O que são fantasmas

Um fantasma (do grego φάντασμα, derivado de φαντάζω, “mostrar” e φαντάζομαι “aparecer”) é, em seu sentido original, uma imagem não correspondente à realidade, ou seja, uma ilusão visual, produto da fantasia. Por extensão, o termo designa espíritos de pessoas que supostamente permaneceria na Terra depois de sua morte. Cada cultura no mundo contém histórias sobre fantasmas, mas as crenças divergem substancialmente de acordo com o período e local, muitas vezes discordando sobre o que são fantasmas e se realmente eles existem (respeitando a crença de cada povo).

Segundo a Enciclopédia do Sobrenatural, editada por Richard Cavendish, o termo “fantasma” normalmente se refere à “aparência imaterial” de uma figura humana que, se identificável, é de alguém falecido. O termo “aparição”, como fantasma, é usado popularmente por séculos, mas nunca com um sentido específico estritamente definido. Por isso, não é um termo que possa ser definido clara e precisamente. As aparições não são vistas por todas as pessoas.

Somente indivíduos, de vez em quando, comunicam uma experiência dessas. Em geral, ocorre quando a pessoa está só, embora casos em que mais de uma parecem ter tido a mesma impressão ao mesmo tempo tenham sido comunicados com freqüência suficiente para se exigir uma explicação. Geralmente, a experiência com aparições ou fantasmas é transitória e, na maioria das vezes, única. Conseqüentemente, a ocorrência não é verificável com facilidade e a sua comunicação corre o risco de provocar ceticismo ou descrença na maioria dos ouvintes.

Atualmente, todas as experiências de aparições de fantasmas são atribuídas a experiências parapsíquicas.
Crença em fantasmas

Fantasmas geralmente são descritos como: translúcidos, em forma de neblina, sombras ou emanando uma cor prateada. Algumas vezes manifestam-se visualmente de forma clara ou através de diferentes fenômenos como movimento de objetos, barulhos etc. que, pressupostamente, não possuem uma explicação natural.

No Ocidente, a crença comum diz que são almas que não conseguiram encontrar descanso depois da morte e, conseqüentemente, estão aprisionadas na Terra. A inabilidade de encontrar descanso é geralmente explicada como algumas responsabilidades não resolvidas, como a vítima que busca justiça ou vingança após sua morte. Criminosos geralmente são descritos como almas penadas que querem evitar Purgatório ou Inferno.

Acredita-se que fantasmas residem no Limbo, uma região que, de acordo com a doutrina Católica, é localizado entre o Céu e o Inferno onde as almas de crianças que não foram batizadas e as dos pagãos virtuosos encontram-se.

Na China, muitas pessoas acreditam na reencarnação. Fantasmas são almas que recusam reciclar-se, porque eles tem negócios não terminados, similar à crença ocidental. E dito que Exorcistas podem auxíliar um fantasma a reencarnar-se ou eliminar completamente sua existência. Nas crenças Chinesas, um fantasma, além de estar desencarnado pode também tornar-se imortal, um semi-Deus, ou pode ir para o inferno e sofrer pela eternidade, ou ainda pode falecer novamente e tornar-se o fantasma de um fantasma.

Tanto o Ocidente como o Oriente compartilham algumas crenças fundamentais sobre fantasmas. Eles podem vagar por lugares aonde geralmente viviam, ou aonde faleceram. Tais locais geralmente são conhecidos como assombrados (e daí surge o falso sinônimo assombração). Não possuem um corpo físico como os seres humanos, mas geralmente vestem-se com as roupas com que eram vistos enquanto vivos.
Uma ilusão de óptica que tem no espelho um rosto parecido com a de um fantasma
Uma ilusão de óptica que tem no espelho um rosto parecido com a de um fantasma

[editar] Visão espírita

Para o Espiritismo, sempre que efeitos físicos ocorrem sem que se encontre causas físicas para eles, pode estar se dando um caso de mediunidade inconsciente. Um dos efeitos físicos dessa natureza que pode acontecer é a visibilidade do perispírito de um espírito desencarnado.

Para que um fantasma apareça é imprescindível que uma ou mais das pessoas presentes seja médium de efeitos físicos, pois tais são os médiuns que cedem o ectoplasma necessário para que o perispírito dos espíritos desencarnados possa ser visível. Como, no entanto, grande parte dos médiuns de efeitos físicos ignora sua mediunidade, geralmente se pensa que os fantasmas podem aparecer a qualquer pessoa, sendo eles que escolhem a quem aparecer, o que não é o caso. Se apenas pessoas sem mediunidade de efeitos físicos estiverem presentes, nenhum fantasma poderá aparecer.

O Espiritismo esclarece que espíritos adiantados jamais assustam ninguém, estando sempre prontos somente para nos auxiliar. Os espíritos que assustam as pessoas, os chamados fantasmas, podem ser espíritos sofredores, levianos ou perversos. Os primeiros tentam fazer contato para relatar suas dores e buscar consolo, os segundos, para se divertir às custas do medo alheio e os últimos, para levar pessoas ao desespero, por vingança ou puro prazer em ver os outros sofrerem. Em qualquer dos casos, orienta o Espiritismo que se ore por tais espíritos e se tente envolvê-los com vibrações de afeto e compreensão.

Por último, é bom lembrar que o Espiritismo também ensina que todo efeito inteligente deve possuir uma causa inteligente. Assim, uma alegada aparição que não interaja com as pessoas presentes e que faça apenas movimentos mecânicos repetitivos, mesmo que complexos, ou não faça movimento algum não é um efeito inteligente, não podendo, portanto, ser um fantasma, que é a aparição de um espírito, um ser inteligente. Impressões psíquicas deixadas nos ambientes por eventos passados, por exemplo, podem ser acessadas por médiuns com a rara habilidade de psicometria, mas, pelo motivo acima exposto, nada têm a ver com fantasmas.

[editar] Análise psicológica do fenômeno

A maior parte dos cientistas diz que o fenômeno dos fantasmas não passa de uma visão psicológica inconsciente, que pode acontecer sem sequer estarmos a pensar nisso, o que é raro, sendo mais freqüente estarmos com um medo incontrolável quando tal ocorre, o que se dá, normalmente, quando visitamos casas assombradas, casas de banho em mau estado e vazias ou jardins e florestas sombrios. Em tais situações, nosso medo é tão grande que, inconscientemente, criamos uma situação psicológica que nos assusta (podemos ver sombras ou pessoas mortas em corpo real). Também acontece, freqüentemente, quando estamos em uma casa dita assombrada onde existe um espelho, de, ao olharmos para o espelho, vermos nele uma pessoa morta que parece real.

[editar] Análise cética

Enquanto alguns aceitam fantasmas como uma realidade, muitos outros são céticos com relação a existência de fantasmas.

Céticos buscam explicar a aparição de fantasmas como visões relacionadas ao princípio da navalha de Occam, que argumenta que a única adequada explanação para qualquer evento ou fenômeno é a mais provável explanação (explicação que , entretanto , muitas vezes é considerada simplista).

Isto geralmente significa que a sinceridade e o motivo da pessoa que narra o fato será questionada. Por exemplo, persistência de fantasmas é tipicamente associada a busca de justiça ou vingança. Atribuindo tais motivos e poderes a pessoas mortas pode ser interpretado como uma tática de medo direcionada aqueles que podem ter assassinado alguém.

Segunda, a possibilidade de um hoax ou con será considerada, com a narração da pessoa que é a vítima. Parece possível que, algumas vezes, o conto de histórias de fantasmas pode ter sido uma maneira de isolar comunidades e espantar intrusos. Também é acreditado que tais táticas podem ter sido elaboradas por membros da comunidade que se fingiam de fantasma (no entanto , outra vez a generalização é desaconselhada).

Terceiro, explicações baseadas na fisiologia humana. A aparição de fantasmas geralmente está associada a uma sensação de frio e figuras pálidas ou semi-transparentes. Uma natural reação ao medo é o arrepio que pode ser confundido naturalmente com o frio. O aspecto visual dos fantasmas pode também ser considerado pela fisiologia humana : a visão periférica é muito sensitiva na detecção de moção, mas não contêm muita cor e não oferece também formas concretas; portanto, uma cortina movendo-se ou outro movimento fora do focus de visão pode criar uma forte ilusão de uma figura misteriosa.

A natural ocorrência do infra-som, que são sons abaixo das freqüências auditivas humanas (abaixo 20 hertz), pode provavelmente explicar a noção ou a sensação de uma presença em um ambiente ou inexplicáveis sentimentos de ansiedade e pavor, como certas freqüências infrasônicas são conhecidas por gerar tais efeitos no corpo. A freqüência de 18hz é conhecida por causar vibração no olho humano, o que pode gerar a aparição de formas pálidas na visão periféfica.

Fatores psicológicos são também citados como explanações para a visão de fantasmas: pessoas sucetíveis podem ser sujeitas a exagerar interpretações de percepções quando visitando um determinado local no qual ocorreram desprazeirosos eventos históricos.

Há uma vertente de pensamento que diz que o fantasma não seria necessariamente uma alma ou um ser desincorporado, mas sim uma “impressão psíquica no ambiente (comumente chamado Éter)” em que essa impressão seria de momentos antes da morte ou apenas um momento marcante para determinada pessoa que ficaria gravado na localidade. Assim sendo, um fantasma, de acordo com essa crença, não teria noção das mudanças ocorridas ao seu redor e também não perceberia a presença de terceiros, impossibilitando assim de se comunicar com eles e de ser contatado. Essa seria um diferença em relação aos espíritos, que teriam sim, noção do mundo ao seu redor, afetando-o.

[editar] Fantasmas famosos

Um dos locais mais famosos pelos seus fantasmas é a Torre de Londres, que é descrita como assombrada pelos seguintes fantasmas:

* O fantasma sem cabeça de Anne Boleyn;

* O fantasma de Thomas Becket, que alegadamente apareceu durante a construção do Portão dos Traidores;

* Os fantasmas do rei da Inglaterra Eduardo V e Richard, Duque de York, e “Príncipes na torre”;

* O fantasma de Lady Jane Grey;

* O fantasma de Sir Walter Raleigh;

* Uma tropa de fantasmas que revivem a execução da Condessa de Salisbury;

É dito que muitos outros fantasmas habitam a Torre de Londres; tropas de fantasmas foram vistas muitas vezes lá, bem como a Dama de luto, sem face.

A Casa Branca em Washington, DC é dita ter sido assombrada pelo fantasma de Abraham Lincoln e por muitos outros espectros.

O fantasma do Imperador Romano Calígula é dito ter assombrado os jardins de Lamian em Roma, aonde seu corpo havia sido precipitadamente e sem cerimoniais enterrado, depois de seu assassinato.

Na descrição bíblica da Bruxa de Endor, o Rei Saul de Israel chama a bruxa para conjurar o fantasma do profeta Samuel e consultá-lo a respeito de uma situação precária. O suposto espírito do profeta não oferece assistência ao rei e, ao invés, blefa, anunciando sua morte. Saul, amedontrado com essas palavras acaba cometendo suicídio.

[editar] Fantasmas fictícios

Em muitas histórias, fantasmas geralmente são descritos como assombrando os vivos até que eles alcancem o que desejam ou algum sofrimento seja causado pela assombração.

* Na peça Hamlet de Shakespeare, um fantasma adquirindo a forma de Hamlet o pai, que havia falecido recentemente, aparece uma noite para o Principe Hamlet. O fantasma diz que ele havia sido de fato assassinado pelo seu irmão Claudius, que agora (pela graça de ter casado Gertrudes a mãe de Hamlet) ocupa o trono. O fantasma suplica a Hamlet que se vingue de Claudius. Quando Hamlet vê o fantasma, ele não está seguro se de fato é o espírito de seu pai ou um demônio que quer enganá-lo.

* O fantasma de Júlio César aparece para Brutus no “Júlio César”, de Shakespeare, para avisar Brutus de sua derrota eminente.

* Existem fantasmas super heróis que lutam pela justiça como Espectro e Deadman da DC Comics.

* Em O Sexto Sentido, Bruce Willis é um psiquiatra que ajuda um menino que vê mortos e é ajudado por ele a entender a sua condição.

* Danny Phanton, da Nickelodeon.

* No filme Os Caça-Fantasmas, os protagonistas utilizam uma tecnologia criada especialmente por eles para caçar, capturar e exilar fantasmas que eles encontrem.

* Em Matrix , fantasmas são descritos como obsoletos programas em mal funcionamento que optaram por esconder-se no Matrix para evitarem serem deletados . Uma outra opção do programa é retornar “a Fonte,” que é como o Céu do Matrix.

* Outro fantasma famoso da ficção é o Cavaleiro sem Cabeça, de Washington Irving´s.

* Muitos fantasmas existem nos livros de Harry Potter, incluindo Nick Quase-sem-cabeça, o Barão Sangrento e Murta Que Geme.

* Maurício de Sousa criou a personagem Penadinho, para representar as histórias populares do sobrenatural.

* Gasparzinho, (Casper, em inglês), é um personagem de desenho animado criado por Seymour Reit (idéia) e Joe Oriolo (desenho) em 1940.

* Em Turma do Bairro, em uns dos episódios, os fantasmas de hamstes que morreram seqüestram umas das personagens principais.

* Gakkou no Kaidan,em todos episódios,já que o desenho centraliza sobre os fantasmas.

* Em todos os livros da série A Mediadora (escrito por Meg Cabot). A personagem principal, Suzannah Simon, é uma mediadora, onde ela deve ajudar os fantasmas a terminarem seus objetivos para que possam passar para o pós-vida.

* Em Ben 10 tem um Alien chamado Fantasmático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que são fantasmas?

Fantasmas são uma suposta aparição dos mortos. Um fantasma é suposto ser o espírito ou alma de uma pessoa que permanece na Terra depois de seu falecimento.

Cada cultura no mundo contém histórias sobre fantasmas, mas as crenças divergem substancialmente de acordo com o período e local, muitas vezes discordando sobre o que são fantasmas e se realmente eles existem. Segundo a Enciclopédia do Sobrenatural, editado por Richard Cavendish, o termo “Fantasma” normalmente se refere a “aparência imaterial” de uma figura humana que, se identificável, é de alguém falecido.

O termo “aparição”, como fantasma, é usado popularmente por séculos, mas nunca com um sentido específico estritamente definido. Por isso, não é um termo que possa ser definido clara e precisamente. As aparições não são vistas por todo mundo.

Só indivíduos, de vez em quando, comunicam uma experiência dessa.

Em geral, ocorre quando a pessoa está só, embora casos em que mais de uma parecem ter tido a mesma impressão ao mesmo tempo tenham sido comunicados com frequência suficiente para exigir uma explicação. Geralmente, a experiência com aparições ou fantasmas é transitória e não há muita probabilidade de que se repita. Consequentemente, a ocorrência não é verificável com facilidade, e a sua comunicação corre o risco de provocar ceticismo ou descrença na maioria dos ouvintes.

Atualmente, toda a lista de experiências de aparições de fantasmas são atribuídas a experiências “psi” ou parapsíquicas.


Crenças em fantasmas Fantasmas geralmente são descritos como: meio transparentes, em forma de neblina, sombras ou emanando uma cor prateada. Algumas vezes manifestam-se visualmente de forma clara ou através de diferentes fenômenos como movimento de objetos, barulhos etc; que pressupostamente não possuem uma explicação natural.

No Ocidente aqueles que acreditam em fantasmas sustentam que eles são almas que não conseguiram encontrar descanso depois da morte, e consequentemente estão aprisionadas na Terra. A inabilidade de encontrar descanso é geralmente explicada como algumas responsabilidades não resolvidas, como a vítima que busca justiça ou vingança após sua morte. Criminosos geralmente são descritos como almas penadas que querem evitar Purgatório ou Inferno.

Acredita-se que fantasmas residem no Limbo, uma região que de acordo com a não ortodoxa doutrina Católica, é localizado entre Céu e Inferno aonde as almas de crianças que não foram batizadas encontram-se.

Na China, muitas pessoas acreditam na reencarnação. Fantasmas são almas que recusam reciclar-se, porque eles tem negócios não terminados, similar a crença ocidental. E dito que Exorcistas podem auxíliar um fantasma a reencarnar-se ou eliminar completamente sua existência. Nas crenças Chinesas, um fantasma além de estar desencarnado pode também tornar-se imortal, um semi-Deus, ou pode ir para o inferno e sofrer pela eternidade, ou ainda pode falecer novamente e tornar-se o fantasma de um fantasma.

Tanto o Ocidente como o Oriente compartilham algumas crenças fundamentais sobre fantasmas. Eles podem vagar por lugares aonde geralmente viviam, ou aonde faleceram. Tais locais geralmente são conhecidos como assombrados; e os ciclos que eles movem-se denominados de “assombrações”. Não possuem um corpo físico como os seres humanos, mas geralmente vestem-se com as roupas que eram vistos enquanto vivos.


Conselhos Úteis


O artigo aqui publicado é dirigido a pessoas que se sentem amedrontadas por fantasmas e que necessitam de apoio e de aprender a lidar com a situação.
É também um artigo bastante frontal e directo, de fácil leitura e compreensão.


Para uma grande parte das pessoas, por vezes a palavra fantasmas dá um sentido fantasiado do termo em concreto, assim, entenda-se o seguinte, um fantasma é o mesmo que um espírito de alguém que morreu mas que por qualquer motivo continua vagueando na Terra, por vezes amedrontando os vivos, isto é a definição resumida do verdadeiro sentido da palavra fantasma.


A maioria das pessoas que têm contacto com fantasmas não o divulga, pois temem que outras pessoas as considerem insanas. Assim, vivem num mundo de temor constante e isolado.


Lamentavelmente a maior parte acaba por sentir a necessidade de recorrer a meios que não levam a lado nenhum, consultando aqueles a quem vulgarmente chamamos de bruxo ou bruxa, ao fazê-lo apenas estará agravando a sua situação.


Logo, este não é um assunto de bruxas, igrejas ou religião, de facto, o nosso site mantêm uma posição bem definida de ateísmo em relação a este aspecto – não seguimos qualquer tipo de religião ou de actividade oculta. Não temos fórmulas mágicas, feitiços, nem rezas ditas milagrosas, mas sim conselhos para partilhar.


Resumindo, baseamo-nos no que os olhos vêem, no que o corpo sente e nos relatos de pessoas nesta situação.


Para si que de qualquer modo é vítima de assombração, em primeiro lugar tem de compreender que a maioria dos fantasmas não necessitam de ser expulsos, mas necessitam realmente da nossa ajuda.


No caso de existir um fantasma incomodado consigo ou com a sua família, mantenha a calma e tente perceber o que significam as suas comunicações e métodos de se exprimir.


A maior parte das vezes, os fantasmas querem simplesmente que saibamos que eles existem – pretendem assim mostrar que ainda estão vivos antes de passarem para o “outro lado” (onde quer que isso fique).


Muitas vezes, as pessoas ficam chocadas por verem que é alguém que gostavam muito. Talvez o fantasma queira apenas dizer-lhe algo antes de deixar o mundo dos vivos.


Se por acaso sentir ter um espírito ou uma energia negativa em seu redor, tente recordar alguns aspectos:


1) Ter receio de um fantasma é o mesmo que alimentar o poder do espírito mal intencionado. Não se deixe amedrontar por fantasmas. Você não tem nada a temer, porque o medo é criado na mente.


2) Dizer severamente (porem sem ofensa) para o espírito deixar este mundo e ir para onde pertence. Dizer a fantasmas negativos que verão outros espíritos que são chamados para os dirigir e guiar e que assim será tratado com amor e perdoado, não importa o que fizeram ou o que não fizeram anteriormente.


3) Se ainda assim o fantasma continuar a amedrontá-lo insista e diga-lhes para que não estejam preocupados sobre a punição, dizer-lhes que não estão sujeitos ao “inferno eternal” e que serão sempre tratados com o amor e ajudados a absterem-se de toda a culpa e serão contemplados com o perdão. Mantenha-se firme e continue seguindo estes passos até que o fantasma deixe de o perseguir.


Estes são portanto os 3 passos básicos.
Brevemente pretendemos desenvolver mais o artigo e abranger outro género de situações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *