Quais os produtos que podemos reciclar?

A reciclagem é o processo de reaproveitamento de metais, plásticos, papéis, vidros, ou qualquer outro material, orgânico ou inorgânico, recuperando-o ou retransformando-o para aproveitamento ou novo uso. O processo pode ser industrial ou artesanal. Caso não sejam reaproveitados, esses materiais, normalmente tratados como lixo ou dejetos, tendem a causar sérios problemas ambientais.


A palavra reciclagem difundiu-se na mídia a partir do final da década de 1980, quando foi constatado que as fontes de petróleo e de outras matérias-primas não renováveis estavam se esgotando rapidamente, e que havia falta de espaço para a disposição de lixo e de outros dejetos na natureza. A expressão vem do inglês recycle (re = repetir, e cycle = ciclo).


Em tese, o processo de reciclagem deveria permitir o contínuo reuso de materiais para o mesmo propósito. Na prática, em boa parte dos casos, a reciclagem aumenta o tempo de vida útil de um material, porém de forma menos versátil. Por exemplo:


ao reciclar-se o papel, as suas fibras diminuem, tornando-o inapropriado para determinados usos;


determinados materiais podem contaminar-se, tornando-os impróprios para embalagem de alimentos ou medicamentos.


Já no caso do alumínio, essa regra não é válida, visto que o mesmo pode ser reciclado continuamente sem que perca suas qualidades.


A reciclagem pode prolongar a vida de um material dando-lhe um novo uso, por exemplo, ao transformar artesanalmente produtos considerados como lixo em artigos de uso cotidiano ou de adorno. Uma garrafa PET pode ser transformada industriamente em fios que mais tarde serão utilizados na confecção de roupas.


A grosso modo, grande parte do lixo que é gerado, no campo ou nas cidades, pode ser reciclado e voltar novamente para a cadeia de consumo e uso.


Lista de materiais que podem ser reciclados



  • Papel e papelão
  • Água proveniente de processos industriais
  • Garrafas PET
  • Latas de alumínio
  • Vários tipos de metais: cobre, aço, chumbo, latão, zinco, entre outros.
  • Plástico
  • Pneus
  • Tinta
  • Restos da construção civil
  • Restos de alimentos e partes dos mesmos que não foram aproveitadas
  • Óleo
  • Galhadas
  • Garrafas de vidro (cervejas, refrigerantes, etc.)

Materiais não recicláveis



  • Lâmpada fluorescente
  • Pilha
  • Espelho
  • Cristal

Nota: podem ser reutilizados por algumas empresas ou isolados em aterros industriais


Vantagens da reciclagem


Os resultados da reciclagem são expressivos tanto no campo ambiental, como nos campos econômico e social.


No meio-ambiente a reciclagem pode reduzir a acumulação progressiva de lixo; a produção de novos materiais, como por exemplo o papel, que exigiria o corte de mais árvores; as emissões de gases como metano e gás carbônico; as agressões ao solo, ar e água; entre outros tantos fatores positivos.


No aspecto econômico a reciclagem contribui para a utilização mais racional dos recursos naturais e a reposição daqueles recursos que são passíveis de re-aproveitamento.


No âmbito social, a reciclagem não só proporciona melhor qualidade de vida para as pessoas, através das melhorias ambientais, como também tem gerado muitos postos de trabalho e rendimento para pessoas que vivem nas camadas mais pobres. No Brasil existem os carroceiros ou catadores de papel, que vivem da venda de sucatas, papéis, latas de alumínio e outros materiais recicláveis deitados para o lixo. Também trabalham na colecta ou na classificação de materiais para a reciclagem. Como é um serviço penoso, pesado e sujo, não tem grande poder atrativo para as fatias mais qualificadas da população.


Assim, para muitas das pessoas que trabalham na reciclagem (em especial os que têm menos educação formal), a reciclagem é uma das únicas alternativas de ganhar o seu sustento.


Cestos de reciclagem de lixo
Cestos de reciclagem de lixo


Exemplos do tempo de absorção de algumas substâncias pelo meio-ambiente


Exemplos do tempo de absorção de algumas substâncias pelo meio-ambiente


Papel: de 2 a 4 semanas
Palitos de fósforos: 6 meses
Papel plastificado: de 1 a 5 anos
Cascas de bananas: 2 anos
Chicletes: 5 anos
Latas: 10 anos
Pontas de cigarros: de 10 a 20 anos
Couro: 30 anos
Embalagens de plástico: de 30 a 40 anos
Cordas de náilon: de 30 a 40 anos
Latas de alumínio: de 80 a 100 anos
Tecidos: de 100 a 400 anos
Vidros: 4.000 anos
Pneus: indefinido
Garrafas PET: indefinido


Os valores não são exatos, pois a composição do material, o local em decomposição e muitas outras coisas fazem eles variarem.


Tipos de reciclagem


Reciclagem de aço


A reciclagem de aço é o reaproveitamento do aço utilizado em objectos que já não estão funcionais para produzir novos objectos.


O aço é utilizado em diversos materiais, desde latas até carros. Sua reciclagem é tão antiga quanto a própria história de sua utilização. O aço pode ser reciclado infinitas vezes, com custos menores e menos dispêndio de energia do que na sua criação inicial.


Ele pode ser separado de outros resíduos por diversos processos químico-industriais e voltar a ser utilizado sem perder suas características iniciais.


A lata de aço é uma das embalagens mais utilizadas em todo mundo para acondicionar alimentos e produtos diversos. A embalagem pode ser biodegradada pelo próprio ambiente, através do processo de ferrugem, num prazo médio de três anos. Porém o aço, se aproveitado, pode gerar economias e menos agressão ao meio ambiente.


Estudos dizem que a cada 75 latas de aço recicladas, uma árvore é salva, pois, do contrário, viraria carvão vegetal.


O aço também é muito utilizado na construção civil para sustentar estruturas de concreto. A reciclagem de entulho da construção civil também é bastante importante.


Reciclagem de alumínio


O processo


A Reciclagem de alumínio é o processo pelo qual o alumínio pode ser reutilizado em determinados produtos, após ter sido inicialmente produzido. O processo resume-se no derretimento do metal, o que é muito menos dispendioso e consome muito menos energia do que produzir o alumínio através da mineração de bauxita, que é feito por eletrólise. A mineração e o refino deste requerem enormes gastos de eletricidade, enquanto que a reciclagem requer apenas 5% da energia para produzi-lo. Por isto, a reciclagem tornou-se uma atividade importante para esta indústria.


O alumínio pode ser reciclado tanto a partir de sucatas geradas por produtos de vida útil esgotada, como de sobras do processo produtivo. O alumínio reciclado pode ser obtido a partir de esquadrias de janelas, componentes automotivos, eletrodomésticos, latas de bebidas, entre outros. A reciclagem não danifica a estrutura do metal, que pode ainda ser reciclado infinitamente e reutilizado na produção de qualquer produto com o mesmo nível de qualidade de um alumínio recém produzido por mineração.


Pelo seu valor de mercado, a sucata de alumínio permite a geração de renda para milhares de famílias brasileiras envolvidas da coleta à transformação final da sucata.


Desta forma, a reciclagem do alumínio gera benefícios para o país e o meio ambiente, além de ser menos custoso de obter do que através da sua produção por mineração.


Os produtos de alumínio podem ser reconhecidos pelos símbolos a seguir:


ou


O anel da lata


Existe uma lenda urbana que fala sobre a troca de anéis de lata de alumínio por cadeiras de roda, computadores, sessões de hemodiálise e outras versões. Não existe qualquer comprovação sobre alguma empresa ou instituição que tenha promovido essa troca em qualquer país do mundo. Embora o anel também seja reciclável, ele deve ser inserido nos fornos, juntamente com as latas, pois seu tamanho reduzido faz com que o material se perca durante o transporte e peneiragem do material e além disso, sua liga contém alto teor de magnésio, que tem alto teor de oxidação durante a refusão, inviabilizando sua reciclagem isolada. Algumas versões da lenda, falam sobre a existência de materiais como ouro, prata ou platina na composição da lata, o que também é falso.


Curiosidades


O alumínio líquido (700°C), demora cerca de duas horas e meia para atingir o estado sólido.


Um quilo de alumínio reciclado, evita a extração de cinco quilos de bauxita.


O ciclo médio de vida de uma lata de alumínio é de 30 dias, desde sua colocação na prateleira do supermercado, até seu retorno reciclada.


A reciclagem de uma única lata de alumínio, pode economizar a energia necessária para manter um televisor ligado durante 3 horas ou uma lâmpada de 100 watts por 20 horas.


Em média um quilo equivale a 74 latas.


Benefícios


Econômicos



  • Fonte de renda para diversos tipos de mão-de-obra.
  • Injeção de recursos na economia local.
  • Grandes investimentos não são necessários.
  • Economia considerável de energia elétrica.

Sociais



  • Diminuição da quantidade de lixo nos aterros sanitários.
  • O meio ambiente é menos agredido.
  • Colaboração com o crescimento da consciência ecológica.
  • Estímulo da reciclagem de outros materiais.
  • Áreas carentes são beneficiadas com o aumento de renda.

Políticos


Ajuda na composição do lixo urbano.


Colaboração no estabelecimento de políticas de destino de resíduos sólidos.


Adaptável a realidades de diferentes tipos e tamanhos de cidades.


Números da Reciclagem


O Brasil é (em 2005) pentacampeão na reciclagem de latas de alumínio em países onde a reciclagem de embalagens não é obrigatória por lei. O país reciclou, em 2005 96,2% das latas disponíveis no país, o que equivale a 127,6 mil toneladas de latas. Desde então, o país vem sendo seguido pelo Japão, Argentina e Estados Unidos.


Entre 2000 e 2005, subiu de 10% para 24%, a participação de clubes e condomínios na coleta de alumínio, mostrando um maior engajamento da classe média.


Reciclagem de papel


A reciclagem de papel é o reaproveitamento do papel não-funcional para produzir papel reciclado.


Há duas grandes fontes de papel a se reciclar: as aparas pré-consumo (recolhidas pelas próprias fábricas antes que o material passe ao mercado consumidor) e as aparas pós-consumo (geralmente recolhidas por catadores de ruas). De um modo geral, o papel reciclado utiliza os dois tipos na sua composição, e tem a cor creme.


A aceitação do papel reciclado é crescente, especialmente no mercado corporativo. O papel reciclado tem um apelo ecológico, o que faz com que alcance um preço até maior que o material virgem. No Brasil, os papéis reciclados chegavam a custar 40% a mais que o papel virgem em 2001. Em 2004, os preços estavam quase equivalentes, e o material reciclado custava de 3% a 5% a mais. A redução dos preços foi possibilitada por ganhos de escala, e pela diminuição da margem média de lucro.


Na Europa, o papel reciclado em escala industrial chega a custar mais barato que o virgem, graças à eficiência na coleta seletiva e ao acesso mais difícil à celulose, comparado ao do Brasil.


Processo de produção do papel reciclado


Abaixo, seguem as etapas do processo de produção de papel reciclado a partir de aparas de papéis:


Etapa 1:


Entrega das aparas (fardo) na fábrica recicladora de papel


Passa pelo controle de qualidade e é classificado


Vai para o estoque de aparas


O lote do estoque mais antigo vai para as esteiras transportadoras


O hidrapulper mói o papel, juntamente com água industrial


Depois de desagregado, a bomba puxa a massa de papel para outras etapas


Etapa 1 – turbo tiraplástico (retirada de plástico)
Etapa 2 – processo de centrifugação para retirada de impurezas (areia, prego, etc)
Etapa 3 – processo de refino da massa
Aditivos são adicionados à massa: sulfato de alumínio, amido de mandioca, etc
Etapa 4 – Caixa de entrada da máquina de papel
Etapa 5 – Mesa formadora (vácuo retira umidade excedente)
Etapa 6 – Prensa acerta gramatura do papel
Etapa 7 – O papel passa pelos rolos secadores
Etapa 8 – Chega até a enroladeira
Etapa 9 – Forma-se o rolo de papel
Etapa 10 – O rolo é transportado por ponte rolante até a rebobinadeira
Etapa 11 – O papel é rebobinado conforme formato da bobina
Etapa 12 – A bobina de papel acabada vai para o controle de qualidade
Etapa 13 – Vai para o estoque, podendo ser vendida ou vai para a cartonagem, transformando-se em chapa de papelão, a fim de ser industrializada como caixas de papelão


Reciclagem de plástico


Plásticos são artefatos fabricados a partir de resinas (polímeros), geralmente sintéticas e derivadas do petróleo.


Reciclagem primária ou pré-consumo:


É a conversão de resíduos plásticos por tecnologia convencionais de processamento em produtos com caraterísticas de desempenho equivalentes às daqueles produtos fabricados a partir de resinas virgens.


Reciclagem secundária ou pós-consumo


É a conversão de resíduos plásticos de lixo por um processo ou por uma combinação de operações. Os materiais que se inserem nesta classe provêm de lixões, sistemas de coleta seletiva, sucatas, etc.


Reciclagem terciária


É a conversão de resíduos plásticos em produtos químicos e combustíveis, por processos termoquímicos (pirólise, conversão catálica). Por esses processos, os materiais plásticos são convertidos em matérias-primas que podem originar novamente as resinas virgens ou outras substâncias interessantes para a indústria, como gases e óleos combustíveis.


Fonte: pt.wikipedia.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *