Insônia, um problema que acomete milhares de brasileiros

Insônia, um problema que acomete milhares de brasileiros


 


Mulheres e adultos jovens estão mais propensos a dormir mal


Recentes pesquisas demonstram que a insônia é um problema comum no mundo ocidental e sua incidência aumenta à medida em que a idade avança. No Brasil, mais de 35 milhões de pessoas sofrem de insônia e 33% da população acima de 16 anos é insone. Deste total, 80% das pessoas têm insônia freqüente e 45,3% dormem mal. O problema atinge em maior proporção às mulheres.


A pesquisa realizada recentemente em onze estados brasileiros, pela Universidade de São Paulo (USP), destacou que a agitação do dia-a-dia e as inúmeras obrigações geram diversos desequilíbrios na saúde corporal e emocional. Um cotidiano repleto de situações críticas, como o excesso de atividades, problemas financeiros e muitas horas de trabalho, aliado a pouco descanso e lazer, atinge milhares de pessoas em todo país.


Essas situações não são mais apenas exclusividades dos adultos. As crianças e os adolescentes também estão sofrendo momentos estressantes, como ter que ultrapassar os próprios limites, fato que vai além do que o organismo pode suportar.


Outro dado importante é que a incidência de insônia é mais comum em mulheres e os adultos jovens queixam-se, com mais freqüência, da dificuldade em adormecer, enquanto os indivíduos de meia idade e idosos têm mais dificuldade para manter o sono e despertar de manhã. 


 A insônia e o sono agitado geram agressividade e podem interferir no humor, causando irritabilidade e impaciência nervosa. Esse desequilíbrio destaca sinais de alerta, como a elevação do nível de ansiedade, dificuldade de concentração, irritabilidade, mau humor, problemas de memória, impaciência, medos irracionais, insegurança e baixa auto-estima.  Esses sintomas, comuns da vida moderna, prejudicam inclusive a renovação das células, feita durante as horas do sono, o que vai interferir, a curto e longo prazo, na saúde e no bem-estar do organismo. “A falta de um sono tranqüilo costuma deixar a pessoa cansada e irritada, além de trazer sérias conseqüências ao cotidiano”, destaca a farmacêutica Célia Regina von Linsingen, gerente de Marketing do Herbarium.


Segundo Célia, a insônia é um distúrbio orgânico e psíquico e causa a sensação de que a noite não foi suficiente para repor as energias, fato que acontece quando passamos por situações estressantes ou após uma viagem muito longa. “Dormir bem é fundamental para o organismo manter suas funções biológicas em perfeito estado”, comenta. O sono é uma atividade noturna e seu tempo de duração varia de pessoa para pessoa. Normalmente, ele dura mais na infância e vai diminuindo com a idade.


 A farmacêutica explica que a insônia só pode ser diagnosticada por um especialista. Porém, é possível melhorar a situação tomando alguns cuidados como evitar café, chá preto ou mate, guaraná, chocolate e até alguns refrigerantes à base de coca. As substâncias existentes nestes alimentos, a xantina e cafeína estimulam o sistema nervoso central e nos deixam “ligados na tomada”, mas apenas 5% dos adultos que se queixam de insônia procuram o médico para discutir especificamente o seu problema.


A alimentação também é outro fator importante e ela deve ser leve e em pequenas quantidades, pois o metabolismo tende a ser mais lento à noite e uma grande quantidade de alimentos dificulta o sono. Para ajudar a chamar o sono, o ideal é consumir leite morno, pois ele contém uma substância chamada tripofano que melhora o processo do sono.


Fonte: http://www.jornaldamulher.org/comportamento/comportamento.htm


 

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *