História do kadett

O Kadett foi um automóvel fabricado pela Chevrolet com base no modelo similar da Opel. O primeiro modelo foi lançado na Alemanha em 1936, sendo que a versão E do Kadett chegou ao Brasil em 1989 baseado no modelo alemão de 1984. No total, 459.068 veículos Kadett foram produzidos no Brasil até a sua substituição pelo Astra em 1999.

 Problemas Comuns


Da união de proprietários e trocas de informações foram identificados alguns problemas menores que incomodavam seus proprietários puderam ser crônicos nos carros. Alguns desses pequenos inconvenientes são:



  • 1) Entupimento do “pescador” do tanque de combustível causando falhas no motor ao se fazer curvas à direita; (problema só verificado em veículos à álcool. Basta desmontar o tanque e lavá-lo com gasolina. Recomenda-se procurar um mecânico caso não disponha de elevadores, habilidade e ferramental apropriado. RISCO ELEVADO DE INCÊNDIO OU EXPLOSÃO)


  • 2) Quebra da solda da mola da porta (solda ao para-lama dianteiro) que frequentemente ocorrre na porta esquerda; (Na ocorrência da ruptura a mesma peça, porém do Celta, deixa a conexão mais robusta, pois ao invés da solda, utilizam-se parafusos)


  • 3) Fadiga dos retentores de válvula no cabeçote, ocasionando queima de óleo – e a consequente e momentânea liberação de fumaça branca azulada – quando o veículo permanece quente e por algum tempo em baixa rotação;


  • 4) Espaço no banco traseiro mais adequado para apenas dois passageiros; (especialmente nos modelos conversíveis)


  • 5) Atrito do pneu com a lata do paralamas traseiros em casos de alteração da roda original, sem obedecer ao offset apropriado, que é de 49 mm (mais comumente indicado nas rodas como “ET 49” ou “Offset 49”). (Apesar de condenável, uma solução adotada nestes casos é o “rebatimento” do paralama, processo no qual a aba interna é dobrada para dentro)


  • 6) Após vários anos de uso o carro geralmente apresenta falhas no motor ocasionadas por uma trinca na bonina do distribuidor. Quase nunca é visível, é altamente critica pois faz o consumo aumentar muito; (Notam-se falhas no funcionamento do motor principalmente nas baixas rotações, em situações de exigência de torque e temperatura elevada.


  • 7) A partir do último semestre de 2006, estão registrados relatos sobre Kadetts EFi produzidos em 1993 e 1995 com dificuldades de partida por falta de ignição. A solução deste problema ainda permanece uma incógnita visto que proprietários empregaram abordagens distintas em relação à falha. Pode-se, entretanto, destacar que algumas peças foram alvo de atenção especial e em muitos casos trocadas todas elas: Bobina de Ignição, Bobina Impulsora, Tampa do Distribuidor, velas e seus respectivos cabos. Não foi necessariamente bem sucedida a solução, há relato de persistência da falha. Nestas ocasições uma boa revisão do alternador (regulador de tensão, placa, rolamentos, bornes, fixação) é altamente recomendada. Aos proprietários que enfrentam esta dificuldade fica a dica de solução paliativa: Após um breve girar do motor utilizando o método de “partida no tranco” (não é necessária a partida, basta soltar um pouco a embreagem pra que o motor vire um pouco) basta ligar a chave que a ignição se fará presente. Aos proprietários de Kadetts à álcool um alento: Desconectando o conector do sensor de temperatura (ligado ao famoso “cebolão”) transforma-se o injetor de gasolina num “termômetro” do problema: Se não injetar gasolina, está sem ignição (problema presente). Se injetar gasolina, há ignição (problema ausente).


 Modelos Famosos


SL/E


Um dos mais graduados carros já fabricados pela GM. Compacto e ao mesmo tempo espaçoso, no ano de 1992 foi considerado o carro do ano pela Revista Quatro Rodas. Seu estilo esportivo se une ao clássico, formando uma linha esportiva porém confortável, como os vidros elétricos, travas, retrovisores, desembaçador e ar condicionado de fábrica.


Seus motor 1.8 OHC, proporciona ótimo desempenho, podendo alcançar a velocidade máxima de 175 km/h reais (sendo 220 km/h no painel) nos modelos E.F.I., sua suspensão possibilita maior movimento na pista gerando confiança ao condutor, possibilitando ultrapassagens contínuas e com alto índice de dificuldade.


Sua performance é excelente, com uma carroceria que o mantem nivelado ao solo, dificultando assim o risco de capotamento e possibilitando maior aproveitamento por parte do condutor.


Sendo substituído por outro grande carro, o Astra, se torna uma Raridade. Porém seus atuais condutores, valorizam e elogiam seu desempenho e beleza até os dias de hoje.



 Kadett Turim


A série especial Kadett Turim, lançado em 1990, comemorando a Copa da Itália, é uma versão que conta com os opcionais existentes no Kadett GS (fabricado entre 1989 e 1991) com o diferencial de ser um série limitada. Relativamente raro de ser encontrado pelas ruas, pode ser reconhecido por sua faixa cinza escuro na parte de baixo das portas e pára-lama traseiro, friso com as cores da Itália e a cor prata, única disponível. Muito conhecido na época através dos sorteios diários no programa “Domingão do Faustão”, que ocorreram durante toda a copa. O Kadett Turim consistia em um SL/E com aparecência de GS, foi um serie exclusiva da GM para a Copa de 90 na Italia. Esse carro saiu numa época de recessão brava, no auge do Plano Collor quando ele havia confiscado as poupanças do povo brasileiro. Era uma boa mistura do SL/E com o GS, o motor era o 1.8 do SL/E, assim como o painel e volante que no GS eram diferentes, o banco era Recaro do GS. No exterior, repara-se que eram todos prata, com uma faixa cinza abaixo do borrachão, tinha para-choques, retrovisores e rodas do SL/E que no GS eram diferentes, sem falar que o GS tinha outro capô. Tinha um aerofólio cinza parecido com o do GS. Detalhe também para as rodas, que apesar de serem do SL/E, eram polidas e não pintadas de prata.



 Kadett GSi



Opel Kadett GSi

Opel Kadett GSi

O Kadett GSi foi desenvolvido e projetado pela Opel em 1987, com motor 2.0L de 16 válvulas que mais tarde foi tirado de linha pela Chevrolet. Chegou ao Brasil em Abril de 1989. Em 1995 foi o seu último ano de gestão, dando espaço para seu sucessor, o Kadett Sport. O Kadett GSi vinha equipado com computador de bordo, painel digital, volante escamoteável, suspensão traseira a ar, teto solar (ou conversível) e freio a disco nas quatro rodas, bancos Recaro, direção hidráulica, entre outros itens de série.





 Kadett Sport


O Kadett Sport ficou pouco no mercado, apenas de 1995 a 1997, sendo criticado como o sucessor do GSi, pois houve um erro na estratégia de marketing, onde o Kadett Sport foi apontado como sucessor da versão GSi. As principais mudanças foram a potência e a tecnologia, de 121 cv e sistema de Injeção Multipoint, passou a 110/116cv (álcool/gasolina) com Injeção SinglePoint, a justificativa da GM do Brasil foi de redução do custo do carro, mas foi pouco vendido pois o preço continuava alto. Além das mudanças mecânicas, o modelo perdeu os pára-choques exclusivos do GSi, os bancos Recaro e também não possuía opção de teto solar.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *