O que é urso de óculos

Urso-de-óculos























Urso de óculos


Estado de conservação

Classificação científica























Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Ursidae
Género: Tremarctos
Espécie: T. ornatus

Nome binomial
Tremarctos ornatus


O urso-de-óculos, urso-andino ou ainda urso-de-lunetas (Tremarctos ornatus) é o único urso característico da América do Sul e é considerado como uma espécie vulnerável, a mais vulnerável de todos os ursídeos, com exceção ao seu primo mais próximo, o panda gigante da República Popular da China. A pelagem do urso-de-óculos é negra e apresenta uma faixa de cor creme no focinho, pescoço e peito. A maior parte da dieta do urso-de-óculos, como a de todos os ursos, é vegetariana, consistindo principalmente de frutos da época e de bromélias, as quais abundam nas árvores da florestas andinas, mas também cactos, brotos de bambu, milho, raízes, insetos, pequenos mamíferos e até mesmo carcaças de animais mortos (carniça). Os machos podem chegar a pesar cerca de 120 kg de peso enquanto que as fêmeas, bem menores, chegam a pesar 60 kg.


A gestação dura de 6 a 7 meses, nascendo no máximo 3 filhotes. Após o terceiro mês começam a caminhar e aos 6 acompanham a mãe nas suas deslocações. O urso-de-óculos presta cuidados parentais até ao primeiro ano das crias. São animais muito ágeis e excelentes trepadores de árvores. Como todos os ursídeos o urso-de-óculos possui um nariz extremamente aguçado, não existindo embalagens suficientemente capazes de esconder a existência de alimentos em sua presença, mesmo a longa distância, em seu habitat natural. A única maneira de evitar ser detectado pelo apurado sistema olfativo deste animal é tomando-se vantagem da direção do vento.


O urso-de-óculos é um animal solitário, com hábitos noturnos e crepusculares, que vive nas copas das árvores e que não hiberna. Esta espécie tem um comportamento extremamente dócil para com o Homem, excepto no caso de fêmeas que consideram as suas crias ameaçadas. Nestas condições já se registraram alguns acidentes graves.


Sabe-se muito pouco sobre a vida e hábitos do urso-andino até o presente momento (2006), especialmente se forem levados em conta o grande número de empreendimentos científicos dedicados ao estudo de outras espécies ursinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *