O que estuda a engenharia de alimentos?

A engenharia de alimentos é a área da engenharia voltada ao desenvolvimento, produção e conservação de alimentos.

É uma área de conhecimento específica capaz de englobar todos os elementos relacionados com a industrialização de alimentos, e que pode através do profissional com esta formação, potencializar o desenvolvimento deste ramo em todos os níveis; seja na formação de profissionais, no subsídio à elaboração de políticas, nos projetos de pesquisa, na atuação dentro das empresas do setor, como na colaboração à preservação da saúde pública (normatização técnica, orientação e fiscalização).

Atualmente a profissão de engenheiro de alimentos está muito difundida, principalmente nos países mais industrializados, onde desempenha cada vez mais atividades relacionadas com excelência. Há que se ressaltar ainda que, no caso desses países, existem muitas oportunidades de intercâmbio com o Brasil , possibilitando o contato com tecnologias de ponta, para posterior adaptação e aplicação às nossas condições.
Índice
[mostrar]

* 1 Formação
* 2 Atuação do engenheiro de alimentos
o 2.1 Produção/processos
o 2.2 Garantia de qualidade
o 2.3 Pesquisa e desenvolvimento
o 2.4 Projetos
o 2.5 Comercial/marketing
o 2.6 Fiscalização de alimentos e bebidas
* 3 Faculdades em Portugal
* 4 Faculdades no Brasil
o 4.1 Fonte
* 5 Ligações externas

[editar] Formação
A variedade de produtos e marcas de alimentos industrializados cresce a cada ano
A variedade de produtos e marcas de alimentos industrializados cresce a cada ano
Esquema da Fenilalanina hidroxilase. O Conhecimento das enzimas e de seus mecanismos, estabilidade, atividade e inativação são de fundamental importância para o engenheiro de alimentos.
Esquema da Fenilalanina hidroxilase. O Conhecimento das enzimas e de seus mecanismos, estabilidade, atividade e inativação são de fundamental importância para o engenheiro de alimentos.

A engenharia de alimentos é uma profissão de caráter multidisciplinar. Abrange diversas áreas do conhecimento humano, mas especialmente duas:

* Ciências exatas (Engenharia)
o Matemática aplicada
o Físico-química
o Termodinâmica
o Operações unitárias
* Ciências biológicas (Alimentos)
o Bioquímica
o Microbiologia
o Nutrição
o Matérias primas agropecuárias

Esse caráter multidisciplinar da profissão é conseqüência do tipo de informações necessárias para o domínio da tecnologia de processamento dos alimentos. É preciso conhecer com profundidade os alimentos:

* Os diferentes tipos (carnes, frutas, hortaliças, laticínios, grãos etc.),
* Sua composição (proteínas, açúcares, vitaminas, lipídios, etc.)
* Sua bioquímica (reações enzimáticas, respiração, maturação, envelhecimento, etc.)
* Sua microbiologia (microorganismos, deterioração, infecções e intoxicações de origem alimentar etc.)
* Características sensoriais (sabor, textura, aroma, cor, etc.)

E as diversas técnicas e processos:

* Beneficiamentos (moagem, extração de polpas, sucos, de óleos vegetais, etc.)
* Tratamentos térmicos (pasteurização, esterilização, congelamento, liofilização, etc.)
* Biotecnologia (fermentação, tratamentos enzimáticos, etc.)
* Emprego de ingredientes e matérias-primas

e também embalagens de alimentos, que estão estritamente ligados à essa área.

O conhecimento das interações entre processo x alimento visam o controle das condições que proporcionam os padrões de qualidade desejados, a evolução de técnicas tradicionais e a viabilização de produtos inéditos no mercado.

O propósito do curso de engenharia de alimentos é preparar profissionais capazes de desempenhar as atividades de engenharia dentro das Indústrias do ramo da alimentação, desenvolvendo projetos e processos produtivos, a partir das características de qualidade dos produtos, objetivando a otimização dos recursos e aumento da produtividade. Dessa forma, além da formação básica (ciências exatas e biológicas), o curso oferece disciplinas na área de ciências humanas, visando introduzir os conceitos administrativos para as atividades gerenciais.

[editar] Atuação do engenheiro de alimentos

O engenheiro de alimentos atua dentro dos seguintes segmentos:

* Indústria de produtos alimentícios
* Indústria de insumos para processos e produtos (matérias-primas, equipamentos, embalagens, aditivos)
* Empresas de serviços
* Órgãos e instituições públicas
* Desenvolvimento de novos produtos e embalagens para alimentos

Exercendo suas atividades nas seguintes áreas:
O(A) engenheiro(a) de alimentos atua em todas as áreas da indústria de alimentos, desde a pesquisa até a área comercial.
O(A) engenheiro(a) de alimentos atua em todas as áreas da indústria de alimentos, desde a pesquisa até a área comercial.

[editar] Produção/processos

Desenvolvimento, implementação, racionalização e melhoria de processos e fluxos produtivos para incremento da qualidade, produção, produtividade e redução dos custos industriais.

[editar] Garantia de qualidade

Determinação dos padrões de qualidade e de segurança alimentar para os processos e matérias-primas até o transporte do produto final, planejamento e implantação de estruturas para análise e monitoramento destes processos, e treinamento de pessoal para prática da qualidade como rotina operacional.

[editar] Pesquisa e desenvolvimento

Desenvolvimento de produtos e tecnologias com objetivo de atingir novos mercados, redução de desperdícios, reutilização de subprodutos e aproveitamento de recursos naturais disponíveis. Nesta área também cobre o desenvolvimento de tecnologias de aplicação de novos insumos.

[editar] Projetos

Planejamento, execução e implantação de projetos de unidades de processamento: “lay-out” de plantas e instalações industriais, equipamentos, bem como seu estudo de viabilidade econômica.

[editar] Comercial/marketing

Utilização do conhecimento técnico como diferencial de marketing na prospecção e abertura de mercados, na assistência técnica, no desenvolvimento de produtos junto aos clientes e apoio à área de vendas.

[editar] Fiscalização de alimentos e bebidas

Atuação junto aos órgãos governamentais de âmbito municipal, estadual e federal, objetivando o estabelecimento de padrões de qualidade e identidade de produtos, e na aplicação destes padrões pelas indústrias, garantindo assim, os direitos do consumidor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *