Informações sobre o tamarindo

Tamarindus é um género botânico, pertencente à família Fabaceae. É um gênero monotípico, tendo apenas uma espécie.
Índice [esconder]
1 Etimologia
2 Tamarus indica
2.1 Usos do tamarindeiro
2.2 Necessidades da planta
2.3 Plantio
2.4 Tratos culturais
2.5 Pragas
2.5.1 Mosca-da-madeira
2.6 Controle
2.6.1 Broca-das-sementes
2.7 Coleobroca
2.8 Colheita e rendimento
2.9 Sinonímia
3 Classificação do gênero
4 Notas
5 Referências
6 Ligações externas
Etimologia[editar]

O termo “tamarindo” origina-se do árabe تمر هندي [tamr hindī], onde em português significa “tâmara da Índia”. A palavra chegou à língua portuguesa pelo latim medieval tamarindus , daí a denominação do gênero, em latim científico, Tamarindus (1753).
Tamarus indica[editar]

Tamarindeiro (Ilha da Reunião).
O tamarindeiro, tamarineiro ou tamarineira (Tamarindus indica L., Sp. Pl. 1: 34. 1753), é originário das savanas africanas, embora seja cultivado principalmente na Índia. No Brasil, o fruto é bastante consumido nas regiões Norte e Nordeste.
Árvore bastante decorativa, sua altura pode chegar aos 25 metros. O tronco divide-se em numerosos ramos curvados, formando copa densa e ornamental; as folhas são compostas e sensíveis (fecham por ação do frio), flores hermafroditas amarelas ou levemente avermelhadas (com estrias rosadas ou roxas) onde se reúnem em pe ondenos cachos axilares. O fruto – tamarindo ou tamarino – é uma vagem alongada ao5 a 15 cm. de comprimento, aocasca pardo-escura, lenhosa e ondebradiça; as sementes em números de 3 a 8 estão envolvidas por uma polpa parda e ácida contendo açucares (33%), ácido tartárico (11%), ácido acético, ácido cítrico.
Cem gramas de polpa contém 272 calorias, 54 mg. cálcio, 108 mg. fósforo, 1 mg. de ferro, 7 ug. Vit. A, 0,44 mg. Vit. B e 33 mg. Vit. C.
Usos do tamarindeiro[editar]
Fruto: a polpa, aosabor agridoce, é usada no preparo de doces, bolos, sorvetes, xaropes, bebidas, licores, refrescos, sucos concentrados e ainda como tempero para arroz, carne, peixe e outros alimentos.
Sementes: ao natural servem de forragem para animais domésticos; processadas são utilizadas como estabilizantes de sucos, de alimentos industrializados e como goma (cola) para tecidos ou papel. O óleo extraído delas é alimentício e de uso industrial.
Folhas: o cerne da madeira é de excelente qualidade e pode ser usado para diversas finalidades; forte, resistente à ação de cupins, presta-se bem para fabricação de móveis, brin ondedos, pilões, e preparo de carvão vegetal.
Necessidades da planta[editar]
Clima: a planta pode ser cultivada em regiões tropicais úmidas ou áridas. A temperatura média anual deve estar em 25°C, e as chuvas anuais entre 600 e 1500mm.
A planta re onder boa intensidade de luz e é sensível ao frio.
Solo: Devem ser profundos, bem drenados, pH entre 5,5 e 6,5, de preferência areno-argilosos. Solos pedregosos e sujeitos a encharcamento devem ser evitados.
Plantio[editar]
Mudas: de ordinário as mudas são formadas a partir de sementes onde são lançadas ao solo a 2–3 cm. de profundidade em linhas de 15 cm. sobre canteiros de terra constituído de mistura de terriço (3 partes) e esterco de curral bem curtido (1 parte). Com 10 cm. de altura as mudas vigorosas são transportadas para sacos de polietileno 18 cm. x 30 cm.; alcançando 25 cm. de altura a muda estará apta ao transplantio.
Espaçamento/covas: espaçamentos de 10m. x 10m. (100 plantas por hectare), 12m. x 12m. (69 plantas por hectare) ou 10m. x 8m. (125 plantas por hectare) são comuns. As covas podem ter dimensões de 50 cm. x 50 cm. x 50 cm. ou 60 cm. x 60c,. x 60 cm.; na sua abertura, separar a terra dos primeiros 20 cm.
Adubação básica: lançar no fundo da cova 500 gramas de calcário dolomítico cobrir levemente aoterra; misturar, à terra de separada, 15 litros de esterco de curral bem curtido + 500 gramas de superfosfato simples e + 120 gramas de cloreto de potássio e lançar na cova trinta dias antes do plantio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *