Rio de janeiro perde dinheiro com mosquito da dengue.

O Estado do Rio de Janeiro já perdeu em três meses, quase R$ 20 milhões por causa da epidemia de dengue; esse valor corresponde aos dias em que aproximadamente os 75 mil habitantes infectados deixaram de trabalhar. A análise foi feita pelo economista Gilberto Braga ao considerar que essas pessoas ficam em média seis dias afastadas, no caso de menores ou idosos infectados, pelo menos mais um adulto fica longe do trabalho para cuidar do doente.

E ao que indica, no próximo ano a economia carioca pode sofrer mais, pois a epidemia de dengue que se alastra pelo Rio de Janeiro pode voltar a atacar no ano que vem. Segundo relatório do Ministério da Saúde, 16 estados brasileiros correm o risco de enfrentar uma epidemia de dengue em 2009, além do Rio, os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul tem mais chances, pois o alerta é baseado no índice de infestação do mosquito transmissor.

O superintendente de vigilância de Saúde do Rio, Victor Berbara, disse que o Ministério da Saúde já enviou comunicados às secretarias de Saúde do Estado sobre o risco. O governador Sérgio Cabral afirmou, nesta quinta-feira (10) que a pior fase da epidemia passou, mas admitiu que a crise ainda não acabou.

A cidade carioca anda enfrentando problemas com a dengue há alguns meses. No dia 20 de fevereiro sete mil casos haviam sido registrados apenas na capital, mesmo assim a Secretaria Municipal de Saúde só admitiu o surto da doença em 15 bairros. Numa comparação com os meses de janeiro e fevereiro do ano passado, os números haviam crescido mais de 200%.


Para tentar combater os focos do mosquito, no início do mês de março, foi anunciada ajuda de mais 700 bombeiros, além dos 500 que já estavam fazendo o serviço. No mesmo mês o secretário de saúde do Rio, Sérgio Côrtes reconheceu que o governo do Estado não estava conseguindo atender à demanda de internações provocada pela epidemia. A partir daí as autoridades decretaram situação de emergência e várias ações foram feitas para o combate, como por exemplo a criação de tendas de hidratação, a ajuda das Forças Armadas que fizeram hospitais de campanha e até a autorização para que agentes da Defesa Civil e funcionários públicos credenciados entrem em imóveis, mesmo sem a permissão do proprietário.

Segundo a Secretaria de Saúde, a última epidemia de dengue no Rio aconteceu em 2002, quando foram registrados 138.027 casos e 64 mortes, e explica que surto acontece quando determinadas áreas são atingidas pela doença. Já a epidemia, atinge todos os bairros da cidade, como está acontecendo.










Saiba mais:


















Enquete:



De quem você acha que é a culpa da epidemia de dengue no Rio ?






( ) Das autoridades que não tomaram as medidas cabíveis



( ) Dos próprios moradores que não fazem a sua parte









Fórum:



Você concorda com as ações das autoridades no combate à dengue?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *