Obama está na frente em todas as pesquisas

O democrata aparece com vantagem de até 10 pontos percentuais sobre o seu rival republicano, John McCain.

Washington. A 11 dias da eleição para a Casa Branca, Barack Obama aparece na frente do rival John McCain em todas as pesquisas nacionais. No entanto, a campanha do democrata afirmou ontem que irá intensificar seus esforços, principalmente no que diz respeito aos contatos diretos com os eleitores nos Estados-chave.

Obama lidera as sete pesquisas divulgadas ontem, de acordo com o site Real Clear Politics. O democrata aparece com uma vantagem de 10% sobre o republicano – 52% a 42%, na sondagem Reuters/C-SPAN/Zogby.

Por outro lado, Obama aparece apenas três pontos à frente de McCain segundo levantamento da GWU/Battleground (49% a 46%).

Em entrevista à imprensa por telefone, a cúpula da campanha de Obama afirmou que a disputa deve se acirrar nos próximos dias. Jen O´Malley, diretora de coordenação dos Estados-chave, disse que o foco no momento é o contato direto com os eleitores. ´O principal parâmetro para nós é o contato com o eleitor´, afirmou O´Malley. ´Não medimos para quantas pessoas deixamos uma mensagem, uma propaganda na porta, mas quantas pessoas com as quais de fato conversamos, seja na porta (de suas casas) ou por telefone´.

Segundo a diretora, a campanha realiza cerca de 400 mil contatos por dia, e neste fim de semana realizarão cerca de 1,2 milhão de contatos nas portas ou por telefone nos Estados-chave. ´Temos cerca de 1,5 milhão de voluntários pelo país´, afirmou a americana. ´Eles trabalham de suas casas, na vizinhança e também em alguns dos nossos 770 escritórios que temos pelo país´, afirmou.

O´Malley disse ainda que 1,3 milhão de contatos foram realizados na Flórida, e outros 1,5 milhão em Ohio – Estados bastante divididos quanto à preferência partidária- desde 1º de setembro. Desde essa data, 12 milhões de americanos foram abordados pela campanha democrata em todo o país. Os EUA têm 303 milhões de habitantes, segundo a CIA.

No que diz respeito ao Colégio Eleitoral, Obama também está na frente. O levantamento é importante porque, nos EUA, as eleições são indiretas, e os delegados do Colégio Eleitoral são os reais responsáveis pela escolha do novo presidente. Cada delegado pertence a um Estado e tende a votar em consonância com a maioria dos eleitores daquele Estado.

De acordo com pesquisas de intenção de voto realizadas Estado a Estado compiladas pelo Real Clear Politics, Obama possui atualmente 306 votos no Colégio Eleitoral – mais que os 270 mínimos – e McCain, 157. Outros 75 votos pertencem aos Estados indecisos – Flórida, Nevada, Missouri, Virgínia Ocidental, Indiana, Ohio e Carolina do Norte.

Ontem, Obama chegou ao Havaí para visitar a sua avó doente. Em suas autobiografias, Obama descreve a avó materna, Madelyn Dunham, de 85 anos, como uma de suas ´heroínas´ e afirma que ela teve um papel essencial em sua educação. O democrata deve voltar à sua campanha ainda hoje.

NA RETA FINAL
Jornal ´The New York Times´ declara apoio a democrata

Washington. O candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, recebeu apoio de grandes jornais e personagens ´pesos pesados´ da política americana na reta final da campanha presidencial dos Estados Unidos. Os mais recentes são o jornal ´The New York Times´ e Scott McClellan, ex-porta-voz do governo Bush.

Em editorial intitulado ´Barack Obama para presidente´, o jornal – que apoiou a também democrata Hillary Clinton durante as primárias – defendeu a eleição de Obama ´após oito anos do governo falido de George W. Bush´.

´[Obama] atraiu legiões de novos eleitores com poderosas mensagens de esperança, e também com pedidos de sacrifício partilhado e de responsabilidade social´, afirma o jornal. ´Acreditamos que ele tem a vontade e a capacidade de forjar um amplo consenso político que é essencial para encontrar soluções para os problemas deste país´, diz o editorial.

Além do apoio da imprensa, Obama ganhou o aval de duas grandes figuras do governo de George W. Bush. O ex-porta-voz da Casa Branca Scott McClellan anunciou ontem seu apoio, afirmando que ´desde o começo disse que apoiaria o candidato que tivesse mais possibilidades de mudar a forma como Washington funciona´.

Ele é autor de ´What Happened: Inside the Bush White House and Washington´s Culture of Deception´ (O Que Aconteceu: Dentro da Casa Branca de Bush e a Cultura de Enganos de Washington, em tradução livre), no qual manifestou sua decepção pela gestão do atual presidente, lançado no começo do ano. Colin Powell, ex-secretário do governo de George W. Bush, também declarou apoio a Obama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *