Saiba o que é candidíase

A Candidíase é uma doença, micose causada pelo fungo Candida albicans. A candidíase assume particular importância clínica em infecções da boca e mucosa vaginal benignas, e em infecções sistémicas malignas em doentes com SIDA/AIDS.


Cultura de Candida albicans 


Cultura de Candida albicans

 


Candida albicans


As cândidas são leveduras ovais com cerca de 5 micrômetros que se multiplicam assexuadamente por germinação. Por vezes existem simultaneamente formas de micélios típicos com hifas, ou pseudomicélios, que são formas coloniais sem hifas verdadeiras.


A Candida albicans é o patogênio da espécie mais freqüente, causando mais de dois terços das infecções, mas outros como Candida tropicalis, Candida kefyr, Candida glabrata ou Candida parapsilosis também são responsáveis por casos de candidíase.


Nem sempre transmissível pelas relações sexuais com período rápido de manifestação, com um ciclo total podendo ocorrer em um ou dois dias após o contágio. Cabe ressltar que a C. albicans faz parte da microbiota normal da vagina. Sua proliferação é que está normalmente relacionado com a manifestação da candidíase vaginal.



Epidemiologia


Existe em todo o mundo.


As cândidas fazem de debilidade ou imunodeficiência para se multiplicar e disseminar.



Diagnóstico e Tratamento


A candidose pode afetar vários tecidos humanos. Na boca é popularmente chamadada no Brasil de “sapinho”, acometendo principalmente crianças. Pode ocorrer na pele, mucosas genitais, ou mais raramente tecidos internos, particularmente em imunodeprimidos (SIDA, quimioterapia).



A presença de hifas e leveduras observadas ao microscópio é diagnóstica, assim como a cultura com crescimento do fungo embora ambas não tenham sensibilidade muito elevada. A sorologia, com detecção de anticorpos específicos também é disponível porém pouco útil na pratica clínica pela baixa acurácia.


O tratamento das infecções sistêmicas pode ser realizado com medicações endovenosas ou orais com antifúngicos como anfotericina B, caspofungina ou com derivados de azol, como fluconazol e itraconazol, enquanto o das infecções superficiais é feito pela aplicação de antimicóticos tópicos como nistatina, clotrimazol, miconazol entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *