Orientações gerais que caracterizam a pintura impressionista

Orientações Gerais que caracterizam a pintura impressionista


A pintura deve mostrar as tonalidades que os objetos adquirem ao refletir a luz do sol num determinado momento, pois as cores da natureza mudam constantemente, dependendo da incidência da luz do sol.


As figuras não devem ter contornos nítidos.


As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam. O preto jamais é usado em uma obra impressionista plena.


Os contrastes de luz e sombra devem ser obtidos de acordo com a lei das cores complementares. Assim um amarelo próximo a um violeta produz um efeito mais real do que um claro-escuro muito utilizado pelos academicistas no passado. Essa orientação via dar mais tarde origem ao pontilhismo


As cores e tonalidades não devem ser misturadas e sim puras.


Entre os principais expoentes do Impressionismo estão Claude Monet, Edgard Degas, Renoir.


No Brasil, o representante mais expressivo do impressionismo atualmente é Washington Maguetas, retratando paisagens tipicamente brasileiras em seus quadros.


Mas no início do século XX, Eliseu Visconti foi sem dúvida o artista que melhor representou os postulados impressionistas no Brasil. Sobre o impressionismo de Visconti, diz Flávio de Aquino: “Visconti é, para nós, o precursor da arte dos nossos dias, o nosso mais legítimo representante de uma das mais importantes etapas da pintura contemporânea: o impressionismo. Trouxe-o da França ainda quente das discussões, vivo; transformou-o, ante o motivo brasileiro, perante a cor e a atmosfera luminosa do nosso País”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *