A ARTE MARCIAL AUXILIANDO O DESENVOLVIMENTO ESCOLAR: APRENDIZADO PARA A ESCOLA E PARA AVIDA!

RESUMO


O artigo refere-se à temática dos valores e das artes marciais, como um instrumento sócio-educativo. O objetivo deste artigo foi investigar com o corpo docente, se as artes marciais ministradas em escolas/colégios, de uma maneira lúdica, cultural e educativa, ajudariam no desenvolvimento escolar. Na metodologia usou-se pesquisa bibliográfica e de campo, cujo instrumento foram aplicados a professores da rede pública de ensino do Estado do Rio de Janeiro. Como conclusão, o presente artigo revelou que em escolas/colégios, que utilizam as artes marciais nas aulas de Educação Física, desenvolvem e despertam valores humanos em seus estudantes, e acima de tudo possibilitam uma influência positiva no rendimento escolar dos alunos (as).


Palavras-chave: artes marciais, ludicidade, valores, educação.


 


INTRODUÇÃO


O presente artigo refere-se ao poder de desenvolver nos alunos a sua capacidade nos planos psicomotor, afetivo e cognitivo, através das artes marciais em sua totalidade, oferecendo aos seus praticantes, em especial os que se encontram em fase escolar, uma maior assimilação das demais disciplinas ministradas nas escolas/colégios, e com isso ocasionar um melhor rendimento escolar.


E para mostrar para o leitor que a problemática desse artigo gera em torno das artes marciais nas escolas/colégios, e é muito mais do que uma aula administrada no intuito de promover a prática de um esporte.Consiste em proporcionar um maior aprendizado por parte dos alunos, e com isso formando cidadãos mais preparados para o mercado de trabalho e para vida.


O que se observa na sociedade, é que grande parte das crianças e adolescente em idade escolar, se encontram desestimulados para estudar, com muita falta de concentração e até mesmo dificuldade no campo psicomotor, e o lado afetivo bastante descontrolado.


Em um mundo globalizado, grande parte desses jovens, esquece de realizar atividades coletivas (de contato físico), e acabam se auto isolando na frente de seus computadores ou jogos eletrônicos, esquecendo os valores sociais conquistados nas relações com os outros que nos cercam e que são de suma importância para todo ser humano.Porém, desconhece-se o fato das artes marciais, se aplicadas de forma lúdica, facilitam o aprendizado escolar.


A pesquisa sobre esse tema foi direcionada para os profissionais de Educação Física, que desenvolvem trabalhos com crianças e adolescentes em escolas públicas ou particulares, visando que os mesmos tenham uma maior visão do que representa, e da importância das aulas de artes marciais durante a fase escolar, e os benefícios que esta atividade pode proporcionar aos seus praticantes.


O objetivo geral desse trabalho é investigar, através de pesquisas e investigações, se o professor de Educação Física é uma peça fundamental na formação de futuros cidadãos e se através das artes marciais este caminho se torna mais completo.


E o objetivo específico, consiste em criar um material de estudo no qual os profissionais da área encontrem soluções e idéias de como utilizar quaisquer que seja a arte marcial, como um instrumento de melhoria do aprendizado de seus alunos (as), levando em consideração a utilização do lúdico como aliado, despertando valores humanos nas crianças e adolescentes.


Espera-se, com os resultados obtidos, mudar a visão de que a prática de uma “luta”, é somente para tornar um indivíduo mais forte e ágil, com capacidade de se defender e atacar, usufruindo técnicas de combate.E principalmente com esse artigo, pretende-se criar condições para o desenvolvimento humano global que interfira nos demais aspectos da vida escolar.


A origem das Artes Marciais


Os primeiros indícios de artes marciais surgiram no oriente, muito antes da escrita.Acredita-se que as técnicas de defesa e ataque tiveram origem na observação dos animais na natureza, partindo da necessidade de sobrevivência e obtenção de alimentos.


Nos antigos templos, os monges desenvolveram técnicas de luta sem armas, objetivando saúde e autodefesa, onde “através de exercícios penosos pretendiam o fortalecimento do corpo para dar morada a paz de espírito e a verdade religiosa” (Sasaki, 1989). As artes marciais foram ensinadas em segredos de mestre para discípulo por séculos, por isso há uma grande falta de literatura apropriada que descrevam com exatidão a sua história.


Denomina-se “arte marcial” (de Marte, nome romano do Deus grego Ares, o Deus da guerra, dos agricultores e dos pastores, filhos de Zeus e Hera, e amante de Afrodite).


Como observamos podemos destacar que de acordo com a arqueologia e seus registros históricos, a mãe ou o pai das artes marciais, é o Kung Fu da dinastia Xia, fundada pelo imperador Yu (2205 á 2197 a.c).


A arte marcial, não tem mestre, e sim um jangadeiro que atravessa o seu discípulo de uma margem do rio para a outra, e depois o deixa seguir por terra, sozinho, (Bruce Lee, 1964).


EDUCAÇÃO E SOCIALIZAÇÃO ATRAVÉS DA ARTE MARCIAL


A utilização das técnicas da ate marcial, desde sua origem, vem educando e socializando povos e dinastias. A, pois a dinastia Xia, deu-se origem a dinastia Shang (1751 á 1111 a.c), aonde passaram a dominar fundição de cobre e posteriormente de bronze, aumentando o poderio bélico; lanças, machados e “pequenas facas eram as armas mais preferidas”.


O imperador desta dinastia, visando aumentar o seu exército, passou a abrir as portas do templo para o seu povo, passando a ensiná-los a técnica das ates marciais, e conseqüentemente, havia a necessidade de ensinar o povo a ler e escrever, pois muitos dos ensinamentos marciais, estavam em escrituras antigas.


As fabricações das armas se estenderam por todos os vilarejos, e cada arma fabricada, tinha que ter além da marca do imperados (dinastia), um dizer, (está ai o porque de ensinar o povo a ler e a escrever).E então os chamados povos de dentro dos templos e os povos de fora dos templos, passaram a se socializar em nome do imperador, tendo como principal linguagem à arte marcial.


Hoje em dia em tempos de “paz”, a arte marcial continua a educar e a socializar crianças, jovens e adultos em todo o mundo, com o seu poder de encantamento, devido aos seus movimentos. As artes marciais transmitem aos seus praticantes, uma autoconfiança, uma paz interior, e aproxima pessoas, restringindo as barreiras sociais e econômicas.


As artes marciais exigem de seus praticantes muita disciplina, e com isso é indicada para pessoas que possuem uma conduta mal educada, é indicada para pessoas tímidas, devido ao seu poder de integração, é indicada para pessoas com falta de concentração, devido a sua necessidade de agilidade, e é indicada para pessoas agressivas, devido a sua canalização de energia física e mental, em fim é indicada para qual quer tipo de pessoa, gênero ou idade, contribuindo positivamente não somente para o físico, mais também para a mente e o espírito.


Os profissionais de Educação Física, que utilizam a arte marcial em escolas sejam elas públicas ou particulares, deparam-se com uma possível opção de socialização, educação, e integração do desenvolvimento do indivíduo, oferecendo aos seus alunos (as) uma possibilidade excelente desenvolvimento nos planos psicomotor, afetivo e cognitivo.


Os professores de Educação Física devem utilizar o bloco de conteúdos proposto nos PCNs – Educação Física, no que se refere à prática das lutas, compreendendo-o e aplicando em seus alunos (as), de uma maneira lúdica, cultural e educativa.


Existem muitas definições sobre o que seriam as lutas, sendo a definição proposta nos PCNs – Educação Física: As lutas são disputas em que os oponentes subjugados, com técnicas e estratégias de desequilíbrio, contusão, imobilização ou exclusão de um determinado espaço na combinação de ataque e defesa. Caracterizando-se por uma regulamentação específica, a fim de punir atitudes de violência e deslealdade.Pode ser citado com exemplos de luta: as brincadeiras de cabo de guerra e braço de ferro, até as práticas mais complexas da capoeira, do judô e do caratê.(Brasil, 1998).


DESENVOLVENDO VALORES HUMANOS DE UMA FORMA LÚDICA ATRAVÉS DAS ARTES MARCIAIS


Um dos desafios do autor é de tentar contribuir com idéias e propostas, para o profissional de Educação Física conseguir achar um o caminho de fazer com que seus alunos (as) se interessem pela prática da arte marcial em suas aulas.


Segundo Bustamante (2004), as manifestações lúdicas são caracterizadas por momentos de prazer, alegria e diversão propiciada pelas festas, pelos jogos, pelas brincadeiras e pelas danças, e também por inúmeras e inesperadas possibilidades de expressão cultural.


Beresford (2000), citando Johanes Hessen conceitua, “que valor é tudo aquilo que for apropriado a satisfazer determinadas necessidades humanas” (p.65).


Destaca-se nessa oportunidade, realizar uma pesquisa com seus alunos (as), a respeito de qual estilo (tipo) de arte marcial (luta) que eles conhecem, praticam ou gostam, achando ai um canal de introdução da proposta.


A capoeira, por exemplo, por ser bastante difundida em todo país, é muito bem aceita pelas crianças, jovens e adultos, por se tratar de luta e dança, é excelente para a integração de gênero.


Utilizado a capoeira como exemplo, destaca-se que na constituição de uma “roda”, (formação composta pelos seus praticantes), existem hierarquias naturais e não impostas, as quais seus praticantes passam a ter respeitos mútuos com seus superiores e pares, desenvolvendo valores humanos como, por exemplo: respeito, amizade, companheirismo, lealdade, honestidade e amor ao próximo.


Mestre Mão Branca (1994), na roda de capoeira, não existem preconceitos e nem vaidades pessoas, é nela que os opostos se encontram, o rico e o pobre, o negro e o branco, o doutor e o analfabeto, e o homem vale pela sua arte.


Sendo assim através das canções, do uso de instrumentos, da integração de gênero e acima de tudo com o despertar dos valores humanos em seus praticantes, as artes marciais, (ex: capoeira), é uma opção de ferramenta que pode ser bem eficaz para o bom rendimento escolar do seu aluno (a), não somente na disciplina de Educação Física, como também nas demais disciplinas ministradas pela instituição, de uma maneira lúdica e cultural, pois segundo Marcelino (1999), o lúdico como um componente da cultura.


METODOLOGIA


Foi utilizada neste trabalho uma metodologia fundamentada em pesquisas bibliográficas, abordando valores humanos, ludicidade e arte marcial, conceituando e desenvolvendo pesquisas na educação seja da rede pública ou particular de ensino do Estado do Rio de Janeiro.


Sabendo-se do baixo rendimento escolar por parte de alguns alunos, seja por falta de incentivo, falta de interesse pedagógico ou por descaso de superiores, foi realizada uma pesquisa de campo com 16 professores em exercício da rede estadual de ensino do Estado do Rio de Janeiro, cujo instrumento utilizado foi um questionário, aplicado em escolas/colégios, onde a prática das artes marciais ocorre nas aulas de Edu.Física.


As questões elaboradas para serem respondidas foram aplicadas á professores (as) de outras disciplinas escolares do ensino médio, sobre o rendimento escolar de seus alunos (as), e ainda, a professores (as), aonde não possui tal atividade, a fim de realizar uma comparação sobre os resultados obtidos.


PESQUISA COM OS PROFESSORES


O questionário foi constituído por perguntas simples e objetivas, envolvendo questões abertas sobre a visão de cada um dos professores (as), a respeito das artes marciais nas escolas/colégios, de uma maneira lúdica e cultural, a fim de melhorar o rendimento escolar dos estudantes.


Questões semi-abertas sobre, sobre o rendimento escolar de seus alunos (as), em suas disciplinas, uma pergunta com duas versões, aonde uma foi direcionada para os professores (as) que lecionam em instituições, aonde se praticam artes marciais nas aulas de Educação Física, e a outra pergunta, foi direcionada para os professores (as), que lecionam em instituições, aonde não se pratica artes marciais em nenhum momento.


E por fim uma questão aonde lhes foi perguntado se a arte marcial de uma maneira educativa se faz necessária no currículo escolar.


QUESTIONÁRIO APLICADO AOS PROFESSORES


1)O que acha do uso das artes marciais, como um caminho para a educação e socialização dos seus alunos (as), quando aplicada de uma maneira lúdica e cultural nas escolas/colégios, durante as aulas de Educação Física?


2)De acordo com suas anotações, qual o rendimento escolar de seus alunos (as), em sua disciplina, em relação à média escolar desta instituição?


3)No seu colégio/escola, aonde se pratica aulas de arte marcial nas aulas de Educação Física, o senhor (a), percebe que nas relações entre os alunos (as), os valores humanos como: caráter, disciplina, companheirismo, respeito, amor ao próximo entre outros se faz presente?Como e de que forma percebe?


4)O senhor (a), acha que as artes marciais deveriam fazer parte do currículo escolar?Porque?


1)O que acha do uso das artes marciais, como um caminho para a educação e socialização dos seus alunos (as), quando aplicada de uma maneira lúdica e cultural nas escolas/colégios, durante as aulas de Educação Física?


2)De acordo com suas anotações, qual o rendimento escolar de seus alunos (as), em sua disciplina, em relação à média escolar desta instituição?


3)Acredita que se o seu colégio/escola, realizasse aulas de artes marciais de uma maneira lúdica, educativa e cultural, seus alunos (as), melhorariam entre outros aspectos, o rendimento em sua disciplina?


4)O senhor (a), acha que as artes marciais deveriam fazer parte do currículo escolar?Porque?


RESULTADOS


Para a primeira pergunta, sobre as artes marciais serem aplicadas nas aulas de Educação Física, de uma maneira lúdica e cultural em escolas/colégios, todos os professores aonde se pratica artes marciais nas aulas de Educação Física, responderam positivamente.


E as palavras e frases, “Estavam precisando”, “Ludicidade”, “Cultura” e “Integração”, foram as mais utilizadas.


Aonde não se pratica, 75% (6), dos professores, acham uma boa opção, e 25% (2), não acham ser uma boa idéia.


Na segunda questão, a respeito do rendimento escolar de seus alunos (as) em suas disciplinas, em relação à média da escola/colégio, 87.5% (7), dos professores aonde se pratica arte marcial, responderam que seus alunos estão acima da média e 12.5% (1), estão na média.


Nas escolas/colégios, aonde não se pratica as artes marciais, 50% (4), dos professores responderam que seus alunos (as), estão acima da média, 37.5% (3), estão na média e 12.5% (1), estão abaixo da média escolar.


A terceira questão foi direcionada aos professores cujo suas escolas/colégios, utilizam as artes marciais nas aulas de Educação Física, e ao professores cujo suas escolas/colégios não utilizam as artes marciais nas aulas de Educação Física.


Foi perguntado se a utilização das artes marciais de uma maneira educativa, lúdica e cultural, melhoraria a conduta de seus alunos (as), incluindo o rendimento escolar, se em seu colégio/escola, se utilizassem às artes marciais nas aulas de Educação Física, e na outra versão de terceira questão, foi perguntado aos professores aonde se pratica artes marciais nas aulas de Educação Física, se os valores humanos como: caráter, disciplina, companheirismo, etc… Faz-se presente entre os seus alunos(as), e se sim, como os professores percebem isso.


Aonde se pratica artes marciais, 100% (8), dos professores responderam que seus alunos (as), possuem uma boa conduta entre eles e com os professores e as palavras, “companheirismo”, “respeito”, “solidariedade” e “entrosamento”, foram as mais citadas, e que é fácil perceber tais ações, quando algum aluno apresenta estar com problemas escolares e quando são realizados trabalhos em grupos.


E aonde não se pratica as artes marciais nas aulas de Educação Física, 75% (6), dos professores responderam que o uso de uma “luta” na escola, poderia ajudar os alunos (as), e as palavras como: “concentração”, “amizade”, “agressividade”, “percepção” e “respeito”, foram as mais utilizadas, e que os alunos (as), talvez aprenderiam a prestar mais atenção nas aulas.


E 25% (2) dos professores responderam que dificilmente os alunos (as) melhorariam suas condutas ou os seus rendimentos escolares praticando uma “luta” na escola, as palavras e frases mais utilizadas foram, “desinteresse”, “Mal educado” e “carência”.


Para a quarta questão, nas escolas em que se pratica a arte marcial, 100% (8), dos professores concordaram que as artes marciais deveriam fazer parte do currículo escolar, devido aos benefícios que uma “luta” já traz para os seus alunos (as).


E aonde não se pratica arte marcial, 50% (4), dos professores, responderam que seria uma boa idéia incluir as artes marciais no currículo escolar, visando o bom rendimento na escola, e 25% (2), dos professores, alegaram que não é preciso, que tal atividade poderia ser realizada como extracurricular e 25% (2), responderam negativamente, sem muita explicação, as frases mais utilizadas foram, “Sem importância”, “Perca de tempo”.


DISCUSSÃO E CONCLUSÃO


De acordo com o que foi expresso pelos professores, aonde a utilização das artes marciais nas aulas de Educação Física se faz presente, encontra-se muitos pontos positivos como: respeito mútuo, companheirismo, amizade e passividade. Além do objetivo mais importante, que é o desenvolvimento escolar.


E mesmo nas escolas aonde não se utiliza às artes marciais nas aulas de Educação Física, a maioria dos professores de acordo com as respostas dos questionários, aponta que as artes marciais podem ser uma saída eficaz para o resgate social de seus alunos (as) no âmbito escolar, além de poder contribuir positivamente para o rendimento escolar, lhes dando mais concentração, disciplina e interesse.


E a minoria deste mesmo corpo docente, alegou não ser de muita importância tal atividade, segundo eles os aspectos que os alunos (as) poderiam melhorar, seria somente o físico, e que dificilmente, melhorariam o rendimento escolar.


A conclusão que este estudo chega sobre os comentários dos professores, é que as artes marciais, além de contribuírem positivamente para o rendimento escolar, contribuem para a formação de bons cidadãos, lhes ensinado e lapidando valores humanos, não somente para o âmbito escolar, mais sim para toda uma vida.


E que nas escolas/colégios aonde não se pratica artes marciais nas aulas de Educação Física, tais valores, não se fazem tão presentes, e o rendimento escolar de seus alunos (as), são consideravelmente baixos, em comparação aonde se pratica arte marcial de uma maneira lúdica, educacional, cultural e com seriedade, nas aulas de Educação Física.