Pronto para recomeçar , ricardinho diz que não sente falta da seleção brasileir

Após o polêmico corte da seleção brasileira, em julho de 2007, e uma cirurgia na mão esquerda, em março deste ano, o levantador Ricardinho se prepara para uma nova fase em sua carreira. O jogador, que trocou o Modena, da Itália, pelo Treviso, do mesmo país, garante que não pensa mais em seleção, embora tenha assistido à final olímpica, na qual o Brasil perdeu para os Estados Unidos e ficou com a medalha de prata. As informações são do jornal “Folha de S. Paulo”.

– Assisti à semifinal e à final masculina aqui na Itália. Vi os dois jogos, mas prefiro não comentar nada, não quero falar de seleção. Seleção para mim é coisa do passado. Não sinto falta, acho que isso faz parte, é um processo. Não sou um cara que fico pensando, remoendo coisas…

Eleito o melhor do mundo na Liga Mundial de 2007, Ricardinho foi afastado da seleção brasileira por problemas disciplinares às vésperas do Pan-Americano. O técnico Bernardinho disse ter deixado as “portas abertas” para um pedido de desculpas do jogador, que não se manifestou. Desde então, segundo o levantador, não houve contato com seus ex-companheiros, embora ele atuasse ao lado de Murilo, André Heller e André Nascimento no Modena. Agora, o jogador se prepara para atuar junto com o central Gustavo, que encerrou sua carreira na equipe verde-amarela após os Jogos de Pequim.

– Faz um ano e dois meses que não falo com ninguém. Mas nós somos profissionais – garante.

Ricardinho lembrou ainda que, por não defender mais a seleção, pôde aproveitar as férias forçadas para ficar mais perto da família, em Maringá, no Paraná. O apoio era o que o levantador precisava para ter ainda mais motivação em seu novo clube.

– Fiquei quatro meses parado depois da fratura na minha mão e agora voltei cheio de vontade de recomeçar. Agora é tudo novo, casa nova, vida nova, novos jogadores, gente que eu só conhecia de jogar contra. Esse time é praticamente uma seleção italiana, e eu estou muito contente – afirma o jogador.

Curiosamente, Ricardinho será comandado pelo também brasileiro Renan Dal Zotto, que é amigo do técnico Bernardinho. O treinador do Trevisto, porém, evita polemizar.

– Acompanhei de perto o que aconteceu com ele e a seleção, não porque estivesse lá, mas por causa da minha proximidade com o Bernardo e a comissão técnica, mas isso diz respeito somente a eles – diz.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *