o que é taiko

Fora do Japão, a palavra é usada frequentemente para referir-se a alguns dos vários tambores japoneses (和太鼓, wa-daiko, “Tambor Japonês”, em Japonês)


 


 


Tipos de Taiko


O nagado-daiko (長胴太鼓, taiko de corpo longo) consiste de duas peças de pele de vaca estendidas e tensionadas sobre um corpo de madeira (tradicionalmente escavado em uma única peça, mas hoje em dia feita de tábuas como um barril). As peles do tsukeshime-daiko (付締め太鼓, às vezes chamado simplesmente de “shime-daiko” ou “shime”) são estendidas sobre anéis de aço e montadas como um sanduíche sobre um corpo menor. As cordas usadas para fixar as peles no tsukeshime-daikos são tensionadas antes de cada uso. O okedo-daiko (桶胴太鼓, taiko com corpo em barril, normalmente chamado de “okedo” ou “oke”) pode ser montado sobre um suporte e tocado como outros tipos de taiko, mas é usualmente fixado com alças e carregado nos ombros do percussionista que pode assim andar e tocar ao mesmo tempo. Outros taikos japoneses incluem o uchiwa-daiko (内輪太鼓、 taiko), hira-daiko (平太鼓, taiko chato), o-daiko (大太鼓, grande taiko) e uma variedade de outros instrumentos de percussão utilizados nos conjuntos musicais japoneses como o noh, o gagaku e o kabuki.


 


Os tambores okedo-daiko drums vão desde pequenos instrumentos fáceis de carregar até o maior de todos os tambores japoneses. Diferentemente do nagado, este tambor pode ser feito em vários tamanhos mas não em qualquer tamanho, devido à sua construção com tábuas de madeira.


 


A região de Aomori é famosa pelo festival Nebuta onde enormes okedo-daiko são tocados por muitas pessoas enquanto são transportados pelas ruas.


 


O okedo também pode produzir um som metálico por percussão em seu anel, chamado “ka.” Ao produzir este som, os músicos devem ter cuidado para percutir apenas a parte externa do anel metálico e não o ponto de fixação no corpo do instrumento. A madeira fina e leve do okedo pode ficar marcada e rapidamente deteriorada se atingida.


 


 


Usos do taiko na guerra


No Japão feudal, taikos eram frequentemente usados para motivar as tropas, para ajudar a marcar o passo na marcha e para anunciar comandos e anúncios marciais. Ao se aproximar ou entrar no campo de batalha o taiko yaku (tocados de tambor) era responsável por determinar o passo da marcha, usualmente com seis passos por batida do tambor (batida-2-3-4-5-6, batida-2-3-4-5-6).


 


De acordo com uma das crônicas históricas (o Gunji Yoshu), nove conjuntos de cinco batidas servia para levar um batalhão à batalha, enquanto nove conjuntos de três batidas aceleradas três ou quatro vezes e seguidas pelos gritos “Ei! Ei! O! Ei! Ei! O!” era a chamada para avançar e perseguir o inimigo.


 


 


Termos relacionados


Bachi 


as baquetas de madeira utilizadas para tocar o taiko.


Ji 


também chamado Jiuchi, é um ritmo básico usado para suportar o ritmo principal, ou o O-uchi. Pode também ser descrito como a métrica ou o caráter de uma peça. Alguns dos ritmos mais comuns para o ji são don doko, don ko, ou don go (padrão sincopado). Um Jikata é o músico que toca o ritmo ji.


Ma 


um termo japonês para “espaço”, é usado na música para descrever um período de silêncio (pausa). Na execução do taiko, ma é o período de tempo entre as batidas. É importante apreciar este silêncio da mesma forma que se apreciam as batidas. Uma vez que os conjuntos de taiko são focados no ritmo, o ma é crucial para adicionar dramaticidade e tensão. O ma pode ser uma pausa rítmica ou um silêncio estendido (como uma fermata) a ser quebrado por iniciativa do executante. Se o percussionista se concentra em ouvir o ma entre as batidas, ele ou ela vai criar um som muito mais efetivo e satisfatório.


Oroshi 


é caracterizado por uma série de batidas no tambor. O executante começa lentamente com muito ma. Gradualmente o tempo de ma entre cada batida diminui mais e mais, até que seja tocada uma sequência muito rápida de batidas.


 

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *