escrevo bastante, é uma das minhas principais atividades, e nela acumulei uma enorme “quilometragem” à frente do computador. Nessa área, meus programas favoritos são o Microsoft Word for Windows 6.0 e o Ventura Desktop Publisher for Windows 3,0, que uso para formatar documentos maiores, como livros e teses. Mas

também uso o computador para muitas outras coisas, como manter minha agenda de compromissos (usando um programa que acho simplesmente fabuloso, o Lotus Organizer), bancos de referências bibliográficas pertinentes para meu trabalho, produzir slides para palestras, aulas e congressos (outro programa facílimo de usar e com uma variedade fantástica de recursos, o Microsoft PowerPoint 4.0), gerenciar receitas e despesas pessoais. manter atualizado o meu curriculum-vitae, etc.

O computador também tem sido absolutamente indispensável para me comunicar com o resto do mundo. De uns dois anos para cá, minhas despesas com correio comum diminuíram uns 90 %. Passei a usar muito mais a minha placa de fax-modem, para enviar faxes prá tudo é quando é lado (como este artigo, que enviei direto para o Correio Popular, logo depois de tê-lo escrito em minha casa), bem como o correio eletrônico, através da Internet, que me coloca, a custo zero, em contato instantâneo com todo o mundo. Finalmente, outra coisa que revolucionou minha vida profissional foi a aquisição recente de uma unidade de leitura de CD-ROM, que me permite consultar enciclopédias multimídia (como a minha preferida, a Microsoft Encarta 95), realizar buscas de assuntos interessantes em uma biblioteca de 1.300 livros básicos da literatura mundial, em texto completo (Great Literature Plus for Windows), recuperar informações geográficas (DeLorme Global Explorer, que tem localização precisa de mais de 400 mil localidades, inclusive em nível de mapa das ruas das 200 maiores cidades do mundo), etc. Outra coisa gostosa: enquanto trabalho no computador, boto o CD-ROM para tocar discos CD de música clássica ou jazz.

Em suma, hoje o computador faz parte integrante e absolutamente indissociável de minha vida profissional, e até doméstica (pois, desgraçadamente, meu “hobby” também é a computação). Para meu caso, valem duas definições muito importantes. Primeira, o computador é uma “máquina de economizar tempo”. Segunda, o computador é uma “ferramenta universal de produtividade”. Realmente, se fosse avaliar qual foi o principal impacto do microcomputador sobre meu trabalho, eu diria que aumentei em uns 500 a 600 % minha produtividade relativa à geração, acesso e uso de informação (90 % do que faço). Um exemplo simples: em minha vida, tive que escrever duas teses acadêmicas de grande porte. A primeira foi minha tese de doutoramento, que tinha umas 400 páginas. Demorei cerca de cinco meses no processo mecânico extremamente tedioso, de escrever à máquina, colar e cortar, passar para uma datilógrafa profissional, revisar o que tinha sido escrito, corrigir, mandar de volta para correção, e assim por diante. Um sufoco. A segunda, minha tese de livre-docência, com umas 300 páginas e mais de 60 figuras, levei apenas uns 20 dias para compor, corrigir e imprimir ! Aumento de produtividade: 750 %.

Se isso me faz trabalhar mais ? Sem dúvida. A facilidade de usar o computador acaba transformando nossa casa em uma extensão do escritório. É o teletrabalho ! Outra “praga” é o computador lap-top, ou o notebook. Também tenho um, e o carrego prá toda parte. É o meu escritório portátil. Uso muito o pacote Works for Windows, da Microsoft, que ocupa pouco espaço e tem programas integrados, simples, de processamento de textos, planilha e banco de dados. Com um modem e um fax embutidos, posso viajar para qualquer parte do mundo e continuar em contato permanente com minhas bases. Para o workaholic juramentado, um prato cheio…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *