O parque nacional do superagüi

Parque Nacional do Superagüi


OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA UNIDADE


Proteger e preservar amostras dos ecossistemas ali existentes, assegurando a preservação de seus recursos naturais, proporcionando oportunidade controlada para uso pelo público, educação e pesquisa científica.



DECRETO E DATA DE CRIAÇÃO


Foi criado pelo Decreto n° 97.688 de 25.04.1989 e ampliado pelo Decreto n° 9.513 de 20.11.97.


ASPECTOS CULTURAIS E HISTÓRICOS


A ilha do Superagüi foi inscrita como Patrimônio Natural e Histórico em 1970 pela Divisão do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural do Paraná. Este processo foi contestado pela Companhia Agropastoril Litorânea do Paraná em 1984, a fim de tomar posse das ilhas das Peças e do Superagui para a criação de búfalos e de um pólo turístico. Felizmente, após análise dos acontecimentos acima, foi reconhecido, em 1985, o tombamento da ilha do Superagüi, colocando-se uma série de proibições em relação à várias atividades potencialmente danosas ao meio ambiente. Com a finalidade de garantir a proteção das ilhas de forma mais eficaz, foi criado em 1989 a unidade, formada assim pela ilha do Superagüi e pela ilha das Peças. Ao ser ampliado, em 1997, abrangeu também uma parte do continente, denominada Vale do Rio dos Patos, e as ilhas do Pinheiro e Pinheirinho. Em 1991 a região foi abrangida pela Reserva da Biosfera Vale do Ribeira-Serra da Graciosa e em 1998 foi intitulada pela UNESCO como Sítio do Patrimônio Natural da Humanidade.


As áreas que formam a unidade eram habitadas por índios Tupiniquins e/ou Carijós, na época da colonização do Brasil, os quais foram extingüidos em razão da escravidão pelos brancos ou morte por doenças trazidas durante este período. Historicamente o local passou por influências distintas: fase luso-indígena; fase de fazendas agropecuárias dos jesuítas; fase de colonização suiça e, posteriormente, transformação em colônias de pescadores. O suiço William Michaud se destacou como líder, sendo nomeado professor em 1883, e, posteriormente, Juiz de paz e Agente Postal. Quando faleceu (1902), foi enterrado na própria península de Superagüi e até hoje é famoso em razão de suas telas pintadas sobre a natureza do local. O nome da unidade é de origem tupi-guarani e significa “Rainha dos Peixes”.


ÁREA, LOCALIZAÇÃO E ACESSOS


Possui uma área de 33.988,00 ha e perímetro de 339 km . Está localizado no estado do Paraná, em terras do município de Guaraqueçaba. O acesso é feito, saindo-se de Curitiba, pela rodovia BR-227 até o município de Antonina e depois pelas PR-440 e PR-405 até a cidade de Guaraqueçaba, percorrendo-se um total de 180 Km; a partir de Guaraqueçaba o acesso à unidade só pode ser realizado através de embarcações. Ou então pela BR-227 até o município de Paranaguá e de lá por via marítima até o Parque.


CLIMA


Clima sub-quente, super-úmido, sem seca (temperado), no inverno pode chegar à temperaturas baixas.


QUE VER E FAZER (ATRAÇÕES ESPECIAIS)/ÉPOCA IDEAL PARA VISITAÇÃO



O Parque não é aberto à visitação pública, mas o entorno é visitado, bem como as praias, mesmo estando estas dentro da unidade, por ser uma visitação moderada, não podendo acampar nas mesmas. O seu maior atrativo é a Praia Deserta, que possui 38 Km de praias virgens que podem ser apreciadas em caminhadas a pé (4 a 7 horas) ou de bicicleta. É possível também, ver na ilha do Pinheiro, a revoada dos papagaios-da-cara-roxa que ocorre ao entardecer e ao amanhecer. A paisagem, constituída pelas áreas de manguezais contínuas e Floresta Atlântica, intercaladas pelas águas do estuário e do Oceano Atlântico, apresenta grande beleza cênica.


RELEVO


Apresenta caráter montanhoso ao norte e planícies litorânea ao sul e sudeste.


VEGETAÇÃO


Está situado no domínio da Floresta Atlântica, apresentando Formações Pioneiras de Influência Marinha (vegetação de praias, dunas e restinga); Formações Pioneiras de Influência Flúvio-Marinha (manguezais); Floresta Ombrófila Densa de Terras Baixas ( que ocorre nas planícies, até 50 m a.n.m) e Floresta Ombrófila Densa Sub-Montana (que ocorre entre 50 a 500 m a.n.m). Ombrófila quer dizer afinidade com a umidade, portanto, em todo a área do Parque podem ser vistas muitas bromélias e orquídeas.


FAUNA


A fauna do Parque é representada por uma grande diversidade de espécies, dentre as aves destaca-se o papagaio-da-cara-roxa, que é endêmico da região, o colhereiro, tiê-sangue e tangarás. Já entre os mamíferos destacam-se: pacas, cutias, veados, bugio, onça-parda, jaguatirica e o mico-leão-da-cara-preta, este endêmico também. Neste parque ocorrem animais peçonhentos como cobra coral e jararacas.


USOS CONFLITANTES QUE AFETAM A UNIDADE E SEU ENTORNO


A retirada de madeira, a caça, os conflitos entre pescadores e índios, a construção de casas de turistas, o corte clandestino de palmito e os desmatamentos e caça de animais silvestres feitos pelos índios que exploram a área do Parque, são os maiores problemas enfrentados pela unidade.


BENEFÍCIOS INDIRETOS E DIRETOS DA UNIDADE PARA O ENTORNO


Proteção do habitat de vários animais, sendo um dos mais importantes o mico-leão-de-cara-preta, pois sua proteção está restrita somente à área da unidade. A Praia Deserta possibilita que espécies de aves migratórias encontrem ambiente adequado para descanso. As populações humanas do entorno estão sendo beneficiadas pelas atividades de turismo e o município pelo ICMS Ecológico.


ACORDOS DE PARCERIA


Universidade Federal do Paraná, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, as Faculdades Integradas Espírita do Paraná e Santa Catarina e a SPVS (Sociedade de Pesquisa da Vida Silvestre e Educação Ambiental).


INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A UNIDADE


Número total de Funcionários


02 funcionários do IBAMA.


Infra-estrutura disponível


A infra-estrutura existente na cidade de Guaraqueçaba é compartilhada com a ESEC de Guaraqueçaba e o PARNA do Superagui, sendo: 1 sede administrativa com garagem, almoxarifado, alojamento para pesquisadores/funcionários (324 m2); 1 centro de visitantes com sala de exposição, biblioteca e almoxarifado (320 m2). Como patrimônio exclusivo do Parque Nacional tem-se: 1 posto de vigilância (84 m2 – ilha do Pinheirinho); uma sede com alojamento na ilha do Superagüi (100 m2); 1 Gol (2000); 1 Saveiro (2000); 2 embarcações, uma com motor de popa de 150 HP e outra com motor de popa de 40 HP; sistema de comunicação ( 4 rádios fixos, 2 rádios móveis e 1 repetidora); computador com impressora; rede elétrica e hidráulica. Nas ilhas do Superagüi e das Peças só existem telefones públicos.


Fonte: www.brasilturismo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

o parque nacional do superagüi

o parque nacional do superagüi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *