Trabalhar ou atrapalhar?

Esta semana estava revendo e atualizando alguns dados e encontrei estes dados fornecidos pelo prof. Bernard Bricot. Ele diz “Neste mundo em plena mutação, existe uma evidência chocante – a medicina atual custa caro, nem sempre trata bem, e raramente cura”. “Numerosas são as patologias cujos tratamentos são essencialmente sintomáticos”. “Diferentes sintomas são considerados como fatalidades e a resposta terapêutica aplicada é aquela dos “anti”” …
“Todas as patologias, têm em comum a ação de forças anormais provocadas por um desequilíbrio do sistema tônico postural e de seus diferentes captores sensitivos”.
“Estas forças anormais serão responsáveis por diferentes patologias, dolorosas e crônicas, e constituem um número importante de motivos para as visitas aos consultórios médicos odontológicos”.
Vejamos os dados que ele nos fornece da França. “Em matéria de dores vertebrais e reumáticas, elas são responsáveis por 48% dos franceses sofrerem de dores nas costas e que mais de 26.000.000 dias não trabalhados são perdidos anualmente”. “Elas oneram o orçamento do Estado e do Seguro Social, estes números são resultados de tratamentos sintomáticos”. “Se não tratar a causa da hérnia de disco, não adianta operá-la”. “A idade de estabilização é de 7 ½ anos, portanto a correção anterior é muito importante, antes desta idade”
Em outras palavras, a prevenção é o melhor, único e eficaz remédio para o “presenteísmo” que assola nossas empresas
Se você achou os dados franceses alarmantes, então veja o nosso! “No Brasil 90% dos indivíduos apresentam um desequilíbrio postural” isto mesmo !!!
A Sociedade Brasileira de Reumatologia diz que “ 80% dos brasileiros tem ou terão uma dor importante na coluna”. Segundo Sebastião Radominski, presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia, diz que a lombalgia é tão freqüente no brasileiro que é a 2º causa de afastamento do trabalho e a 3 º em pedido de aposentadoria. Espantoso, não é?!
Já o Dr. Carlos Eduardo Oliveira do Hospital do Servidor Publico Estadual relata que 60% dos trabalhadores sofrem de dores nas costas.
Imaginaram neste momento os custos das dores nas costas em sua empresa?
Então juntem nesta receita os fatores emocionais e assim o nosso funcionário, chega na segunda feira com “aquele” ânimo para trabalhar, ou seria para atrapalhar????
O que podemos fazer a respeito? Dar analgésicos? Fazer laborterapia? Ou será a prevenção?

Pense nisto e participe da minha comunidade “Gestão Holística através da Qualidade de Vida no Trabalho”

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *