Quem é juca de oliveira

 (nascido José de Oliveira Santos em Itapira, 16 de março de 1935) Filho de Antônio de Oliveira Santos, cuja profissão era fazer “rolo”, como diz brincando Juca, o filho famoso, que é trocar cavalo por burro etc. Juca estudou em São Roque e posteriormente se mudou para a capital do estado, onde entrou na Faculdade de Direito. Fez também um teste vocacional, em que ficou sabendo que sua inclinação era ser ator. Aquilo o empolgou tanto, que ficou sabendo da existência da Escola de Arte Dramática de São Paulo e nela ingressou. Não demorou muito para que desistisse de Direito, para se dedicar à profissão de ator. Conheceu ali Aracy Balabanian, Glória Menezes, e vários outros, que seguiram com ele a profissão que escolheram.


 


Começou então pelo teatro. Entrou logo para o famoso TBC (Teatro Brasileiro de Comédia), onde fez inúmeras peças, como: “O Semente” , “O Pagador de Promessas”, “A Morte do Caixeiro Viajante” . Passou para o revolucionário Teatro de Arena, e ali fez: “Eles não usam Black-Tie” , “O filho do cão”, de Gianfrancesco Guarnieri, entre outras. Na época militava politicamente, Era de esquerda comunista, e por isso se auto-exilou na Bolívia. Na volta, se ligou à TV Tupi de São Paulo. E começou a fazer inúmeros TV de Vanguarda e TV de Comédia, na época dirigidos por Benjamin Cattan. Fez “Essa noite se improvisa” , “Em moeda corrente do país”, tendo como parceira Vida Alves. E aí aconteceu o sucesso extraordinário da novela “Nino, o Italianinho” de Geraldo Vietri.


 


Passou para a Rede Globo e recebeu consagração nacional, como um dos maiores atores do Brasil. Jamais, porém, deixou de fazer teatro, sua grande paixão. Montou companhia própria e aí descobriu sua outra grande vocação, a de autor teatral. As casas estiveram sempre lotadas, quando Juca de Oliveira montou “Meno Male”, “Hotel Paradiso”, “Caixa Dois”. Essas são comédias, o que não era esperado, pois como ator, Juca é dramático.


 


Nas 60 peças em que atuou como ator, fez quase sempre o papel central, aquele que dá a linha mestra à história encenada, e que por isso sempre são os personagens mais pesados. Casado pela segunda vez, na primeira com Cláudia Mello e na segunda com Maria Luiza, há 23 anos. Sua filha Isabel estuda Biologia e também é fazendeira e cantora. Juca de Oliveira diz que adora a “tribo artística”, que pode ser “estigmatizada”, como ele diz, mas à qual tem muito orgulho de pertencer. E agora está pensando em entrar na sua “essência caipira”, e a transportar para o teatro.


 


 


Carreira


 


Na televisão


2008 A Favorita (Globo)


2008 Queridos Amigos – Alberto (minissérie) (Globo)


2007 Amazônia, de Galvez a Chico Mendes – José de Carvalho (minissérie) (Globo)


2005 Mad Maria – Stephan Collier (minissérie) (Globo)


2001 O Clone – Augusto Albieri (Globo)


2000 Vidas Cruzadas – Aquiles (Record)


1998 Torre de Babel – Agenor da Silva (Globo)


1997 Os Ossos do Barão – Egisto Ghirotto (SBT)


1995 A Idade da Loba – Jordão (Bandeirantes)


1995 As Pupilas do Senhor Reitor – Padre Antônio (SBT)


1993 Fera Ferida – Professor Praxedes (Globo)


1990 Brasileiras e Brasileiros (SBT)


1983 Parabéns pra Você – Volber (minissérie) (Globo)


1982 Ninho da Serpente – Dr. Almeida Prado (Bandeirantes)


1978 Pecado Rasgado – Renato (Globo)


1977 Espelho Mágico – Jordão Amaral (Globo)


1976 Saramandaia – João Gibão (Globo)


1974 Fogo sobre Terra – Pedro Azulão (Globo)


1973 O Semideus – Alberto Parreiras (Globo)


1972 Camomila e Bem-me-Quer – Bruno (Tupi)


1971 A Fábrica – Fábio (Tupi)


1969 Nino, o Italianinho – Nino (Tupi)


1968 O Homem que Sonhava Colorido (Tupi)


1967 Estrelas no Chão – Horácio (Tupi)


1967 Paixão Proibida (Tupi)


1967 Angústia de Amar – Ronald (Tupi)


1966 A Ré Misteriosa – Sílvio (Tupi)


1966 A Inimiga – Maurício (Tupi)


1965 A Outra – Vicente (Tupi)


1965 O Cara Suja – Valdemar (Tupi)


1964 Gutierritos, o Drama dos Humildes – Jorge (Tupi)


1964 Quando o Amor É Mais Forte (Tupi)


 


No cinema


2007 – O Signo da Cidade


2004 – Onde Anda Você


2001 – Bufo & Spallanzani


1999 – Outras Estórias


1983 – A Mulher, a Serpente e a Flor


1982 – Deu Veado na Cabeça


1982 – Perdida em Sodoma


1976 – À Flor da Pele


1971 – Jogo da Vida e da Morte


1967 – O Caso dos Irmãos Naves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *