Relações entre satisfação, competência, saúde e absenteísmo no trabalho





























Autor: Vitor Hugo Bernstorff
[pt] Relações entre satisfação, competência, saúde e absenteísmo no trabalho em uma grande instituição bancária pública
Instituição de Defesa: Universidade de Brasília
Data de Defesa: 2007-12-13
Resumo: [en] This study has as objective to relate professional satisfaction, performance evaluation for individual competence, exam of occupational health and the strategies of resistance characterized by forms of absentee in work. It has been evaluated data related to 28230 workers of a great Brazilian public bank. It has been identified five categories of professional satisfaction, such as: content of the work, salary, social environment, physical conditions and learning. Individual competence has been evaluated within a 360 degree perspective, in which act the senior in rank, peers, subordinated and the worker himself, where human performance is valued within the corporate competitiveness scope. Occupational health has been measured by the emotional stress and RSI (Occupational Repetitive Strain Injury). Absentee in work has been measured by: voluntary absence without guarantee, health leave <= 15 days and health leave >15 days. We can conclude that there is a mirror effect of satisfaction, in which each category of satisfaction positively influences others, tending to pleasure in work, and which the greater negative effect on professional satisfaction is the excess of work, intensification of the productive flexibility. It is also evidenced the importance of the meaning of work, provided that people inserted in adequate places and who see meaning in their activities, aggregate value to the corporate economic and social aspects. It is also understood that the model of performance by individual competence used by the company, full of desubjectivity, is innocuous and deserves discredit. Other conclusion is that occupational stress suffers much influence of the labor intensification and activities without any challenge in an individualizing and without cooperation social environment, including gender cooperation. At last, we conclude that stress and RSI, together with professional dissatisfaction, promote individual resistance to work through short-term health licenses (<= 15 days) related to wear and to the tolerance limit regarding to the conditions and to the labor organization, in a psychodynamic facing and as a reflexivity strategy. These unforeseen absences are expressive and economic and socially harmful to the labor organization and to the human life quality
[pt] Este estudo teve como objetivo correlacionar satisfação profissional, avaliação de desempenho por competência individual, exame de saúde ocupacional e as estratégias de resistência caracterizadas pelas formas de absenteísmo no trabalho. Foram avaliados os dados de 28230 trabalhadores de um grande banco público brasileiro. Identificaram-se cinco categorias da satisfação profissional com: o conteúdo do trabalho, o salário, o ambiente social, as condições físicas e o aprendizado. A competência individual foi avaliada numa perspectiva 360 graus, na qual atuam o superior hierárquico, pares, subordinados e o próprio trabalhador, onde valoriza-se o valor do desempenho humano na competitividade organizacional. A saúde ocupacional foi medida pelo estresse emocional e sintomas da DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho). O absenteísmo no trabalho foi medido pela: ausência voluntária não abonada, licença-saúde <= 15 dias e licença-saúde >15 dias. Conclui-se que há um efeito espelho da satisfação, no qual cada categoria da satisfação influencia as demais positivamente tendendo ao prazer no trabalho e que o maior efeito negativo sobre a satisfação profissional é o excesso de trabalho, intensificação da flexibilização produtiva. Evidencia-se também a importância do significado do trabalho, pois pessoas inseridas nos locais adequados e que vêem sentido no que fazem, agregam valor aos aspectos econômicos e sociais na organização. Conclui-se também que o modelo de desempenho por competência individual aplicado pela empresa, repleto de desubjetivação, é inócuo e merecedor de descrédito. Outra conclusão é que o estresse ocupacional sofre muita influência da intensificação do trabalho e pelas atividades sem desafios num ambiente social individualizante e sem cooperação, inclusive de gênero. Por fim, concluímos que o estresse e a DORT concomitante com a insatisfação profissional promovem uma resistência individual ao trabalho através da licença-saúde de curta duração (<= 15 dias) relacionado ao desgaste e ao limite de tolerância frente às condições e à organização do trabalho, num enfrentamento psicodinâmico e como estratégia da reflexividade. Estas ausências imprevisíveis são expressivas e nocivas econômica e socialmente à organização do trabalho e à qualidade da vida humana
Titulação: Doutor em Sociologia
Contribuidor(es): Sadi Dal Rosso
João Horta Nunes
Analia Laura Soria Batista
Berlindes Astrid Küchemann
Arthur Trindade Maranhão Costa
Fernando de Rosa
Assuntos: [en] individual performance
[en] professional satisfaction
[en] absentee at work
[en] competences management
[en] Banco do Brasil
[en] labor intensification
[en] emotional stress
[en] RSI
[en] occupational health
[pt] desempenho individual
[pt] saúde ocupacional
[pt] absenteísmo no trabalho
[pt] satisfação profissional
[pt] DORT
[pt] Banco do Brasil
[pt] gestão por competências
[pt] estresse emocional
[pt] SOCIOLOGIA
[pt] intensificação do trabalho
Documentos Digitais: [pt] Texto completo – Capítulo 6 até o final
[pt] Texto completo – Até o capítulo 5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *