Rubens barrichello não descarta se aposentar em 2009

Rubens Barrichello não descarta se aposentar em 2009


Brasileiro pode deixar a Honda e acerto com outras equipes é complicado




 A expressão corporal e o tom de voz ressaltaram um intranqüilo Rubens Barrichello, no circuito de Fuji. Pela primeira vez, o piloto brasileiro admitiu a possibilidade de ficar sem um cockpit na Fórmula 1 em 2009. E disse não estar pronto para isso.

– Eu não tenho nada assinado, então é uma possibilidade. Mas acho que é remota. Seria estúpido abrir mão da minha experiência num campeonato com um novo regulamento. É o que venho falando com os chefes de equipe com quem eu converso. Não estou preparado para parar, penso apenas num futuro dentro de um carro de Fórmula 1. Vou trabalhar com uma postura positiva, pensando que vai ser e torcer para acontecer – analisou o piloto.


Há três temporadas na equipe Honda, Barrichello se mostrou insatisfeito com o quadro de indefinição criado pelos dirigentes do time.


– Nunca me vi numa situação como essa, sempre fechei contratos muito cedo na temporada. No momento, há muita especulação e um silêncio maior ainda na Honda. Quando estou no carro, consigo me concentrar completamente no trabalho. Mas, fora dele, isto está me enchendo um pouco, ficam muitas idéias rodando pra lá e para cá – admitiu o brasileiro.


Barrichello conversa com Renault e Toro Rosso, equipes que segundo ele ainda possuem vagas abertas, ao mesmo tempo em que tenta renovar com a Honda. Sua vaga na equipe japonesa está ameaçada justamente por um compatriota: Bruno Senna.


– Meu conselho como alguém que gosta da família Senna é para não vir para cá como piloto. Não é nem pelo meu caso. Com a pouca experiência do Bruno, seria queimar um cartucho. O Nelsinho é um bom exemplo disso: você chega na Fórmula 1 porque quer estar, mas acaba jogando tudo fora em um ano, sendo que você tem condições de ser campeão do mundo – aconselhou Barrichello, que encerra a conversa em tom de quem faz uma retrospectiva da carreira.


– Guiei por 16 anos, tive algumas coisas ruins, mas foram ótimas aventuras quase o tempo todo. Se eu parar, não seria o fim do mundo, mas eu daria praticamente tudo para estar num carro de F-1 no ano que vem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *