Quem ganhou o ouro olimpico mais rapido da historia?

O que é possível fazer em 9,69 segundos? A resposta do jamaicano Usain Bolt veio em grande estilo neste sábado: foi esse o tempo que ele levou para vencer a prova dos 100m rasos, quebrar o próprio recorde mundial e conquistar a medalha de ouro na Olimpíada de Pequim.
O resultado assombrou o público que lotou o Estádio Nacional de Pequim (o Ninho de Pássaro) não só pela marca de Bolt, mas pela impressão geral de que o jamaicano não teve dificuldade em realizar a façanha.

Pouco antes de cruzar a linha final, Bolt deu uma leve desacelerada, olhou para o lado e acenou com a cabeça como um artista que sabe ter proporcionado à platéia um espetáculo de primeira.

“Eu não estava preocupado com o recorde mundial”, afirmou o jamaicano à BBC. “Não sabia até dar a volta olímpica.”

“Quando corri na semifinal, senti que o recorde mundial era possível, porque a pista é nova e rápida, mas vim aqui apenas para ganhar”, acrescentou. “Estou muito feliz por mim e por meu país.”

Apesar de ser o recordista mundial dos 100m rasos desde maio, Bolt tem como especialidade a prova dos 200m e só confirmou presença na disputa deste sábado quando chegou a Pequim.

“Eu e meu técnico decidimos que eu posso correr os 100m e os 200m”, disse o jamaicano. “Estou preparado para fazer isso.”

Decepção

O também jamaicano Asafa Powell e o americano Tyson Gay eram apontados como os maiores adversários de Bolt na prova dos 100m rasos em Pequim, mas ambos decepcionaram.

Campeão mundial da prova, Gay foi quem mais ficou abaixo das expectativas ao não conseguir sequer uma vaga na final.

Na segunda bateria das semifinais, também realizadas neste sábado, o americano precisava ficar entre os quatro primeiros e chegou apenas na quinta posição.

Um dos fatores que pode ter contribuído para a performance baixa de Tyson Gay é a lesão que o velocista sofreu no começo de julho, pouco depois de conseguir a vaga para a Olimpíada nas disputadíssimas seletivas americanas com o excelente tempo de 9s77.

Powell, recordista mundial dos 100m rasos por quase três anos até ter a marca superada por Bolt em maio, chegou até a final em Pequim, mas terminou a prova apenas na quinta posição.

Depois de um excelente ano em 2006, quando igualou o próprio recorde de 9s77 por duas vezes, Powell conseguiu alcançar a marca de 9s74 no ano seguinte.

No Mundial de 2007, no entanto, o jamaicano admitiu ter entrado em “pânico” e “desistido” ao ver Tyson Gay ultrapassá-lo. Desde então, tenta lutar contra a fama de atleta que desaparece em grandes eventos – neste sábado, em Pequim, não conseguiu.

Abaixo de 10s

Seis dos oito finalistas que disputaram medalhas na histórica final dos 100m rasos em Pequim conseguiram marcar um tempo inferior a dez segundos.

A prata foi para Richard Thompson (9s89), de Trinidad e Tobago, e o bronze ficou com o americano Walter Dix (9s91).

Com apenas 21 anos de idade, Usain Bolt saiu de uma relativa obscuridade para se tornar um dos maiores nomes do atletismo ao bater o recorde mundial dos 100m rasos (9s72) em Nova York, no final de maio.

Era apenas a quinta vez que o jamaicano disputava a prova em uma competição oficial. Seis semanas depois, Bolt marcou o quinto tempo mais rápido da história nos 200m rasos (19s67).

No Mundial de 2007, Bolt havia conquistado apenas a medalha de prata nos 200m rasos – atrás do americano Tyson Gay.

Agora, em Pequim, o jamaicano tentará ser o primeiro velocista a vencer as provas dos 100m e dos 200m em uma Olimpíada desde as vitórias do americano Carl Lewis, em Los Angeles-1984.

As eliminatórias dos 200m começam na segunda-feira (horário de Pequim) e a final da prova será disputada na próxima quarta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *