O parque nacional marinho de fernando de noronha

Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha


OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA UNIDADE


Preservar o ecossistema marinho; proteger a tartaruga Aruanã (Chelonia midas ); garantir a reprodução e o crescimento do Golfinho-rotator (Stenella longirostris) e proteger os corais da região.



DECRETO E DATA DE CRIAÇÃO


Foi criado pelo Decreto n° 96.693 de 14.09.1988


ASPECTOS CULTURAIS E HISTÓRICOS


Logo após o descobrimento em 10/08/1503, por Américo Vespúcio, vários impactos negativos aconteceram no Parque, como: desmatamento de mais ou menos 95% da vegetação original, introdução de animais e plantas, lixo, animais domésticos soltos na ilha, caça, pesca, entre outros.


ÁREA, LOCALIZAÇÃO E ACESSOS


São 20 ilhas e ilhotas totalizando 26 km2 de extensão e 11.270 ha de área, sendo que a ilha principal, é Fernando de Noronha. Localiza-se à 345 Km a NE do Cabo de São Roque (RN) e 545 km de Recife (PE). O acesso ao arquipélago pode ser por via aérea ou marítima, saindo de Natal ou Recife.


CLIMA



O clima é Tropical, com estação seca bem definida. Entre agosto e janeiro ocorrem as menores precipitações e entre janeiro e junho concentram-se as precipitações máximas. As temperaturas variam entre 23,5° C e 31,5° C.


QUE VER E FAZER (ATRAÇÕES ESPECIAIS)/ÉPOCA IDEAL PARA VISITAÇÃO


É aberta à visitação todos os dias da semana, de 8:00 às 18:00 hs. O valor do ingresso é R$ 9,00. Os principais atrativos do Parque são: as praias, as trilhas, os mergulhos e os passeios marítimos. Deve-se visitar o Buraco do Raquel que têm piscinas naturais e pode se observar a fauna marinha, e também, a praia do Leão, a praia do Atalaia, a ponta das Caracas, a baía de Sueste, a baía dos Golfinhos, a praia do Sancho e o morro do Vor (vista panorâmica).


RELEVO


Há variações de relevo que vão desde áreas planas até picos e morros. Em algumas regiões destacam-se os paredões e platôs.


VEGETAÇÃO


A vegetação das ilhas incluem a Floresta Atlântica, a Caatinga, o Pinheiral e a Restinga. A vegetação é principalmente de arbustiva a herbácea com muitas invasoras. Já a vegetação marinha, se comparada a outras brasileiras é pobre em diversidade.


FAUNA


A avifauna é rica, apresentando endemismo, como a espécie Phaethon lepturus ascensionis, que não ocorre em outra área brasileira. Algumas espécies são migratórias ou visitantes. Quanto a fauna marinha, há registros de corais e hidrocorais variados.


USOS CONFLITANTES QUE AFETAM A UNIDADE E SEU ENTORNO


A principal ilha apresenta fortes alterações antrópicas. Houve ocupação desordenada, retirada de lenha, introdução de fauna e flora exóticas, construção de açudes, aeroportos e estradas, exploração de uma pedreira e destruição quase total do único manguezal do arquipélago.


BENEFÍCIOS INDIRETOS E DIRETOS DA UNIDADE PARA O ENTORNO


A unidade de conservação é fundamental para proteção da beleza cênica do arquipélago, da avifauna, da fauna marinha e especificamente de tartarugas, golfinhos e corais.


ACORDOS DE PARCERIA


Não possui acordos de parceria


INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A UNIDADE


Número total de Funcionários


24 funcionários do IBAMA, 02 funcionários cedidos pelo ex-MARE e 02 funcionários de firmas de limpeza e vigilância.


Infra-estrutura disponível


1 sede administrativa/centro de informações com garagem e almoxarifado; sistema de comunicação (rádios fixos e volantes, fax e telefone); rede hidráulica e elétrica (gerador); 1 centro de visitantes com sala de projeção, museu, sala de exposições, salão de eventos e sala de vídeo; 25 Km de estradas; 10 Km de trilhas; 7 postos de vigilância; 2 Toyotas (1995); 1 Lander Rover; 1 Buggy; 3 motos (1995); 1 barco e 1 motor de popa (40 Hp).


Fonte: www.brasilturismo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *