Pátio com a capela de são miguel, a torre do relógio e as escadas frente

Arquitectura

O edifício cobre quase todo o topo do monte. Este consiste em quatro elementos: as fortificações, os edifícios do palácio, as capelas e o jardim do castelo.

[editar] Fortificações

A Porta da Águia, com a sua ponte levdiça, serve de entrada. Com três espirais, chega-se ao castelo. A primeira volta contorna a Torre de Guilherme. Existe uma zwinger (espécie de paliçada) na segunda volta, a baixa Vorwerk. Daqui sobe uma terceira espiral em volta da torre. Alcança-se então bastião sudeste, de onde se tem uma magnífica vista para Boll e Dreifürstenstein. Desse bastião pode ver-se, através do topo quadrado da torre de entrada, uma clara subida do pátio até atingir os bstiões exteriores. No sentido do ponteiro dos relógios encontram-se: o Schnarrwachtbastei, o Neue Bastei (Novo Bastião – noroeste), o Fuchslochbastei (Bastião da Toca da Raposa – norte), o Spitz (noroeste), o Scharfeckbastei (Bastião Agudo – oeste), o Gartenbastei (Bastião do Jardim – sudoeste) e o St. Michaelsbastei (Bastião de São Miguel – sul). Entre os bastiões encontram-se, ainda, imagens dos reis prússios.

[editar] Edifícios do palácio
Pátio com a Capela de São Miguel, a Torre do Relógio e as escadas frente ao palácio dos príncipes.
Pátio com a Capela de São Miguel, a Torre do Relógio e as escadas frente ao palácio dos príncipes.

Os edifícios do palácio dão forma a um “U”, em cujas extremidades se encontram a capela católica e a capela protestante. O contorno externo utiliza as velhas muralhas do segundo castelo. As três estruturas ficam sobre as antigas casamatas, decorados com muitos torreões e pináculos. As quatro torres principais são, no sentido dos ponteiros, a Kaiserturm (Torre do Imperador) orientada para o Fuchslochbastei (Bastião da Toca da Raposa), a Bischofsturm (Torre do Bispo) orientada para o Spitz, a Markgrafenturm (Torre do Margrave) orientada para o Scharfeckbastei e a Michaelsturm (Torre de Miguel) orientada para o Gartenbastei (Bastião do Jardim). No pátio fica a Torre do Relógio e a torre com as escadas para a residência dos príncipes, onde se encontra o Grafensaal (Salão dos Condes) e a Biblioteca, sendo também o local onde se hasteava a bandeira dos castelões. A partir deste mesmo pátio, uma escada exterior conduz à sala-de-estar do clã.

A partir desta última sala, chega-se ao Salão dos Condes, o qual se estende por toda a largura da ala sul: uma abóbada com nervuras, suportada por oito colunas de mármore, independentes e avermelhadas. Possui igualmente janelas, em grisaille e coloridas, pintadas por Stüler. Sob o Salão dos Condes fica a cozinha do palácio. Este salão junta-se à Torre do Imperador e à biblioteca decorada por Wilhelm Peters com afrescos alusivos à história dos Hohenzollern.

Na Torre do Margrave encontra-se o Königsalon (Salão do Rei), actualmente também conhecido pela terminologia Markgrafenzimmer (Quarto do Margrave). O maciça secretária de Guilherme II domina o espaço através da utilização de várias madeiras, enquanto os apainelamentos lhe dão um carácter íntimo.

Através de vários salões, chega-se ao Salon der Königin (Salão da Rainha), o qual, devido ao veludo azul dos estofos, também é conhecido como Blauer Salon (Salão Azul). O pavimento é composto por cinco madeiras diferentes. Dum belvedere panorâmico avista-se Albtrauf, enquanto nas paredes pendem retratos de família: Rainha Luísa, Imperatriz Augusta, Imperatriz Victória e Príncipe Valdemar da Prússia, o último pintado pela própria Victória. A secretária da rainha foi desenhada por Stüler. O serviço de Sèvres pertencia a Napoleão Bonaparte tendo sido pilhado pelas tropas prússias durante a Batalha de Waterloo. Na galeria dos criados existe um notável quadro de Franz von Lenbach: mostra Guilherme I pouco antes da sua morte.

A colecção de armas é exibida um piso abaixo, na sala do tesouro. Entre as peças que merecem destaque encontra-se o manto de Corte da Rainha Luísa, em damasco de seda. Da Batalha de Kunersdorf veio o túnica e a caixa de rapé de Frederico o Grande, o que lhe salvou a vida. A sua bengala e uma das suas flautas encontram-se entre os elementos históricos, assim como o precioso conjunto de caixas de rapé. No entanto, o ponto culminante do tesouro é a Coroa dos Reis Prússios (Krone des Königreichs Preußen), adornada com 18 brilhantes e 142 diamantes formando delicados botões de rosa.
Vista da capela cristã do Burg Hohenzollern.
Vista da capela cristã do Burg Hohenzollern.

[editar] As capelas

A Capela Católica de São Miguel foi ampliada em 1853, embora a sua parte medieval remonte ao período entre 1454 e 1461, sendo a única estrutura que resta do segundo castelo. A nave e o coro estão cobertos por uma rede de nervuras entrançadas. Os três vitrais do coro, datados entre 1280 e 1290, vieram do Mosteiro de Stetten (Kloster Stetten), o panteão dos Condes de Zollern.

A Capela Protestante de Cristo é obra de Stüler, em linha com o coro oeste da Catedral de Naumburg(Naumburger Dom. A Porta do Apóstolo provém da destruída Igreja Memorial do Imperador Guilherme (Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche) de Berlim.

Sob a Capela de Cristo fica a Capela Ortodoxa Russa da Ressurreição.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *