O mistério dos temperamentos.

É preciso estar em harmonia para compreender que a escala evolucionária está para todos e cada um a uma linha do tempo. Todas as pessoas sempre chegam ao lugar onde estão sendo esperadas. Deus deu a cada um de nós o mesmo poder para o dom da vida e do livre arbítrio. Cada um de nós carrega a fonte inesgotável dos antepassados, um poder infinito para superar preocupações, dificuldades e contrariedades, para o evoluir gradativamente. Este é um dos maiores enigmas que a humanidade procura compreender. A necessidade faz de cada ser humano reagir e comportar-se de forma egoista ou coletiva. Pela maneira de pensar e refletir do ser humano passamos a aproximar do decifrar desse enigma mas percebemos que difere e muito de cada criatura, no que consiste a essência da natu¬reza humana.
Um mais um é sempre mais que dois. Se todos nós teremos o mesmo fim, se Deus não escolhe os preparados e sim prepara os escolhidos, porque durante toda a existencia e perante a vida atual esta afirmação ainda pode ser aprofundada? A natureza humana ressalta a sensação e o sentimento que cada um de nós tem em cada encontro com outra pessoa o de que, no fundo, cada ser humano é, por sua vez, um enigma para os outros e para si mesmo, por causa da natureza e da essência peculiar a cada um. Como diz o ditado; um falso amigo é mais agressivo que um animal selvagem. O animal selvagem pode ferir o nosso corpo, mas o falso amigo, vai ferir a nossa alma.
Mas de onde vem tanto mistério? O homem pode tratar o seu semelhante com respeito a esta ou aquela individualidade, revelando conhecer o que há em sua essência, mas transcorre o enigma da existência, que cada ser propõe ao nos defrontarmos com ele. E muitas vezes, quando nos aprofundamos nessa complexidade da natureza humana, podemos também ver cada indivíduo sob uma luz correta e com harmonia ou em decadencia. O corpo fala e é o maior denunciador de verdades e mentiras, pois, no mais íntimo de cada ser, do qual podemos ver com os olhos suas energias e tocar com as mãos apenas a expressão externa.
Será que podemos ter a esperança de chegarmos no grande espaço existente entre o que se cha¬ma de natureza humana e o que se defronta em cada ser humano em particular? Muita semelhança há em grupos humanos inteiros, como ao revelar que pessoas gostam de pessoas como elas são. A essas semelhanças, pertencem as qualidades das entidades espirituais e hu¬manas que hoje constituem o tema de nossas observa¬ções, e que normalmente chamamos de temperamento do homem ou algo mais além, por se dizer, mistérios, a expressão da Aura.
A aventura da amizade e o vai e vem dos sentimentos revelam que o temperamento deve ser algo ligado tanto ao mais íntimo cerne da essência hu¬mana como à natureza humana em geral. Portanto, o temperamento do homem é algo que aponta para duas direções: a harmonia ou a desarmonia, considerando como derivadas da hereditariedade. É preciso sair definitivamente do círculo vicioso e entrar para o círculo virtuoso. Gratidão gera gratidão. Há muita coisa que pode ser esclarecida a respeito do homem quando, por assim dizer, conhecemos seus sentimentos mais ilhados, no que diz as verdades implicitas no maior livro de inteligência emocional e relações humanas; orai e vigiai. Um coração agradecido se comunica com Deus. Boas energias. Eu acredito em você.

Sobre o Autor
Gilberto Pompermayer é conferencista motivacional, psicanalista, biólogo, pedagogo,educador holístico e especialista em engenharia humana, saúde e educação. Estudioso com grande e profunda experiência e conhecimento na mente e na natureza humana. Exerce clínica psicanalítica e organizacional com ênfase motivacional, comportamental, educacional e vocacional. Freqüentemente escreve e publica artigos em sites, revistas e jornais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *