Filmes e livros dicas

Tive a oportunidade de realizar um trabalho acadêmico em que fiz um paralelo entre um filme e um livro. Para tanto tive que assistir o filme perto de uma dezena de vezes e ler o livro com enorme atenção (relendo vários trechos algumas vezes para poder confirmar ou conferir algumas informações).

Vale a pena!

Nos filmes…

Podemos observar detalhes que inicialmente passaram despercebidos quando assistimos pela segunda ou terceira vez.

Selecionamos frases e a partir delas temos a possibilidade de propor raciocínios e reflexões.

Destacamos detalhes das imagens que podem ser representativos de tendências, períodos ou mesmo característicos de determinadas personagens e culturas.

Prestamos maior atenção ao figurino, a música, aos efeitos sonoros, a cenografia, a atuação dos atores e aos detalhes da trama.

Conseguimos, no todo, acumular um maior volume de informações sobre o filme e, de posse de todo esse conteúdo acumulado, selecionar aquilo que é mais interessante e condizente com o trabalho que estamos realizando.

Podemos mesmo selecionar trechos ou idéias que são importantes num determinado contexto e podem ser substituídas por outras em outra situação de trabalho em sala de aula.

Nos permitimos a variação de estratégias de acordo com as informações que acessarmos e destacarmos em nossas anotações sobre o material fílmico visto e revisto.

Nos livros…
Capa-do-livro-Cidade-deDeus-e-cartaz-do-filme-Cidade-de-Deus

Quando realizamos leituras do texto, temos que estar atentos ao fato de que realizamos trabalhos diferenciados na primeira e nas demais oportunidades em que entramos em contato com a produção escrita.

Num primeiro momento estamos conhecendo os detalhes da história, caminhando cuidadosamente por um caminho ainda desconhecido, cujas portas estão se abrindo pela primeira vez para nós. Devemos prestar a devida atenção ao texto porém, sem se preocupar, inicialmente, em anotar, grifar, destacar ou escrever explicações ao lado dos trechos lidos. Ler é o objetivo maior. Reconhecer o terreno e identificar as idéias centrais que norteiam a trama. Ter uma idéia inicial da proposta da obra e da ideologia do autor.

As leituras posteriores encaminham o nosso trabalho para uma etapa um pouco mais árdua, envolvente e trabalhosa. Temos pela frente a necessidade de ler e escrever sobre os trechos mais importantes (averiguados através da leitura inicial). Passamos de uma prospecção superficial para um trabalho minucioso, onde não estamos apenas cavando o buraco por onde pretendemos entrar na mina. Agora estamos a procura das pepitas, das jóias da coroa.

Tenha ao seu lado um dicionário para facilitar a compreensão dos termos complicados, das expressões desconhecidas. Esse aliado funciona, por vezes, como uma autêntica bússola, indicando os sentidos e atribuindo possibilidades de interpretação que talvez fossem desconhecidas inicialmente para você.

Não tenha medo de errar em suas anotações. Faça um esquema e, a partir dele, produza uma síntese. Coloque todas as suas anotações em fichas ou grave-as em arquivos em seu computador (não se esqueça de colocar as informações, ordenadamente, em pastas que facilitem a sua posterior consulta).

Procure ler o livro antes de ver o filme. Faça as anotações também antes de visualizar a película. Quando você realiza a leitura antecipadamente em relação ao filme, acaba criando projeções mentais dos personagens, das locações, dos acontecimentos, das cenas e dos diálogos travados entre os protagonistas. Facilita a compreensão posterior do filme e permite comparações que serão traçadas em seu consciente/inconsciente.

Caso tenha trabalhado no sentido inverso (tenha visto o filme antes de ler o livro), você perceberá que a todo momento, na medida em que a sequência que estiver lendo tiver sido filmada, virão a sua mente as imagens do filme, cortando a possibilidade de que elas possam ser criadas por você.

Ao assistir o filme antes você também perceberá, através da leitura, que muitas das sequências apresentadas no livro foram cortadas ou alteradas na filmagem. Isso acaba sendo um tanto quanto decepcionante pois percebemos enorme potencial em certas passagens e elas não foram trabalhadas pelo diretor e pelos produtores do filme (por dificuldades técnicas, pelo fato do filme ficar muito longo, por problemas de orçamento,…).

Quando os livros e os filmes se encontram…
Paixao-de-Cristo

Dispondo das informações obtidas pela leitura do livro e pelo fato de ter assistido o filme, você verá que:

– Comparações entre os dois recursos poderão adicionar questões a serem discutidas em aula.

– Detalhes apresentados na leitura e inéditos no filme podem servir como fator de motivação para as propostas de trabalho com o filme.

– Idéias negadas ou omitidas no filme e apresentadas no livro nos permitem fazer um trabalho de confrontação entre o escritor e o diretor e o roteirista do filme.

– Na equiparação entre as idéias projetadas pela leitura e aquelas materializadas pelo filme pode-se propor um trabalho através do qual se faça um trabalho de construção de textos ou produções artísticas (story-boards, histórias em quadrinhos, mangás, desenhos, maquetes) em que a visão do leitor seja colocada lado a lado com a do cineasta.

– Podem ser pedidas descrições dos trechos dos filmes trabalhados e, numa etapa posterior, esses trabalhos podem ser colocados lado a lado com a produção do escritor.

Há outras alternativas, passíveis de utilização, quando se realiza um trabalho conjunto em que unimos as letras e a sétima arte. Cabe a nós criar novos pontos de encontro, novas possibilidades. São recursos ricos e exuberantes, que nos convidam a criação, temos que fazer com que não sejam perdidas as oportunidades de realização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *