O REINO CHAMADO PERDÃO


Era uma vez, um Ser que estava só em seu reino, e por isso resolveu criar seres para lhes fazer companhia, bem como que o ajudassem a cuidar de seu reino, administrando-o.


Criou seres racionais e irracionais; deu a responsabilidade do domínio sobre o reino e sobre os seres irracionais, para os seres racionais. Deu uma orientação aos seres racionais, que crescessem e multiplicassem. E os seres racionais se multiplicavam.


Deu o nome aos seres racionais de homens, e aos seres irracionais de animais. Dividiu os homens em quatro grupos, e lhes atribuiu dons; assim ficaria mais fácil suprir as necessidades dos homens e dos animais.


Os grupos eram de segurança, saúde, finanças e habitação. Nestes grupos, os homens poderiam conhecer a necessidade de cada semelhante e de cada animal, e então poderiam auxiliar entre si para a provisão de todos. E os homens se multiplicavam.


O nome do Ser era PODER, pois poder de sua palavra, tudo se realizava. O próprio PODER se submetia a esta palavra, pois ela trazia entendimento, direção e conhecimento aos seres, tanto os homens como os animais.


Como o reino se tornou muito populoso alguns homens sem paciência para procurar seu grupo de trabalho; também não querendo esperar que seu trabalho desse o fruto necessário, e outros ainda dividiram os direitos e deveres de forma desigual, assim como as finanças foram distribuídas de maneira disforme. Estes homens revoltados resolveram buscar os meios para sua sobrevivência de maneira desonesta, egoísta e destrutiva. E os homens continuaram se multiplicando.


PODER viu que a maldade entre os homens crescia, a ponto de quererem o lugar e a força Dele. Os homens se tornaram infiéis, malignos e ingratos.e ainda assim os homens se multiplicavam, tanto fisicamente como nas maldades, egoísmo e com emoções distorcidas.


PODER viu tudo acontecer e se entristeceu muito, pois os homens não cuidavam da segurança, nem das finanças, nem da saúde, nem da habitação, uns dos outros. Cada um vivia por si e para si. E a maldade se multiplicava.


Um dia PODER chegou ao seu limite de indignação e, resolveu acabar com tudo o que havia criado. Mas um sentimento tão forte formou dentro de si, que não conseguiu dar a palavra que destruiria toda a sua criação.


PODER parou o seu trabalho e, olhou para cada homem em seu reino; começou a chamar um por um pelo seu nome. Preparou várias situações, onde poderia encontrar-se frente a frente com cada ser criado, sem que este estivesse usando uma máscara de mentira ou de imagem criada pelo próprio homem, mas onde PODER pudesse conversar com o homem sem mentiras e sem desculpas, a fim de saber qual seria a necessidade de cada um.


Quando terminou de ouvir a todos, pensou e pensou. Então resolveu se transformar num ser igual ao que havia criado, a fim de passar a viver como sua criação vivia em seu reino e, verificar se podiam ou não viver de forma melhor do que viviam, com os dons que receberam de seu criador.


Quando PODER apareceu no meio dos homens, com a aparência de um igual, porém com o comportamento honesto, sincero e fiel, estes homens o mataram. E a maldade se multiplicava.


Mas por causa do sentimento que antes havia surgido em PODER, ele ressurgiu de entre os mortos para interceder junto à sua consciência, por cada homem em suas aflições.


O sentimento era o amor, e por isso PODER resolveu perdoar a cada homem que, por ele procurasse e decidisse viver em sua companhia. Por isso o nome do reino é PERDÃO, pois todo homem que viver em conformidade com a palavra de PODER, terá a presença e a orientação de PODER ETERNAMENTE.


Então o homem começou a crescer e o amor se multiplicou.