O que é hepatite a e qual seu diagnóstico e tratamento?

A Hepatite A, também conhecida como hepatite infecciosa[1] é uma doença aguda do fígado, causada pelo vírus da Hepatite A (HAV), geralmente de curso benigno.
Índice
[esconder]

* 1 Vírus da Hepatite A (HAV)
* 2 Epidemiologia
* 3 Progressão e sintomas
* 4 Diagnóstico e tratamento
* 5 Profilaxia
* 6 Referências bibliográficas

[editar] Vírus da Hepatite A (HAV)

* Grupo: Grupo IV ((+)ssRNA)
* Familia: Picornaviridae
* Género: Hepatovírus
* Espécie: Vírus da Hepatite A

O vírus da Hepatite A é da familia dos picornavirus, e o seu genoma é de RNA unicatenar (simples) positivo (é usado directamente como mRNA na síntese proteica). Tem capsídeo icosaédrico, mas não possui envelope. O vírus é muito resistente a condições externas adversas.

Vírus da Hepatite A – corte de microscopia eletrônica

[editar] Epidemiologia
Incidência da Hepatite A. Vermelho escuro: muito alta incidência; Vermelho: alta; Amarelo: média; Cinzento: baixa
Incidência da Hepatite A. Vermelho escuro: muito alta incidência; Vermelho: alta; Amarelo: média; Cinzento: baixa

A transmissão é feita por alimentos mal-preparados e água contaminadas por fezes contendo o vírus (transmissão fecal-oral), além da possível presença de fômites no ciclo. Pode ser absorvido de marisco proveniente de águas contaminadas com esgotos. Pode ocorrer em surtos epidêmicos (H2O contaminada), tendo relação com menores condições socioecônimas-educacionais. Geralmente acomete a população infantil. Apresenta a característica de não cronificar, mas pode apresentar casos arrastados. A forma fulminante é muito rara (0,6% dos casos) e aumenta seus casos com o aumento da idade.Mais de 40% dos casos de hepatite são causados pelo HAV, e 50% da população adulta já o terá encontrado.

Imagem:Hepatite A – Curso Sorológico Típico.jpg‎

No Brasil, 75% da população adulta já teve contato com o vírus (apresentando sorologia IgG-anti HVA positiva). Os anticorpos são protetores para toda vida, não há manifestações por imunocomplexos.

[editar] Progressão e sintomas

O vírus é ingerido com os alimentos ou água. O período de incubação dura cerca de um mês. No intestino infecta os enterócitos da mucosa onde se multiplica. Daí dissemina-se pelo sangue, e depois infecta principalmente as células para as quais mostra a preferência, os hepatócitos do fígado. Este tropismo é devido à abundância nessas células dos receptores membranares a que o vírus se liga durante a invasão. Os vírions produzidos são secretados nos canais biliares e daí, via ampola de Vater, no duodeno, sendo expelidos nas fezes.

Os sintomas são tantos devidos aos danos do vírus como à reacção destrutiva para as células infectadas pelo sistema imunitário. Mais de metade dos doentes poderão ser assimptomáticos, particularmente crianças. Surgem geralmente de forma abrupta febre, dor abdominal, náuseas, alguma diarréia que se mantém durante cerca de um mês. Mais de metade dos doentes desenvolve então icterícia (pele e conjunctiva do olho amarelada devido à disfunção do fígado. Em 99% dos casos segue-se a recuperação e cura sem problemas.

Em 1% dos casos os sintomas podem ser muito mais graves e rápidos, a denominada hepatite fulminante. Ocorre icterícia mais intensa e encefalopatia (devido à não regulação pelo fígado da amónia sanguínea neurotóxica), com distúrbios psiquiátricos e degradação das funções mentais superiores, seguida de morte em 80% dos casos. Na hepatite por HAV ao contrário da Hepatite B ou C, não há casos de doença crónicas.

Quando acomete adultos a doença é muito mais sintomática, prolongada e com risco muito maior de agravar do que na criança. Apresenta período de incubação curto: 2-6 semanas. O vírus pode ser isolado nas fezes 15 dias antes dos sintomas e até 15 dias após sua resolução.

[editar] Diagnóstico e tratamento

Não existe tratamento especifico contra a hepatite A nem embasamento terapêutico para recomendar repouso absoluto. Na vigência dos sintomas, porém, o próprio paciente se impõe repouso relativo. Pessoas que vivam no mesmo domicílio que o paciente infectado ou que estejam em más condições de saúde podem receber imunoglobulina policlonal para protegê-los contra a infecção. O consumo de álcool deve ser abolido até pelo menos três meses depois que as enzimas hepáticas voltaram ao normal. O diagnóstico é por detecção indireta de anticorpos específicos anti-HAV do tipo IgM e IgG.

[editar] Profilaxia

* Respeito às medidas de higiene universais: hábito de higienização das mãos, alimentar-se com alimentos de origem eslcarecida, ingerir água tratada (uso de cloro na desinfecção da água).
* Cuidados de saneamento básico: (esgoto, fossas sépticas).
* Imunização ativa através de vacina (2 doses não sendo necessário reforço).
* Imunização passiva por imunoglobulinas humanas não específicas para prevenir casos secundários, quando existência de caso índex.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *