Hamilton está próximo do título e cada vez menos apreciado

XANGAI, China (AFP) — O britânico Lewis Hamilton (McLaren-Mercedes) está em condições de se sagrar campeão mundial de Fórmula 1 neste domingo no Grande Prêmio da China, mas é um piloto cada vez menos apreciado por pilotos e chefes de equipes.
Hamilton, o primeiro piloto negro da história da Fórmula 1, era uma espécie de genro ideal, educado e sorridente, além de excelente na pista.
As primeiras nuvens sombrias começaram a chegar na metade da última temporada, na época da luta pelo título com seu então companheiro Fernando Alonso. Começou a aparentar ser um piloto muito seguro de si, às vezes exagerado.
Pouco a pouco, sua segurança e sua confiança começaram turvar a sua imagem. Nasceram alguns rancores, reforçados por manobras na pista às vezes muito ousadas ou pouco elegantes.
O britânico, que continua sendo muito acessível para seus torcedores, conserva ainda uma boa cota de popularidade. Neste ano manteve a mesma postura e chega à China, pelo segundo ano consecutivo, líder do mundial de pilotos e a ponto de ganhar o título de 2008. Pode ser o mais jovem a alcançar tal façanha, inscrevendo definitivamente seu nome na história da Fórmula 1.
Há algumas semanas, no Grande Prêmio da Itália em Monza, o polonês Robert Kubica (BMW Sauber) foi o primeiro a criticar o comportamento de Hamilton na pista, algumas vezes muito perigoso.
Uma opinião compartilhada por vários pilotos. As atitudes de Hamilton foram o centro de conversas em Xangai. O bicampeão mundial espanhol, que não tem boas relações com o britânico, não escondeu sua antipatia quando afirmou que ficaria contente em ver Felipe Massa (Ferrari) com o título.
“Sei que fizeram certos comentários, mas não me importa, todo mundo tem o direito de opinar”, reagiu Hamilton. “Mas se cheguei até aqui e estou na liderança foi graças a minha maneira de pilotar. Eu não me lanço contra os outros carros, talvez eles não devessem ser tão agressivos em seus comentários”.
Não é a primeira vez que um candidato ao título é criticado e o britânico tem consciência disso. “Se eu estivesse na Force India ninguém se preocuparia comigo”, disse.
A maioria de seus adversários acha que o sucesso lhe subiu à cabeça e já não tem a amizade dos pilotos. Apenas Nico Rosberg (BMW Sauber) e Adrian Sutil (Force India) continuam sendo seus amigos.
Inclusive jornalistas britânicos, sempre prontos a apoiá-lo, começam a se cansar das mudanças de humor de Hamilton. “Quando tudo vai bem está disponível, mas depois de uma corrida ruim, como na semana passada em Fuji, desaparece e não fala”, lamentou um repórter inglês.
Seu principal adversário pelo título, Felipe Massa (Ferrari), no entanto, tem “muito respeito” por Hamilton. “Todo o mundo conhece ele, é um excelente piloto, mesmo que algumas vezes exagere na confiança”.
— Grid de largada do GP de Xangai:
– Primeira fila:
Lewis Hamilton (GBR/McLaren-Mercedes)
Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)
– Segunda fila:
Felipe Massa (BRA/Ferrari)
Fernando Alonso (ESP/Renault)
– Terceira fila:
Heikki Kovalainen (FIN/McLaren-Mercedes)
Sebastian Vettel (ALE/Toro Rosso-Ferrari)
– Quarta fila:
Jarno Trulli (ITA/Toyota)
Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso-Ferrari)
– Quinta fila:
Nick Heidfeld (ALE/BMW-Sauber)
Nelson Piquet Jr. (BRA/Renault)
– Sexta fila:
Robert Kubica (POL/BMW-Sauber)
Timo Glock (ALE/Toyota)
– Sétima fila:
Rubens Barrichello (BRA/Honda)
Nico Rosberg (ALE/Williams-Toyota)
– Oitava fila:
David Coulthard (GBR/Red Bull-Renault)
Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault)
– Nona fila:
Kazuki Nakajima (JAP/Williams-Toyota)
Jenson Button (GBR/Honda)
– Décima fila:
Adrian Sutil (ALE/Force India-Ferrari)
Giancarlo Fisichella (ITA/Force India-Ferrari)

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *