o percurso sociolinguistico dos indios residentes no distrito de riozinho





























Autor: Maria do Socorro Pessoa
[pt] Da aldeia ao asfalto : o percurso sociolinguistico dos indios residentes no Distrito de Riozinho, Municipio de Cacoal, Estado de Rondonia
Instituição de Defesa: Universidade Estadual de Campinas . Instituto de Estudos da Linguagem
Data de Defesa: 2004-02-16
Resumo: [en] This Thesis is a research about a Suruí indian group who call themselves as “Suruí Paíter”. They speak Suruí Language and they live in Riozinho, a District of Cacoal, in Rondônia, in Brazil. Suruí Paíter, this research s object lived in villages named “Linhas 8, 9, 10, 11, 12 and 14”, in the indigenous area called “Sete de Setembro”, located in Aripuanã. After the contact with immigrants who carne ITom several parts ofthe Country to Rondônia State, and this fact occurs at the same time of the instalation of the FUNAI?s department in the District of Riozinho, the Suruí Paíter had their land invaded by the new colonizers, and they also had stolen their woods, their animaIs and their landed properties. They saw their rivers and their forest been devasted day-by-day and, quickly, they contracted diseases that caused dead of the members of their families. In contact with the white men, and specially because they needed medicines, foods and c1othes, they were forced to move to the urban area. While they stayed in the city waiting for material confort they were deciding to move to there and they bought houses which they transformed in huts, like their original buildings. Forced by the contact with the white people they learned Portuguese language, because when they lost their landed properties they were exposed to the natural process of the loose of their culture, as in their language, their religion and in all their life. Today is installed a situation of conflictual use of Portuguese Language and Sumí Language as a bilinguism, in special by the men who need to preserve the traditions at the same time that need to sell their products from their forest for surviving with their families, but we have many Sumí s voices asking for the victory to Portuguese language. During the research we show the teorical readings that directed us to define the practices of languages utillized by this people. We show the members way of speeaking to help us in finding this definition. In our sample of research we utillized important sociolinguistics instruments for collecting our dates: the questionary, the interview, tape recorded and video. Our first contact with our informants was in 2000 and, after, in the second semester of 2002, when we carne back to confirm datas and for collecting new ones
[pt] Esta tese é resultado de pesquisa sobre o grupo indígena Suruí, que se autodenomina Suruí Paíter, falantes da Língua Suruí, residente no Distrito do Riozinho, Município de Cacoal, no Estado de Rondônia, Brasil. Os Suruí Paíter viviam inicialmente em aldeias localizadas nos espaços denominados Linhas 8, 9, 10, 11, 12 e 14 da Área Indígena Sete de Setembro, situada na região denominada Aripuanã, na fronteira de Mato Grosso com Rondônia. Após o contato com os imigrantes que vieram de diversas partes do país para o Estado de Rondônia, fato esse que coincide com a instalação de um Posto da FUNAI no Distrito do Riozinho, os Suruí tiveram suas terras invadidas pelos novos colonizadores, assim como tiveram também roubadas suas madeiras, animais da floresta e outros bens naturais. Viram seus rios e sua floresta devastados no dia-a-dia e, rapidamente, foram contraindo doenças que causaram grande mortandade de seus familiares. No contato com o homem branco, e, especialmente, por necessitarem de remédios, alimentos e vestuários, foram forçados a migrar para a zona urbana à busca desses recursos. Nos longos períodos de espera pelos recursos materiais e de saúde foram adquirindo casas e transformando-as em imitações das malocas que deixaram nas aldeias. O contato com os colonizadores os forçou a aprenderem a língua portuguesa, inicialmente como recurso supremo de sobrevivência, uma vez que, perdendo suas terras e suas riquezas naturais, ficaram expostos ao processo natural de aculturação em vários níveis: lingüístico, religioso e cultural. Hoje está instalada uma situação de uso das duas línguas, português e Suruí entre a grande maioria dos Suruí residentes na zona urbana. Paralelamente ao uso dessas duas línguas, estão instaladas, também, situações diversas que comprovam o caminho para a vitória da língua portuguesa. A pesquisa investigou os espaços de uso de uma ou outra língua, assim como foram estabelecidos critérios metodológicos próprios da pesquisa sociolingüística: questionários, roteiros para entrevistas, fitas gravadas em áudio e vídeo. Nossos primeiros contatos com os informantes ocorreram no ano de 2000 e, posteriormente, no segundo semestre de 2002, quando voltamos ao trabalho de campo tanto para confirmar dados coletados como para atualizá-los e analisá-los para a apresentação da situação sociolingüística do povo Paíter, do Distrito do Riozinho
Titulação: Doutor em Linguistica
Contribuidor(es): Tania Maria Alkmim
Tania Maria Alkmim [Orientador]
Assuntos: [pt] Cultura e sociedade
[pt] Sociolinguistica
[pt] Indios Surui
[pt] Linguagem e cultura
Documentos Digitais: Download Arquivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *